Pedir Conta e
Cartão de Crédito

em menos de 1 minuto
e grátis

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Complete os campos ao lado para pedir sua Conta e Cartão de crédito

Agora complete abaixo para pedir sua conta e cartão de crédito

Precisamos de um CPF válido
Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu e-mail. Precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Empreender Plano de negócio: como c...

Plano de negócio: como começar a definir metas e estratégias?

Veja um passo a passo para organizar a sua ideia de forma estratégica e definir objetivos e métricas para minimizar os riscos.

Abrir um negócio não é apenas ter uma ideia e colocá-la em prática. Entender como o empreendimento pode ser vendável, conhecer os custos, definir os objetivos, as finanças, pensar qual será a estratégia, desenvolver o comercial…Todos esses  são aspectos importante do processo de empreender – e um bom plano de negócio consegue abraçar a maior parte deles, além de prever os próximos passos.

De acordo com o Sebrae, muitos empreendedores acabam passando por dificuldades no início do negócio por errarem no planejamento –  e o plano de negócios é o instrumento certo para traçar um retrato do mercado, do produto e do perfil do empreendedor. 

Mas o que é um plano de negócios? Por que é importante fazer um?

O plano de negócio é um projeto de como a sua empresa vai ser e funciona como uma forma de organizar informações importantes sobre o seu mercado, o segmento da empresa, seus potenciais clientes, concorrentes, fornecedores e compreender melhor os pontos fortes e fracos do empreendimento. 

Um plano de negócio bem elaborado consegue mostrar  a viabilidade de uma empresa descrevendo a estratégia frente ao mercado, operação, marketing e financeiro. Além de ajudar em tomadas de decisões futuras da empresa. 

A criação do plano deve ser anterior à criação da própria empresa. Ou seja: depois da grande ideia,é interessante colocar a sua empresa no papel antes de partir para algo concreto.

E como fazer um plano de negócio?

Um plano de negócio segue etapas que ajudam a eliminar alguns riscos e incertezas . São eles:

1. Sumário executivo (ou resumo)

Geralmente, o primeiro elemento do plano de negócio é chamado de sumário executivo. Essa seção costuma ser encarada como um protocolo, mas ela funciona como um resumo rápido do documento – e, por isso, apesar de ser a primeira parte, o ideal é escrevê-la depois que o seu plano estiver concluído.

Seguir o sumário executivo é uma forma de conseguir responder perguntas importantes sobre o seu negócio.. Nele, é preciso conter:

  • O que é o negócio;
  • Missão;
  • Perfil dos empreendedores e dos funcionários desejados;
  • Produtos e serviços;
  • Segmento de clientes;
  • Localização da empresa;
  • Investimento total e indicadores financeiros;
  • Forma jurídica (individual ou sociedade);
  • Enquadramento tributário.

Nenhum dos itens do sumário precisa ser detalhado. Basta colocar de forma clara – pode ser escrito por tópicos. 

Exemplo:

O que somos?

A Bem Vestir é um e-commerce de moda plus size com foco na região Sudeste do país que une qualidade e preço justo.

Missão:

Moda é para todos e todas, independentemente do tamanho e da posição social. A nossa missão é fazer roupas que sigam as tendências mais quentes da estação vestindo da melhor forma possível corpos maiores, melhorando a autoestima das nossas clientes…

2. Análise de mercado

Outra importante etapa na elaboração do plano de negócios é a análise de mercado. É neste momento que você entende melhor quem são os seus potenciais clientes, concorrentes e fornecedores. Também é nesta etapa que você irá descrever os produtos ou serviços que a sua empresa vai oferecer.

Uma boa estratégia pode ser dar mais atenção à definição do seu público-alvo – afinal, são essas pessoas que farão as vendas acontecerem e o negócio girar.

Para saber quem é seu público-alvo, responda às seguintes perguntas:

  • Quem são meus clientes?
  • O que compram?
  • Por que compram?
  • Qual é a faixa de renda, nível de escolaridade e estado civil deles?
  • Onde moram e qual é o estilo de vida deles?
  • Se forem pessoas jurídicas, quem toma a decisão de compra na empresa?

Mas, atenção: o plano de negócio é um documento concreto. Em outras palavras, não o escreva usando somente a intuição ou especulando. Dados de mercado ou até mesmo pesquisas com potenciais clientes ajudam a trazer precisão ao racional.  

Exemplo:

Quem são meus clientes?

Mulheres de 25 a 45 anos que vestem tamanhos de 44 a 60 e que buscam roupas bonitas, antenadas com a moda e com preços justos.

O que compram?

São mulheres que compram mais online do que fisicamente. Compram frequentemente roupas, sapatos, cosméticos em geral, além de itens de decoração, livros…

3. Plano de marketing

O marketing traça as estratégias de posicionamento e venda do seu produto – ou seja, é a área que vai trabalhar para atender os desejos e necessidades dos seus clientes. 

Nos manuais de marketing existe uma premissa de que o negócio precisa, necessariamente, responder a regra dos “4 Ps”: Produto, Praça, Preço e Promoção. 

  • Produto: desenho das características do produto com os atributos que o cliente busca, como aparência, nome, entre outros detalhes;
  • Praça: onde esse produto será vendido, que tipo de esforço de venda será feito, por quais canais de distribuição… É essencial entender, também, em que praças os seus concorrentes estão para ter certeza de estar fazendo a melhor escolha;
  • Preço: é o valor pelo qual seu produto será vendido e se o seu cliente potencial será sensível a ele ou não. Mais uma vez, um comparativo com a concorrência cai bem;
  • Promoção: onde você vai anunciar e promover o seu produto –  além de entender o padrão de promoção (divulgação) da concorrência. 

Exemplo:

Produto: Camisetas, calças, shorts, coletes e kimonos, vestidos, blazers e moda praia.

Praça: Região sudeste do Brasil – cidades com mais de 100 mil habitantes…

Por fim, com o plano de marketing é possível entender o valor do seu produto pelas características dele, preço e qualidade. Em outras palavras, é preciso prever qual será o valor percebido do seu produto pelo seu cliente.

O principal desafio com a etapa do plano de marketing é fazer com que o seu público saiba que o seu produto existe e que ele satisfaz às necessidades dele. 

4. Plano operacional

O plano operacional é a descrição do “como fazer”. Ou seja, é o momento de descrever a localização, instalações físicas, equipamentos…Se o seu negócio for online, por exemplo, você precisa definir como será o atendimento, a plataforma do produto, a capacidade do site ou app, fluxo de compra, entre outros detalhes. 

Com o plano operacional, você consegue entender se precisa de funcionários, quantos são e quem são eles. 

Além disso, o plano também responde qual é a sua capacidade instalada – o quanto a empresa pode produzir, vender ou prestar serviços em um determinado período. 

Os fatores que determinam isso são:

  • Tempo demandado para o processo de venda ou prestação de serviço;
  • Quantidade e qualificação de funcionários;
  • Capacidade de distribuição e armazenamento;
  • Produtividade dos equipamentos;
  • Estoque ou prazos dos fornecedores. 

Exemplo:

Localização – a Bem Vestir está localizada na cidade de Jundiaí-SP, onde se localiza um estoque de 60 m2 com mais de 3 mil peças com capacidade de armazenagem e distribuição de até 6 mil peças…

5. Plano financeiro

O plano financeiro é uma das etapas mais importantes do plano de negócio. Aqui você coloca na ponta do lápis tudo o que envolve dinheiro: custos iniciais, despesas, receitas, capital de giro, fluxo de caixa e lucros. Também é preciso detalhar os custos com matéria-prima, fornecedores, equipamentos, espaço físico, salários, marketing, etc.

Ao fazer um plano financeiro, é preciso que o empreendedor tenha a dimensão de quanto capital é preciso investir para tirar a empresa do papel. 

Além dos custos e investimentos iniciais, é interessante que o plano de negócio também contenha as estimativas de lucro e faturamento da empresa. Afinal, se você for buscar um sócio ou um investidor, é aqui que o seu leitor vai dedicar mais atenção. 

Exemplo:

Tabela de custos fixos (lembrando que o ideal é descrever custos fixos, investimentos, capital de giro, entre outros).

Custos/despesas fixas mensaisTOTAL
SaláriosR$ 50.750,97
Aluguel galpãoR$ 8.000,00
Energia elétricaR$ 3.000,00
Manutenção
.
.
.
R$ 500,00
TOTALR$ 62.250,97

6. Análise de cenários e estratégia

A última etapa indicada pelo Sebrae para o plano de negócio tem relação com a análise de riscos. Afinal, todo negócio corre riscos, mas muitas vezes é possível prevê-los ou até ter um “plano b” engatilhado. 

A análise de cenários contempla simulações de situações não planejadas para entender como o seu negócio poderia colher bons frutos ou minimizar danos.

Prever e administrar esses riscos pode ser fundamental para o sucesso do negócio. Então, tente preparar cenários pessimistas e otimistas e pense em ações para prevenir as adversidades ou potencializar resultados favoráveis. Assim, na hora de sanar uma crise, você já terá pronta uma árvore de decisões que irá te direcionar – e diminuir as suas chances de erro.

Exemplo:

Fatores que ajudamFatores que atrapalham
ForçasFraquezas
Melhores materiaisMelhores preços em relação à concorrênciaMenor volume de estoqueMarca menos conhecida

Protocolos sanitários mais rigorososMaior procura por compras de roupas online pelos brasileiros
Crise causada pela pandemia de Covid-19Crescimento acelerados de e-commerces concorrentes
OportunidadesAmeaças


Uma ferramenta  que pode ajudar na elaboração é o software de plano de negócios do Sebrae. Nele, é possível ter um plano inicial sob medida apenas respondendo às perguntas que o próprio software te direciona, sem precisar criar um documento do zero.   

Este texto faz parte da missão do Nubank de lutar contra a complexidade do sistema financeiro para empoderar as pessoas – físicas e jurídicas. Com a conta PJ, queremos ajudar donos de pequenos negócios, empreendedores e autônomos a focarem no que realmente importa. Saiba mais.

5

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post