Pedir Conta e
Cartão de Crédito

em menos de 1 minuto
e grátis

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Investimentos O que é o Tesouro Selic?

O que é o Tesouro Selic?

Um dos títulos do Tesouro Direto mais populares, o Tesouro Selic tem seu rendimento atrelado à taxa básica de juros da economia e possui baixo risco. Conheça.



Tesouro Direto suspenso: Um Tesouro com joias e outros itens dentro de um círculo roxo e com um losango ao seu redor.

Se você está se aventurando pelo mundo dos investimentos já deve ter visto o termo Tesouro Direto por aí. Esse é o nome do programa do Tesouro Nacional, criado em 2002, para que pessoas físicas possam comprar títulos públicos emitidos pelo governo de um jeito simples e pela internet. Existem vários tipos de Tesouro Direto disponíveis para investimento, e um dos mais conhecidos é o Tesouro Selic.

Na prática, ao comprar um título do Tesouro Direto, você empresta dinheiro para o governo e, em troca, recebe o valor aplicado de volta acrescido de juros. Em outras palavras, recebe com lucro. A diferença é que, no caso do Tesouro Selic, o rendimento acompanha a taxa básica de juros da economia, a Selic

Ganhe controle sobre suas finanças: assine nossa newsletter para receber conteúdo exclusivo.

Ou seja, quando ela sobe, o rendimento desse tipo de investimento também aumenta. 

Quer saber mais sobre isso? Confira, abaixo, o que é o Tesouro Selic, como ele funciona e quais as suas vantagens. 

O que é Tesouro Selic?

O Tesouro Selic é um título público do governo cuja rentabilidade está atrelada à taxa básica de juros da economia, a Selic. Por isso, ele é um investimento de renda fixa pós-fixado.

Os títulos pós-fixados são aqueles que dependem do desempenho de um indicador. Esse indicador pode ser a Selic, o IPCA, o IGP-M, entre outros. Assim, não é possível saber com exatidão qual será o valor do rendimento, pois ele dependerá da oscilação do indicador de referência. Sua vantagem é que a rentabilidade é sempre positiva e permite venda antecipada sem grandes perdas.

Antes, o Tesouro Selic era conhecido pelo nome técnico LFTs (Letras Financeiras do Tesouro), e era negociado com este nome na plataforma do Tesouro Direto.

Não lembra como funcionam os títulos do Tesouro Direto? Saiba mais.

Assim como os demais títulos públicos, o Tesouro Selic tem as seguintes características:

  • Possui uma data de vencimento;
  • Tem um valor mínimo de aplicação, que pode variar diariamente;
  • Tem preço unitário – o valor de um título inteiro;
  • Sofre tributação do Imposto de Renda, taxa de custódia e IOF no caso do resgate em menos de 30 dias; veja detalhes sobre os impostos do Tesouro Direto mais abaixo;
  • Tem alta liquidez, ou seja, pode ser resgatado a qualquer momento.

Como funciona o Tesouro Selic?

Quando você compra um título do Tesouro Direto, está emprestando dinheiro ao governo. Em troca, na data de vencimento, recebe a quantia de volta acrescida de juros, que são os lucros da aplicação.

O Tesouro Nacional garante as aplicações no Tesouro Direto. Por isso, elas são as mais seguras do mercado brasileiro.

Além disso, dá para começar a investir no Tesouro Selic com pouco mais de R$ 100. 

Indicado para reserva de emergência

O Tesouro Selic é considerado um dos títulos mais simples do programa e, por isso, é o mais indicado para quem quer começar a investir.

Ele é adequado para quem investe com objetivos de curto prazo, pois tem maior liquidez e rentabilidade na hora do resgate, e também para construir uma reserva de emergência. Isso porque, entre os títulos disponíveis, ele é o que possui menor risco no caso de resgate ou venda antecipada.

Em outras palavras, caso seja necessário vender o título e resgatar o dinheiro aplicado, o investidor perde menos em comparação aos demais títulos do Tesouro.

Contudo, sua rentabilidade depende da taxa básica de juros. Se ela cair, o título renderá menos.

Mas ele também pode valer a pena para quem investe com objetivos de longo prazo em mente, já que o valor pode ser resgatado em sua data de vencimento, normalmente, cinco anos após a aplicação.

No site do Tesouro Direto, é possível simular aplicações nos diferentes títulos disponíveis, avaliando rendimento, impostos e até o seu vencimento.

Qual o rendimento do Tesouro Selic?

O rendimento do Tesouro Selic acompanha a taxa básica de juros da economia, a Selic. Além disso, a rentabilidade é somada a um pequeno percentual adicional, informado logo no momento da aplicação.

A taxa Selic funciona no mercado como taxa “mãe” e serve de parâmetro para todas as outras. O Copom (Comitê de Política Monetária do Banco Central) define o valor da Selic em reuniões a cada 45 dias.

Ela é um dos instrumentos que o BC usa para conter o avanço da inflação. Isso acontece porque, com a inflação mais alta, as pessoas compram menos. Então, quando aumenta a Selic, o governo encarece o crédito, desestimulando o consumo. Com isso, a inflação tende a diminuir.

A remuneração do Tesouro Direto é pós-fixada porque está atrelada a taxa de juros.

Qual a diferença do Tesouro Selic para os outros títulos?

A principal diferença entre o Tesouro Selic e os demais títulos do Tesouro Direto é o tipo de rentabilidade. Enquanto esse investimento segue a oscilação da taxa básica de juros da economia, os demais acompanham outros indicadores.

Veja quais são eles: 

Tesouro Prefixado

Esse título do Tesouro Direto antigamente era conhecido como Letra do Tesouro Nacional, ou LTN. Trata-se de um título, como o nome já diz, prefixado. Isso significa que sua rentabilidade é definida no momento da compra – oferecendo previsibilidade.

O fluxo de pagamento do título prefixado é simples, ou seja, você investe e recebe o valor de face (total investido mais a rentabilidade) na data de vencimento. No entanto, isso ocorrerá desde que o título seja mantido até a data final acordada na compra. 

Caso o dinheiro seja resgatado antes do vencimento, o título será vendido pelo valor de mercado naquele dia, que pode ser maior ou menor do que o preço que você pagou por ele. 

Tesouro Prefixado com Juros Semestrais

Também prefixado, esse título do Tesouro Direto era chamado de Nota do Tesouro Nacional – Série F, ou NTN-F. Sua diferença para o título anterior é que, semestralmente, há o recebimento de juros, o que pode significar aumento de liquidez e a chance de reinvestir.

Tesouro IPCA

O Tesouro IPCA+ é um título híbrido. Em outras palavras, parte da remuneração é pós-fixada, pois acompanha a variação do IPCA durante o período de investimento, e a outra é prefixada. Ou seja, é composta por uma taxa fixa, que na sigla é representada pelo símbolo “+”.

O grande diferencial do Tesouro IPCA+ é que ele permite que o investidor mantenha sua rentabilidade real, ou seja, acima da inflação, e o poder de compra ao longo do tempo. 

Tesouro IPCA com Juros Semestrais

Outro título com pagamento a cada seis meses é o Tesouro IPCA com Juros Semestrais. Ele permite que você mantenha sua rentabilidade em termos reais e poder de compra ao longo do tempo — pois está protegido das flutuações do IPCA.

Diferentemente do título anterior, este é pós-fixado e está atrelado ao IPCA, sendo indicado para quem deseja guardar dinheiro a médio e longo prazos para objetivos como aposentadoria, compra de imóvel ou outro bem de alto valor.

Qual a liquidez do Tesouro Selic?

A liquidez do Tesouro Selic é diária. Ou seja, pode ser resgatado a qualquer momento, em no máximo um dia útil. Isso ocorre porque o Tesouro Nacional garante a compra do t

O próprio governo compra seus títulos de volta no instante em que desejar vendê-los. Os resgates podem ser feitos nos dias úteis, em horário comercial, das 9h30 às 18h. 

Para receber o dinheiro de volta no mesmo dia, é preciso solicitar o resgate até as 13h. Após esse horário, o dinheiro cairá na sua conta da corretora no próximo dia útil. 

Também é possível pedir o resgate do Tesouro Selic aos fins de semana e feriados, mas a solicitação será efetivada só no próximo dia útil, e levando em conta as taxas e preços desse dia. 

Qual o Imposto de Renda para o Tesouro Selic?

A tributação do Tesouro Selic é do tipo simplificada. O Imposto de Renda é cobrado somente no vencimento do título ou em caso de venda antecipada.

Já a alíquota do Imposto de Renda é regressiva. Ou seja: quanto mais tempo você investe nele, menos paga. Veja os detalhes abaixo.

  • Até 180 dias: 22,5%;
  • Entre 181 e 360 dias: 20%;
  • Entre 361 e 720 dias: 17,5%;
  • Acima de 720 dias: 15%.

Apenas os lucros do investimento têm incidência de Imposto de Renda, e não o montante principal. Além disso, a corretora recolhe o imposto na fonte. Em outras palavras, a tributação já é recolhida automaticamente na sua conta da corretora, facilitando a sua organização financeira e evitando problemas com a Receita Federal.

Taxa de custódia

Quem investe no Tesouro Direto precisa pagar uma taxa de custódia de 0,20% ao ano para a Bolsa de Valores brasileira, a B3. É que a instituição financeira é responsável por guardar todos os títulos e também registrar as informações e movimentações dos saldos financeiros dos investidores.

A taxa é isenta para aplicações de até R$ 10 mil. Mas acima desse valor, é cobrada direto na sua conta da corretora.

Como investir no Tesouro Selic?

Para investir no Tesouro Selic ou qualquer outro título do Tesouro Direto é preciso somente ter CPF e uma conta em uma instituição financeira, seja um banco ou corretora de valores habilitados para realizar seu investimento. 

Essas instituições atuam como os chamados “agentes de custódia” e são os responsáveis por cadastrar os investidores do Tesouro junto à BM&FBovespa e também por intermediar a transferência dos valores investidos e dos títulos. Todos os títulos comprados pelo investidor ficam em sua conta de custódia na BM&FBovespa, em seu nome, rendendo até o momento do saque.

É possível comprar e vender títulos o Tesouro Selic, ou outro título, em três canais:

  • através do site do Tesouro Direto;
  • do site de sua instituição financeira – normalmente, na plataforma de investidor;
  • e através de sua própria instituição, autorizando-a a negociar títulos em seu nome (nem todas, entretanto, oferecem essa possibilidade).

Leia também: 

Tesouro IPCA+: o que é e como funciona esse investimento

Como investir no Tesouro Direto pelo app NuInvest?

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Ainda não conhece o Nubank? Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história aqui.

3.84

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post