Complete abaixo para pedir sua NuConta e seu cartão de crédito

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Seu Dinheiro Organizar as Finanças Como se preparar para ap...

Como se preparar para aposentadoria se você é autônomo, freelancer, MEI ou PJ?

Como se inscrever no INSS sendo autônomo, o que é previdência privada e outras dicas para conseguir planejar o futuro e garantir dias mais tranquilos.

Se você está correndo dia e noite para fazer seu negócio acontecer, seja trabalhando como autônomo, freelancer, MEI ou PJ, talvez ainda não tenha parado para pensar sobre sua aposentadoria. Mas deveria.

Planejar o futuro é essencial para garantir dias tranquilos quando chegar a hora de dizer “missão cumprida, posso relaxar em paz”. 

Abaixo, explicamos como se preparar para aposentadoria sendo autônomo, freelancer, MEI ou PJ.

Por onde começar?

Sabe aquela receita pronta que pode ser replicada por qualquer pessoa e dará certo? Sentimos informar que este não é o caso aqui.

Afinal, a realidade de cada pessoa é única e cada especificidade precisa ser levada em consideração na hora de planejar a aposentadoria.

Por isso, o primeiro passo é entender seu perfil e pensar em como seriam seus dias de descanso:

  • Quando você quer se aposentar?
  • Quanto você precisaria para viver por mês (principalmente despesas fixas, como moradia, alimentação, lazer e convênio de saúde)?
  • Quais gastos variáveis podem aparecer (como viagens, compra de bens e serviços, troca do carro, reforma da casa)?
  • Quantas pessoas viverão com a aposentadoria?
  • Quais serão as fontes de renda (apenas a aposentadoria, aluguel de imóvel, trabalhos pontuais)?

Com essas respostas, será possível traçar um objetivo para sua aposentadoria e um plano para chegar lá – sem deixar de viver o presente, claro.

Calcule quanto precisa guardar por mês

Depois de visualizar como será a aposentadoria, é importante calcular quanto dinheiro será necessário para viver esse período, quantos anos você tem até se aposentar e quanto precisa juntar por mês até lá.

É necessário lembrar que, dependendo de onde você colocar o dinheiro, ele renderá de formas diferentes ao longo dos anos.

Escolha a melhor forma de investir seu dinheiro

Com o cálculo de quanto será preciso guardar por mês, está na hora de decidir onde investir seu dinheiro para que os juros trabalhem por você – e para que a inflação não corroa suas economias.

Entenda o que é inflação

Veja qual diferença entre juros simples e composto

Previdência Privada

Justamente por ter a palavra previdência no nome, ela é uma das principais opções para quem quer investir na própria aposentadoria.

Segundo dados da Federação Nacional de Previdência Privada e Vida (FenaPrevi), 2018 terminou com 13,1 milhões de contribuintes em fundos de previdência privada.

É possível escolher entre dois tipos de previdência privada: PGBL e VGBL. A principal diferença entre os dois é a forma de tributação. Saiba mais sobre isso aqui.

Neste tipo de plano, são feitas aplicações (ou investimentos) periódicas com a possibilidade de escolher com o quanto vai contribuir e com qual frequência – pensando sempre no valor que deseja receber ao se aposentar. 

Além disso, é possível escolher entre sacar o montante de uma só vez ou transformá-lo em renda mensal no futuro, quando desejar começar a receber o dinheiro.

Entenda tudo sobre previdência privada

Renda Fixa

Essa é uma boa opção para quem tem um perfil mais conservador e quer ter mais clareza sobre quanto o dinheiro irá render. Tesouro Direto, os CDBs e as LCAs, entre outros, são alguns dos mais conhecidos.

O que é investimento e como começar a investir?

Os investimentos em renda fixa podem ser de dois tipos:

  • Prefixados: é possível saber qual será o retorno no fim da aplicação. Por exemplo, 6% ao ano;
  • Pós fixados: quando o rendimento é atrelado a algum outro índice da economia. Por exemplo, um rendimento de 100% do CDI (uma taxa comum usada pelos bancos). Nesse caso, o investidor sabe que seu dinheiro vai render conforme um indicador específico – mas não sabe exatamente quanto porque pode ter flutuações.

Entenda tudo sobre renda fixa

Renda Variável

Já na Renda Variável, como o próprio nome diz, os investimentos têm taxas de retorno que variam de acordo com diversos fatores – como mudanças econômicas ou políticas do Brasil e do mundo.

Em outras palavras, a rentabilidade varia o tempo todo, o que significa que os riscos são maiores. O retorno pode ser maior? Pode, mas a possibilidade de perder também é grande.

Para quem quer seguir esse caminho, a bolsa de valores é o principal ativo de renda variável do mercado.

Mas atenção: como estamos falando de um plano de aposentadoria, o ideal é ter uma carteira variada de investimentos para não correr o risco de perder tudo em ações.

Saiba tudo sobre renda variável

INSS

Em maio de 2019, o número de trabalhadores autônomos no Brasil chegou a 24 milhões de pessoas – um crescimento de 5,1% em relação ao ano anterior (mais 1,17 milhão de pessoas).

O que muitos não sabem é que, mesmo trabalhando de forma autônoma, é possível contribuir com o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) para garantir a previdência social

Como se inscrever no INSS como autônomo

  • Fazer a inscrição no Programa de Integração Social (PIS) como “contribuinte individual”. Se você já trabalhou de carteira assinada, provavelmente já possui um número do PIS. Caso contrário, é só fazer a inscrição pela internet;
  • Escolher o tipo de contribuição;
  • Fazer o pagamento da Guia da Previdência Social (GPS): o “carnê do INSS”, como é chamada a GPS, pode ser preenchida manualmente ou pela internet e paga pelo aplicativo da conta, numa instituição bancária ou casa lotérica. 

Opções para contribuinte individual

Os contribuintes individuais (ou autônomos) podem escolher entre duas opções de contribuição:

  • 11% sobre o salário mínimo (R$109,78): dá direito à aposentadoria por idade;
  • 20% sobre o que recebe (entre R$199,60, para quem contribui pelo salário mínimo, e R$1.167,89, para quem contribui pelo teto): dá direito à aposentadoria por tempo de contribuição.

E para MEI?

O MEI (Microempreendedor individual) tem apenas uma opção: 

  • 5% sobre o salário mínimo (R$ 49,90): dá direito à aposentadoria por idade. Caso o contribuinte queira se aposentar por tempo de contribuição, será necessário pagar um complemento.

Trace um plano de ação

Mapeamos o futuro desejado, calculamos quanto será necessário guardar e conhecemos os diferentes tipos de investimento. Agora, é hora de traçar um plano de ação para tornar essa ideia realidade.

Coloque no papel qual a sua renda mensal atualmente, quais seus gastos e veja se é possível guardar o necessário para se aposentar com o valor mensal desejado.

Às vezes, essa conta não vai fechar – e tudo bem. O importante é você saber qual a sua realidade, entender se algo pode ser alterado e buscar formas de atingir seus objetivos.

A gente sabe que é difícil guardar dinheiro, por isso fizemos um conteúdo inteiro sobre isso

Mas não deixe de viver o presente

Sabe, planejar o futuro é muito importante, mas viver o presente é ainda mais. Isso não significa sair por aí gastando desenfreadamente, mas entender o que te faz feliz e levar isso em consideração em seu planejamento financeiro.

Você gosta de comer fora? Coma feliz! Ir ao cinema é um de seus hobbies? Ótimo, não perca as estreias. Os Happy Hours às sextas são sagrados? Um brinde a eles!

Separe parte do seu orçamento para essas atividades, saiba quanto pode gastar com elas e faça isso com prazer. Isso vai te levar para uma aposentadoria ainda mais bem vivida!

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Ainda não conhece o Nubank? Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história aqui.

Digite seu nome

Quero receber a newsletter