Pedir Conta e
Cartão de Crédito

em menos de 1 minuto
e grátis

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Empreender Gestão do Negócio Qual é a hora certa de ...

Qual é a hora certa de buscar investimentos para a sua empresa?

Existe um abismo entre os objetivos do seu negócio e até onde seu capital pode te levar? Talvez seja hora de buscar investidores.. Saiba como identificar o momento certo para procurar investimento para a sua empresa.

Começar uma empresa não é tarefa simples. E, tão complexo quanto fazer um bom plano de negócio, desenvolver um produto, entender  seu mercado e dar lucro é decidir quando (e se) a sua empresa deve buscar investidores.

A decisão se torna ainda mais difícil porque um investidor que entra no negócio está esperando um retorno financeiro. Em outras palavras: lucro.

Entenda os prós e contras de ter um investidor externo, qual o melhor momento para atrair um para a sua empresa e que tipos de investimentos são adequados para  negócios ou startups em estágio inicial. 

Seu negócio precisa mesmo de um investidor?

Existe uma premissa  básica no empreendedorismo: o desejo de ter um negócio bem sucedido e que cresça. Algo que precisa ser bem pensado, porém, é a forma como esse crescimento deve se dar e a partir de que capital. 

Se o seu negócio vai operar totalmente com capital próprio ou dos sócios, você terá o total poder de gestão e decisão. Entretanto, é provável que o seu crescimento seja mais lento. Afinal, você vai contar apenas com o seu dinheiro e com a sua expertise e a de seu círculo profissional para se desenvolver (ou com empréstimos). 

Além disso, é possível que mesmo que você tenha um bom capital para investir, ele não seja tão competitivo quanto o valor que você poderia conquistar por meio de um investimento externo.

Qualquer tipo de  empresa (startup ou não) pode em tese receber investimentos, afinal, investidores não são só grandes fundos: podem ser, por exemplo, pessoas físicas..

Então, por que se fala mais nas rodadas de investimentos para startups? 

Porque o modelo de negócio das chamadas startups é justamente baseado no crescimento acelerado impulsionado por rodadas de investimento.

As startups, assim como boa parte das empresas tradicionais, geralmente nascem com pouco capital – mas, no lugar de buscar recursos em empréstimos, por exemplo, usam o modelo de rodadas de investimento para captar fundos e crescer. Por isso, se tornaram as queridinhas dos fundos de investimento e costumam ser investidas mais cedo e com maior frequência quando comparadas às empresas tradicionais.

Quais são os prós e contras de ser investido? 

Prós

Quando você recebe um investimento, além da parte óbvia que é o dinheiro para empregar o crescimento da sua empresa, você também tem a possibilidade de receber mentorias e conselhos importantes.

Muitas vezes, fundos de investimentos são compostos por empreendedores experientes. Normalmente gente que já obteve muito sucesso –  e também alguns fracassos – em seus negócios. Isso faz com que a troca e o aprendizado seja rico e que você consiga dar muitos passos adiante. No fim das contas, todos os envolvidos na empresa –  donos e investidores – querem a mesma coisa: o sucesso do negócio.

Além disso, mesmo que no combo do investimento venha uma dose de cobrança por bons resultados, uma vez investida, é provável que a sua empresa conquiste um crescimento acelerado e você consiga atingir alguns objetivos do negócio com mais agilidade.

Contras

Ao obter investimento de terceiros, seja um investidor-anjo, uma aceleradora ou um investidor semente, as expectativas e as pressões aumentam. Afinal, todo dinheiro tem contrapartida. O do banco tem juros e o do investidor custa um percentual da sua empresa como remuneração, além da cobrança por crescimento acelerado.

Em outras palavras, caso você receba algum aporte em investimentos,haverá uma cobrança de terceiros para gerar valor de alguma forma com a empresa, seja aumentando o valuation dela (avaliação da empresa) ou lucro. Por exemplo, negócios muito promissores são investidos ou comprados antes mesmo de gerarem qualquer lucro.

Outro ponto importante é que nos negócios, depois de recebido um primeiro investimento – especialmente startups – a tendência é receber outros aportes em outras rodadas. Caso a sua empresa continue a ser investida, outros percentuais passam para as mãos de terceiros. É preciso ter uma estratégia clara na hora de escolher quanto do poder de decisão poderá se concentrar em outras pessoas. 

Qual é o momento certo para buscar investidores?

Não existe uma resposta exata para essa pergunta, mas certamente é o momento em que você conseguirá conquistar melhores acordos. Afinal, será que vale a pena, logo no primeiro investimento, ceder 50% da sua empresa para receber uma quantia que talvez não seja tão considerável assim?

Segundo a Endeavor, o ideal é começar com capital próprio, entender o seu perfil de empreendedor, avaliar o cenário para os próximos 18 a 36 meses do negócio e decidir em quais áreas você pretende investir: marketing, operação, contratações… Entendido isso, é importante traçar um plano coerente entre quanto você pretende crescer, como deseja fazer isso  – e se faz sentido receber investimentos. 

Se você está convencido a buscar investimentos para a empresa, é importante pensar em quanto vai pedir. Só você sabe quanto faz sentido ou não para a sua empresa, mas é fundamental ser realista na hora de buscar um primeiro investidor e mostrar para ele como você pretende gastar o dinheiro. À medida que a empresa cresce, mais você consegue levantar nas próximas rodadas de investimento.

Qual tipo de investimento é o ideal para a minha empresa?

Hoje, existem diversos tipos de investimentos para empresas em estágio inicial. Conheça alguns deles.

  1. Aceleradora: instituição que oferece capacitação, espaço de trabalho (coworking), cursos e treinamentos, mentoria e onde há a possibilidade de recebimento de algum capital para a sua empresa crescer. 
  2. Investidor-anjo: pessoa física (empresários ou executivos com experiência e recursos) que usam capital próprio para investir em empresas novas com alto potencial de crescimento, segundo a Anjos do Brasil – organização sem fins lucrativos referência em investimento-anjo no país.
  3. Investidor semente: aporte financeiro feito por fundos de investimento realizado em uma empresa ou startup em estágio inicial. Esse tipo de investimento é destinado a empresas que ainda estão em desenvolvimento ou que já têm um produto, clientes e faturamento, mas precisam de capital para crescer e se estabelecer no mercado.

Na gestão de um negócio não existe certo ou errado. O que existe é o que é ideal para a empresa, para o seu perfil de empreendedor e para os objetivos de crescimento projetados. Obviamente, se esses objetivos forem muito ambiciosos e o dinheiro próprio para investimento for curto (o que não é raro), o caminho é partir para a busca por investidores, mas isso precisa ser feito com planejamento e cautela.

Quer saber mais sobre negócios? Leia também:

O que é custo fixo ou variável? Entenda a diferença

O que é uma empresa securitizadora?

Quer começar um negócio? Responda estas 3 perguntas antes

Este texto faz parte da missão do Nubank de lutar contra a complexidade do sistema financeiro para empoderar as pessoas – físicas e jurídicas. Com a conta PJ, queremos ajudar donos de pequenos negócios, empreendedores e autônomos a focarem no que realmente importa. Saiba mais.

3.8

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post