Pedir Conta e
Cartão de Crédito

em menos de 1 minuto
e grátis

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Complete os campos ao lado para pedir sua Conta e Cartão de crédito

Agora complete abaixo para pedir sua conta e cartão de crédito

Precisamos de um CPF válido
Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu e-mail. Precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Seu Dinheiro Guardar Dinheiro Reserva de emergência: o...

Reserva de emergência: onde investir?

Imprevistos podem acontecer a qualquer momento, e ter uma reserva de emergência é fundamental. Tão importante quanto fazer essa economia é saber onde guardá-la, para que não desvalorize. Entenda o que fazer.



Quando o assunto é reserva de emergência, cada um tem uma ideia diferente e muito particular. Há analistas que defendem que ela deve ser equivalente a seis salários, outros dizem que três bastam, mas todos concordam em um ponto: o dinheiro deve estar guardado em um lugar de fácil acesso. Afinal, a reserva de emergência é acionada em casos urgentes – e nunca sabemos quando eles irão acontecer.

Imagine o seguinte cenário: você fez uma reserva de emergência e a manteve guardada para quando precisasse. Até aí, tudo certo. Mas colocou em um fundo de investimentos que só permite resgatar depois de um ano de aplicação. Isso é a mesma coisa de simplesmente não ter o dinheiro disponível.

Veja, abaixo, algumas boas práticas com sua reserva de emergência, e o que fazer para não deixar que o dinheiro parado se desvalorize. 

Antes, o que é e como fazer uma reserva de emergência?

A reserva de emergência é aquele dinheiro que você tem disponível para a sua segurança. É ele que te salva na hora dos imprevistos, como um carro quebrado, celular pifado, gastos com saúde, entre outros problemas inesperados.

Mais da metade dos brasileiros (52,1%) não tem o hábito de poupar, de acordo com pesquisa da CNDL – seja porque toda a renda é comprometida com gastos básicos, seja porque não tem o costume. Entre os brasileiros que poupam, 49,8% fazem isso para se proteger contra imprevistos.

Se você quer criar uma reserva de emergência e ter um dinheirinho para esses sustos financeiros, comece com o passo a passo abaixo:

1. Organize suas despesas

Controle financeiro é fundamental para que você entenda onde é possível apertar o cinto, e quais gastos são indispensáveis no seu cotidiano. Tente mapear tudo o que entra e o que sai da sua conta antes de estipular quanto (e se) você pode guardar uma quantia mensal.

É importante destacar que nem todas as pessoas vivem contextos financeiros que permitem guardar dinheiro (ainda mais no contexto da pandemia de Covid-19). Ou seja, se hoje a sua situação está difícil, concentre-se primeiro em pagar as dívidas e caminhe passo a passo até o momento de guardar dinheiro.

Leia aqui um artigo que dá dicas para você começar a poupar.

2. Guarde um pouco todo mês

O valor que você vai guardar é menos importante do que o ato de guardar em si. Defina um valor fixo mensal e estabeleça a rotina de separar esse dinheiro. Se em algum mês os gastos forem maiores e você não conseguir guardar, tá tudo bem. O importante é não desistir de guardar sempre que você puder. 

Qual o valor ideal da reserva de emergência?

A maior parte dos analistas financeiros acredita que a quantia ideal para uma reserva de emergência é correspondente a seis salários de quem vai guardar o dinheiro. 

Porém, definir um valor fechado ideal é um jeito muito simples de se pensar na reserva, porque vai depender do padrão de vida de cada pessoa. Ou seja, o que é suficiente para uma pessoa pode ser pouco para outra. 

Falando em números, esse valor pode ser o equivalente de três a 12 meses de salário – e só você é capaz de decidir qual o valor ideal para o seu planejamento.

Onde investir a reserva de emergência?

A resposta para essa pergunta é muito importante, porque a sua reserva de emergência precisa estar disponível a qualquer momento. Guardar o valor em dinheiro físico em casa, mesmo que seja em um cofre, pode não ser seguro. Mantê-lo na conta corrente faz você perder dinheiro em taxas e desvalorização.

Então, onde é o lugar ideal para manter esse dinheiro? Isso depende do seu perfil. Veja, abaixo, algumas opções.

Poupança

Oito em cada dez brasileiros ainda investem na poupança mesmo com outras opções mais vantajosas no mercado. Isso porque a poupança é uma velha conhecida, além de ser um investimento seguro e que permite realizar saques a qualquer momento.

Apesar de ser uma opção fácil de entender e lidar, a poupança não é a melhor escolha na hora de investir o dinheiro da sua reserva de emergência. Isso porque o rendimento dela é atrelado à Taxa Selic – uma das taxas básicas da economia – e também à Taxa Referencial, calculada diariamente pelo Banco Central. E qual é o problema disso?

A questão é que a poupança rende, ao ano, 70% da Selic. E, embora os saques possam ser realizados a qualquer momento, você não deveria sacá-los antes de 30 dias do aniversário do depósito. Isso porque os rendimentos são calculados só depois de completar 30 dias do depósito. E ainda há outros motivos para não deixar seu dinheiro aplicado na poupança.

Além disso, o rendimento de 70% da Selic está longe de ser a melhor opção do mercado. Na conta do Nubank, por exemplo, seu dinheiro rende mais do que a poupança, e é um investimento tão seguro quanto ela. Veja aqui como funciona.

Renda fixa

A renda fixa é um tipo de investimento com bons níveis de segurança, e com ele é possível ter clareza sobre os rendimentos. Existem dois tipos de investimentos de renda fixa. Veja os detalhes abaixo.

Renda fixa prefixada

Nesse tipo de investimento você sabe exatamente qual será o retorno ao fim da aplicação. Por exemplo: 6% ao ano. São exemplos de renda fixa prefixada: LCI/LCA, Tesouro Prefixado ou Tesouro Direto e CDB.

Renda fixa pós fixada

É quando o rendimento está ligado a algum outro índice da economia – por exemplo, quando falamos de 100% do CDI. Nestes casos, as pessoas que investem sabem que o dinheiro vai render de acordo algum valor específico, que varia.

Não é possível saber exatamente quanto ele vai render ao fim da aplicação, porque há flutuações, mas é fácil e seguro calcular esse valor.

Conta do Nubank

A conta do Nubank não tem tarifas de manutenção, taxas escondidas ou cobranças abusivas. Na opção “Guardar Dinheiro”, ela rende 100% do CDI, com liquidez diária – o dinheiro pode ser resgatado a qualquer momento porque o rendimento acontece diariamente.

Ou seja, a conta do Nubank é uma excelente opção para investir sua reserva de emergência.

Veja aqui detalhes sobre como criar uma reserva de emergência na conta do Nubank.

Importante: Independentemente da sua escolha de onde guardar a sua reserva de emergência (poupança, fundos de renda fixa ou conta do Nubank), é importante sempre ter em mente que precisa ser um local em que o dinheiro possa ser resgatado a qualquer momento. Ou seja: nunca guarde a sua reserva de emergência em fundos de investimentos que fiquem travados por um determinado prazo.

Quer saber mais sobre como guardar dinheiro? Leia também:

Qual a diferença entre guardar e investir?

Regra dos 72: como ela funciona e por que ajuda nos investimentos 

Planejamento de curto e longo prazo: quais são as diferenças?

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história aqui.

3.91

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post