Pedir Conta e
Cartão de Crédito

em menos de 1 minuto
e grátis

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Seu Dinheiro O que é rentabilidade? ...

O que é rentabilidade? Como calculá-la?

Rentabilidade é o mesmo que rendimento? Veja no que é preciso ficar atento na hora de decidir se um investimento tem ou não a tal boa rentabilidade.

Rentabilidade da poupança, rentabilidade do CDI… Quando falamos de investimentos, um termo que sempre aparece é a rentabilidade – e não à toa: ela é uma das características mais importantes de um investimento e que vai determinar quanto o investidor ganhará por aquela aplicação. Mas o que é rentabilidade, exatamente? 

Rentabilidade – o que é? 

Basicamente, a rentabilidade é a taxa de quanto sua aplicação vai pagar sobre o valor investido – em outras palavras: ela é uma porcentagem que indica o quanto você irá ganhar. 

Uma rentabilidade de 5% ao ano, por exemplo, indica que depois de um ano investido, você terá essa porcentagem de retorno sobre o investimento inicial – se tiver investido R$ 5 mil, portanto, esse retorno será de R$ 250, o equivalente a 5% de R$ 5 mil.

Rentabilidade e rendimento

O Rendimento é um número – o valor que você receberá como retorno daquele investimento. Já a rentabilidade é um percentual de quanto seu investimento terá/teve de retorno. No exemplo acima, o rendimento do investimento foi de R$250, enquanto a rentabilidade foi de 5%. 

Entender a rentabilidade e calcular de quanto ela será depois de determinados períodos de tempo é essencial – afinal, é ela quem determina, em grande parte, se o investimento valerá a pena ou se é o mais adequado para seus objetivos.

Tipos de rentabilidade 

A rentabilidade pode ser indicada de duas maneiras diferentes: bruta ou líquida. A bruta não considera os descontos de impostos, taxas administrativas e operacionais cobradas no vencimento ou resgate do investimento; a rentabilidade líquida é aquela que já sofreu esses descontos – portanto, o quanto você realmente ganhou em cima do montante aplicado.

É importante dizer também que se tratando de investimentos, maior será a rentabilidade quanto maior for o prazo da aplicação. Isso acontece pois o valor é corrigido por juros compostos, o famoso juros sobre juros.

Rentabilidade nominal e rentabilidade real 

A rentabilidade pode ser considerada de duas formas diferentes: a rentabilidade nominal e a rentabilidade real.

  • Rentabilidade nominal: a rentabilidade nominal é aquela que o investimento apresenta no período considerado, o quanto a aplicação terá de retorno; ela não considera a inflação. Não são necessários grandes cálculos para entendê-la. 
  • Rentabilidade real: a rentabilidade real é aquela que, diferente da nominal, considera a inflação do período e a desconta para descobrir a verdadeira rentabilidade da aplicação. 

E por que existe essa diferença? Simples: para que o investidor entenda a diferença entre ver o dinheiro render e, de fato, aumentar seu patrimônio. 

A rentabilidade real é aquela que vai garantir o aumento do poder de compra. Se a rentabilidade for igual ou menor do que a inflação do mesmo período da aplicação, não houve aumento no poder de compra.

Por exemplo: um investimento com rentabilidade nominal de 5% ao ano, em um ano com inflação de 5%, não teve rentabilidade real.  

Isso não significa que não houve rentabilidade, mas sim que ela não foi “real” pois não foi maior do que a inflação no período.

Como calcular a rentabilidade?

Os investimentos em renda fixa são os únicos que indicam o quanto seu dinheiro vai render logo no momento da aplicação. Por isso, em alguns casos, o cálculo da rentabilidade do investimento é feito depois de seu resgate ou vencimento.

São considerados três principais fatores para calcular a rentabilidade de um investimento: os impostos cobrados, as taxas administrativas e operacionais que são cobradas e a inflação do período.

Basicamente, com esses números em mãos basta seguir a seguinte fórmula:

Rentabilidade = Rendimento Líquido x 100 / Valor Investido

Lembrando que o rendimento líquido é aquele que já foi sofreu o desconto dos impostos, taxas e também considerou a inflação do período; ele deve ser numérico e não em porcentagem. 

Um exemplo: um investimento de R$ 10.000, com rendimento bruto de R$ 2 mil; o único imposto cobrado é o IR, de 17,5%, e não são cobradas taxas.

Portanto, o rendimento líquido seria de R$ 1.650, que considera o desconto de 17,5% do Imposto de Renda. A rentabilidade será de: 1.650 x 100 / 10.000 = 16,5%.

Vale dizer que para investimentos em renda variável, esse cálculo não é tão preciso e nem segue essa fórmula. O mais adequado é pedir o auxílio de algum profissional ou da instituição onde seus investimentos são feitos. 

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Ainda não conhece o Nubank? Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história aqui.

4.38

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post