Pedir Conta e
Cartão de Crédito

em menos de 1 minuto
e grátis

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Investimentos O que é CDB com liquidez...

O que é CDB com liquidez diária e quando ele é indicado?

Ao escolher um investimento, um dos fatores para levar em conta é o tempo que o dinheiro demora para ser resgatado. Entenda como isso funciona nos CDBs de liquidez diária.



Na hora de investir, um dos fatores mais importantes para levar em conta é com que rapidez você pode precisar do dinheiro – você pode esperar dias, semanas ou meses para resgatá-lo? Ou pode precisar de um dia para o outro? Se for o segundo caso, um dos investimentos mais populares é o CDB com liquidez diária.

Liquidez é a capacidade de um investimento se transformar em dinheiro. Ou seja, em quantos dias esse dinheiro vai ficar disponível na sua conta após o resgate. Isso quer dizer que quanto mais rápido for esse processo, mais liquidez seu investimento terá. Ela varia de investimento para investimento: pode ser diária, mensal etc.

Ganhe controle sobre suas finanças: assine nossa newsletter para receber conteúdo exclusivo.

Como o próprio nome diz, um CDB com liquidez diária permite que esse resgate do dinheiro seja feito em qualquer dia útil. Por isso, ele é indicado para aquela parcela do seu patrimônio que não pode ficar presa.

A seguir, entenda o que é e como funciona um CDB com liquidez diária.

O que é CDB?

CDB é a sigla para Certificado de Depósito Bancário. Ele é um investimento de renda fixa emitido por instituições financeiras privadas. O CDB é um título que funciona como um empréstimo a um banco: você empresta seu dinheiro para a instituição financeira e recebe de volta com juros.

Quando um banco precisa captar dinheiro para financiar suas próprias atividades, ele lança títulos (os CDBs) com valores, vencimentos e taxas estipuladas antecipadamente. E as pessoas podem investir nesses títulos.

Vale ressaltar que o CDB conta com a garantia do FGC – Fundo Garantidor de Créditos. Ele é uma espécie de “seguro” do investidor e entra em ação em caso de falência do banco emissor do CDB, por exemplo.

O valor total coberto pelo FGC é de até R$ 250 mil por CPF e por instituição financeira, com um limite de R$ 1 milhão por CPF renovado a cada período de quatro anos. 

Como funciona um CDB?

Quando você investe em um CDB e assim, empresta dinheiro para um banco, vai receber em troca o seu dinheiro de volta mais uma rentabilidade. Na data de vencimento, retornarão para você o valor principal investido mais os juros. Ou, em outras palavras, o lucro.

Todo CDB tem um prazo de vencimento e eles são bem variados. Esses títulos costumam ser emitidos para períodos que variam entre 30 dias e 5 anos. Portanto, nessa modalidade é possível fazer investimentos tanto de longo prazo como de curto prazo.

Outra característica importante dos CDBs é a liquidez. Em alguns casos o dinheiro investido só pode ser resgatado de volta na data de vencimento. Isso quer dizer que o valor da aplicação fica preso. Já um CDB com liquidez diária dá mais flexibilidade, pois a quantia investida pode ser resgatada a qualquer momento, em até um dia útil.

O que é liquidez de um investimento?

Antes de mais nada, liquidez é a agilidade de transformação de um investimento em dinheiro. Normalmente, ela é indicada pela sigla “D+” seguida pelo número de dias úteis necessários para que o dinheiro retorne à conta corrente ou à conta da corretora. Por exemplo, D+0, D+1, D+30 etc.

Quando você vir um investimento que diz D+0, quer dizer que a solicitação de resgate, se feita dentro do horário limite estipulado, será creditada na sua conta ainda no mesmo dia. Se for D+1 significa que, quando solicitado o resgate, o dinheiro entrará na sua conta no próximo dia útil do pedido de resgate. Quando for D+30, por exemplo, o dinheiro só retornará para você 30 dias úteis após o pedido de resgate e por aí vai. 

Geralmente, é possível conferir todas as informações sobre a liquidez e o horário limite para solicitações de resgate de um investimento na plataforma da corretora ou banco onde você fará a aplicação. 

O que é CDB com liquidez diária?

O CDB com liquidez diária funciona da mesma maneira que outros CDBs disponíveis no mercado de investimentos. A diferença é que ele pode ser resgatado a qualquer momento, em até um dia útil.

Ele é indicado para quem quer ter a liberdade de ter o dinheiro em mãos quando quiser. Assim, se surgir um imprevisto e você precisar da quantia antes do prazo final, basta fazer o resgate do seu investimento.

O CDB com liquidez diária está entre os investimentos mais indicados para quem quer investir no curto prazo com segurança.

Quanto rende um CDB com liquidez diária?

Pode parecer complexo entender quanto rende um CDB com liquidez diária, mas não é. Você já deve ter visto um exemplo de CDB que tenha rentabilidade de 100% do CDI e se perguntado o que significa. Antes de tudo, é muito importante se atentar a essas três letrinhas.

CDI é a sigla para Certificado de Depósito Interbancário. O CDI ou, simplesmente DI, é uma taxa de juros interbancários, ou seja, que os bancos utilizam para fazer operações entre eles mesmos, e que costuma ser muito próxima à Selic, a taxa básica de juros da economia brasileira. 

Exemplo: se a Selic estiver em 10% ao ano, o CDI estará em 9,90% ao ano. Portanto, quando vir um anúncio de investimento pagando 100% do CDI, significa que ele vai te devolver no ano os 9,90% de rentabilidade.

É importante dizer que o Comitê de Política Monetária (Copom) define a cada 45 dias quanto ficará a taxa Selic, que pode sofrer uma redução, aumento ou ficar estável. É justamente por conta das variações da taxa Selic que um CDB de 100% do CDI, por exemplo, apresenta variação de rentabilidade. Ela pode ser maior ou menor, mas sempre renderá positivamente todos os dias.

Essa rentabilidade, que segue a taxa Selic, é bruta. O CDB faz parte das aplicações tributáveis, isto é, é preciso pagar Imposto de Renda sobre o lucro conforme tabela regressiva do IR. Vale lembrar que o IR é descontado na fonte pelo emissor, no caso, o banco que emitiu o CDB. 

Pode existir também cobrança de IOF (Imposto sobre Operações Financeiras), mas só se você fizer o resgate com menos de 30 dias do início da aplicação. Ou seja, quanto mais tempo você deixar seu CDB lá parado, sem resgatar, menos imposto pagará em cima do que o seu dinheiro render.

Por causa dos impostos, é importante acompanhar o saldo líquido do CDB. Ele mostra o valor que você possui com as tributações já descontadas.

Tipos de rentabilidade

Ao investir em CDB, existem duas condições importantes para ficar de olho: o prazo e a taxa de juros que esse título vai pagar. Os juros, por sua vez, são calculados de acordo com o tipo da rentabilidade escolhida. São 3 tipos:

Prefixada: remuneração previamente fixada. Faça chuva ou faça sol, você vai ganhar a rentabilidade combinada levando o título até o vencimento. É indicada para cenários em que a expectativa é de queda da taxa de juros.

Pós-fixada: você só saberá quanto vai ganhar lá no fim do investimento, na hora do resgate. É atrelada a um indexador de referência, como por exemplo o CDI – que rende algo próximo à taxa Selic. 

Existem no mercado CDBs que rendem 90% do CDI, 100% do CDI, 105% do CDI e por aí vai. Não se sabe quanto vai ganhar, mas se sabe o que vai ganhar. É indicada para cenários em que a expectativa é de subida ou manutenção da taxa de juros.

Híbrida (mista): é uma mistura que combina características da prefixada e da pós-fixada. Exemplo: CDB que rende 3% ao ano (prefixada) + IPCA (pós-fixada). Garante uma rentabilidade de 3% ao ano mais o IPCA do período, protegendo seu dinheiro da inflação.

Como funciona o resgate antecipado para CDB com liquidez diária

Imprevistos acontecem e nem sempre dá para levar os investimentos até o dia do vencimento como planejado.

Por isso, o CDB com liquidez diária pode ser resgatado antecipadamente pelo valor investido acrescido de juros até o momento, ou seja, ele é marcado pela curva de juros do papel.

Traduzindo: a marcação na curva do papel é um método utilizado para correção diária das aplicações de renda fixa sem depender do valor de mercado. Dessa forma, o investidor consegue ver diariamente os juros do investimento.

Na hora de resgatar, é possível escolher entre resgatar apenas algumas unidades (resgate parcial) ou o valor total. O emissor do título, ou seja, o banco que emitiu o CDB o compra de volta. A corretora, neste caso, faz apenas a intermediação.

A dica é tentar se planejar ao máximo para não precisar resgatar o título antes do vencimento. Lembre-se que o resgate antecipado é um serviço para ser acionado em momentos de emergências.

Na NuInvest, por exemplo, o custo é zero para solicitar o resgate de CDBs com liquidez diária. Os investimentos de renda fixa podem ser resgatados antes do vencimento pelo valor de mercado, caso haja disponibilidade de recompra pela corretora. 

Resgate antecipado nos investimentos é uma boa opção?

Diferença de liquidez diária e liquidez no vencimento

Os CDBs têm dois principais tipos de liquidez: diária ou no vencimento. Veja como cada uma delas influencia nos seus investimentos:

Liquidez diária: as aplicações com liquidez diária são aquelas em que o investidor pode solicitar o resgate do valor aplicado e de seu respectivo rendimento (proporcional ao tempo de aplicação) a qualquer momento. Em resumo: rende menos, o resgate pode ser feito em qualquer dia útil e é boa opção para quem pode precisar do dinheiro.

Liquidez no vencimento: nas aplicações com liquidez no vencimento, o investidor receberá o valor aplicado mais uma rentabilidade na data de vencimento. A taxa de retorno é informada no momento da compra. Em caso de emergência, você poderá solicitar o resgate antecipado pelo valor de mercado, que pode inclusive ser menor do que o aplicado em alguns casos. Em resumo: rende mais, o resgate é só no dia do vencimento, é boa opção para quem pode aguardar até o prazo final e não precisa contar com esse dinheiro. 

CDB com liquidez diária para reserva de emergência

Ninguém está livre dos imprevistos da vida. Uma despesa médica de última hora, um gasto inesperado ou uma situação de desemprego pode pegar qualquer um de surpresa. Eles acontecem o tempo todo e é aí que entra a reserva de emergência, que nada mais é do que aquele dinheiro guardado que serve de colete salva-vidas nos momentos de aperto.

Os investimentos mais indicados para compor uma reserva de emergência são aqueles que apresentam maior segurança, poucas oscilações de preço e que tenham alta liquidez (resgates em D+0 ou D+1, por exemplo). Afinal, trata-se de uma emergência e você precisará desse dinheiro rapidamente. 

Entre os investimentos que podem ser usados para uma reserva de emergência estão  CDBs com liquidez diária, Tesouro Selic e fundos de renda fixa referenciados DI, ou simplesmente Fundos DI, que são atrelados à taxa CDI.

Essas opções são consideradas de baixo risco, têm rentabilidade maior que a poupança e possuem alta liquidez para a composição de uma reserva de emergência.

CDB ou poupança: como escolher na hora de investir?

Leia também:

CDB no Nubank: como funciona?

Rendimento e liquidez: entenda os termos

Como identificar a liquidez de um investimento

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Ainda não conhece o Nubank? Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história.

3.56

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post