Complete abaixo para pedir sua NuConta e seu cartão de crédito

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Seu Dinheiro Declaração do IR: simp...

Declaração do IR: simples ou completa?

Entenda as diferenças entre os dois tipos de declaração do Imposto de Renda.

A declaração do Imposto de Renda é o momento de declarar todos os gastos e rendimentos que você teve no ano anterior – um processo nada simples. Em 2019, o prazo para declarar o IR vai de 7 de março a 30 de abril. O programa gerador da declaração já está disponível para download.

E, não bastassem dúvidas comuns – como quem precisa declarar e como funciona a regra de dependentes, você também precisa descobrir qual o melhor tipo de declaração: simples ou completa.

Para escolher entre a declaração simples ou completa é preciso sempre ter como base as despesas que deverá declarar à Receita.

É importante entender como cada uma funciona pois elas impactarão diretamente o quanto você pagará de imposto ou o quanto vai restituir. No software da declaração, a Receita te ajuda a escolher a melhor – mas é sempre bom estar preparado.

Por exemplo: no geral, a declaração completa é a mais indicada para quem tem filhos, paga colégio particular, contribui para previdência privada e tem outros gastos dedutíveis. Isso porque esse modelo de declaração permite detalhar todos esses gastos extras, que podem ser restituídos depois.

Entenda mais sobre cada um dos modelos de declaração.

Declaração simples

Nas declarações simples, a Receita aplica um desconto padrão de 20% sobre todos os rendimentos tributáveis recebidos em 2018, não importa quais deles podem ser abatidos.

Portanto, ela é indicada para os contribuintes cujas despesas dedutíveis – ou seja, gastos que podem ser abatidos do cálculo do IR – forem, juntos, menores que 20% do total de receitas tributáveis ou cujos rendimentos tributáveis sejam de no máximo R$ 16.754,34.

Por exemplo: se sua renda em 2018 foi de R$ 10 mil, serão deduzidos R$ 2 mil (valor correspondente a 20% de R$ 10 mil) no modelo simplificado. Se suas despesas dedutíveis (gastos com educação, saúde, dependentes…) somarem mais de R$ 2 mil, vale a pena optar pela declaração completa.

Declaração completa

No modelo completo de declaração, todas as possibilidades de abatimento do imposto são consideradas — gastos com educação, saúde, dependentes, contribuição para previdência privada, entre outros. O desconto de imposto poderá ser menor ou maior que 20% e a restituição, maior.

Por isso ela é indicada para quem teve mais gastos no ano.

Se a declaração completa for a ideal para você, fique atento: é necessário guardar os comprovantes das despesas por pelo menos cinco anos. Isso porque, nesse período, a Receita pode chamar os contribuintes para prestar esclarecimentos referentes a alguma dessas despesas.

Como escolher o melhor tipo de declaração do IR?

O próprio programa de declaração do IR sugere qual é o tipo de declaração mais indicado para cada pessoa. De qualquer forma, se você fizer a declaração completa e a mais adequada para você for a simplificada, a Receita vai migrar os dados automaticamente para o modelo simples.

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Ele é apenas um guia com alguns dos termos e dúvidas mais comuns. Dependendo de cada caso, pode haver exceções. Em caso de dúvida, procure auxílio especializado.

Ainda não conhece o Nubank? Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história aqui.

Digite seu nome

Quero receber a newsletter