Pedir Conta e
Cartão de Crédito

em menos de 1 minuto
e grátis

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Complete os campos ao lado para pedir sua Conta e Cartão de crédito

Agora complete abaixo para pedir sua conta e cartão de crédito

Precisamos de um CPF válido
Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu e-mail. Precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Investimentos O que é CRI?

O que é CRI?

Na sopa de letrinhas dos investimentos, essa sigla representa uma das opções de produtos em renda fixa. Entenda.



O mundo dos investimentos é feito de siglas enigmáticas: LCI pra cá, RDB pra lá, taxa CDI e por aí vai. Entender o que elas significam é importante para quem quer começar a investir o seu dinheiro. Neste artigo, você vai  entender o que é CRI e se faz sentido para o seu perfil de investidor.

O que significa CRI?

CRI é a sigla para Certificado de Recebíveis Imobiliário, um produto de investimento que funciona de forma simples: trata-se de um título de renda fixa que representa a promessa de um pagamento futuro referente a imóveis.

Quando falamos em imóveis, logo vem à cabeça a imagem de prédios ou casas residenciais. Mas vale lembrar que o Certificado de Recebíveis imobiliários (CRIs) antecipa o crédito ao incorporador que também irá construir galpões logísticos, prédios comerciais ou escritórios, por exemplo. 

Quem emite CRI?

Os Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs) são emitidos exclusivamente por companhias Securitizadoras, diferente das LCIs, que são emitidas somente por instituições financeiras.

Vamos supor que uma construtora decide erguer um prédio, vende suas unidades e os compradores financiam seus apartamentos na planta. A empresa receberá o pagamento total ao longo de alguns anos, mas precisa de dinheiro agora para seguir com suas operações.

Assim, ela vai atrás de uma companhia securitizadora, que, de forma resumida, vai transformar essas vendas a prazo em títulos negociáveis no mercado.

Esses títulos – os CRIs – nada mais são do que pedaços da dívida que podem ser comprados por investidores.

Em outras palavras, o investidor que compra o CRI está ajudando a financiar o imóvel ao antecipar o valor que será recebido mais para frente, e vai receber juros em troca disso.

Isso vale para diversas situações no setor imobiliário, de financiamentos e construções a aluguéis de longo prazo.

CRI tem FGC?

Diferentemente de boa parte dos produtos em renda fixa, os Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) são investimentos sem proteção do Fundo Garantidor de Crédito (FGC). Ou seja, são mais arriscados. Os investidores dependem da capacidade de pagamento da empresa que tomou o financiamento – uma construtora ou incorporadora, por exemplo.

O que é investimento em CRI?

O Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI) é, portanto, uma aplicação em renda fixa ligada ao setor imobiliário. Uma importante característica, e que deve ser levada em consideração antes de investir em CRIs, é que os vencimentos costumam ser longos, na faixa de 3 a 5 anos – há casos em que podem levar mais de 10 anos.

Isso acontece porque os empreendimentos que dão origem aos papéis são de longo prazo (como a construção de um edifício) e os papéis, portanto, têm baixa liquidez.

Ou seja: essa não é uma aplicação para quem busca rendimentos a curto prazo. Quem decidir resgatar seu dinheiro antecipadamente corre o risco de perder os rendimentos.

Rentabilidade

Em termos de remuneração, os Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRI) seguem o padrão da maior parte dos investimentos de renda fixa, com uma relativa previsão de quanto o dinheiro irá render.

Os recebíveis imobiliários costumam seguir um desses modelos de remuneração:

Pré-fixada

Nesse formato, a taxa de juros é travada no momento da compra. Ou seja, o investidor sabe desde o início que seu investimento renderá aquele X% ao ano até o vencimento.

Pós-fixada

Já neste caso, a rentabilidade é atrelada a um indicador específico – como a Taxa Selic ou o CDI, por exemplo. Isso significa que, se houver mudança no indicador, o retorno da aplicação sofrerá variação para mais ou menos.

Além disso, também têm rendimento pós-fixado os CRIs que estão atrelados a um índice, como o de inflação (IPCA). Neste tipo, uma parcela de remuneração é pré-fixada (uma taxa mínima de rendimento) e outra pós-fixada (atrelada ao índice).

Imposto de Renda

Assim como outros investimentos em renda fixa (LCI e LCA), os rendimentos dos Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs) são isentos de Imposto de Renda. Ou seja, o valor da rentabilidade será igual ao valor líquido de retorno do seu investimento. 

O que é FII CRI? 

FII é a sigla para Fundo de Investimento Imobiliário. Essa é uma categoria de investimento coletivo, também livre de imposto de renda, em que várias pessoas colocam seu capital em um mesmo fundo. Ele, por sua vez, é administrado por uma empresa especializada em gestão de fundos.  

Dessa forma, o FII CRI é um fundo de investimento imobiliário que coloca grande parte do seu capital em recebíveis imobiliários, com o objetivo de balancear a carteira de investimentos. Ou seja: em vez de você investir diretamente em um CRI, o gestor do fundo distribuirá seu investimento entre vários CRIs de diferentes setores do mercado imobiliário. 

Resumindo: CRIs valem a pena?

Como em quase tudo no mercado financeiro, a resposta é: depende. Ao tomar essa decisão, vale a pena lembrar dos principais pontos que caracterizam o Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI):

  • São investimentos de renda fixa;
  • Não têm proteção do FGC;
  • São isentos de Imposto de Renda e IOF;
  • Costumam ter baixa liquidez;
  • Podem ter rendimentos nos formatos pré-fixado, pós-fixado ou atrelado à inflação.

A baixa liquidez é o principal ponto de atenção: CRI não são aplicações indicadas para quem pode precisar desse dinheiro. Neste caso, vale mais a pena deixá-lo rendendo em um investimento de baixo risco e com liquidez diária ou imediata.

Quer saber mais sobre investimentos? Veja os artigos sobre esse tema:

Guia para entender investimentos e por onde começar a investir

RDB: entenda esse tipo de investimento

O que é renda variável e como funciona?

O que é o Tesouro Direto?

Como funciona o RDB da conta do Nubank?

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Ainda não conhece o Nubank? Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história.

4.71

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post