Pedir Conta e
Cartão de Crédito

em menos de 1 minuto
e grátis

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Seu Dinheiro Imposto de Renda Como declarar investimen...

Como declarar investimentos de renda fixa no Imposto de Renda?

Todos os ativos desta categoria de investimentos precisam ser declarados no IR, incluindo os que são isentos de pagar o imposto. Confira os detalhes.



O Imposto de Renda nos investimentos é um assunto que pode assustar muita gente. Mas a boa notícia é que, com planejamento e atenção, as chances de ter problemas com o leão diminuem. Por isso, entender como declarar investimentos de renda fixa no IR pode te ajudar a declarar suas aplicações financeiras neste ano.

A regra é clara. Todas as pessoas que receberam rendimentos tributáveis em 2021 acima de R$ 28.559,70 precisam fazer a Declaração Anual do Imposto de Renda de 2022. Existem ainda outras regras que podem te obrigar a declarar.

Ganhe controle sobre suas finanças: assine nossa newsletter para receber conteúdo exclusivo.

Veja as principais condições, considerando as regras de 2021: 

  • Pessoas que receberam rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma foi superior a R$ 40 mil; 
  • Quem teve, até o último dia do ano, bens e direitos com valor acima de R$ 300 mil (imóveis, investimentos, por exemplo);
  • Quem investiu qualquer valor em Bolsas de Valores, mercado de capitais ou similares. Entenda mais aqui;
  • Teve receita bruta acima de R$ 142.798,50 em atividade rural;
  • Passou a ser residente no Brasil a partir de 01/01/2021 e manteve essa residência até 31/12/2021;

Investidores que tinham títulos de renda fixa com saldo superior a R$ 140 em 31/12/2021, como Tesouro Direto e CDBs, e até mesmo os isentos, como LCI, LCA e caderneta de poupança, precisam incluir esses investimentos em sua declaração. Lembrando que nem sempre será necessário pagar o imposto, mas declarar os investimentos ainda assim é necessário.

Importante: o texto abaixo é uma forma de ajudar na sua busca por informações. Em caso de dúvidas, procure um contador ou profissional qualificado para auxiliar na sua declaração.

Confira, a seguir, como declarar investimentos de renda fixa no Imposto de Renda.

O que é renda fixa?

Renda fixa é a modalidade de investimentos na qual o investidor conhece com antecedência qual será o retorno sobre o valor aplicado. Ou seja, é um tipo de aplicação onde há certeza de retorno. 

Os investidores que procuram segurança e rendimentos mais estáveis encontram isso na renda fixa. Esse costuma ser, inclusive, o primeiro tipo de aplicação recomendado para quem não tem nenhuma reserva de emergência, por exemplo.

Na renda fixa, a pessoa que investe recebe um retorno (lucro) sobre o valor aplicado. Em outras palavras, quando você faz um investimento de renda fixa, empresta dinheiro para as instituições financeiras ou empresas que emitem o título. Então, recebe o seu dinheiro de volta na data de vencimento, e esse valor é acrescido de juros. Ou seja, funciona como uma troca.

Entre as instituições e empresas que emitem títulos de renda fixa estão o próprio governo, por meio do Tesouro Nacional, bancos e empresas privadas. 

A renda fixa pode ter remuneração prefixada, em que a taxa de retorno é definida antes do investimento, ou pós-fixada, em que o lucro vai acompanhar algum indicador da economia, como a taxa de juros Selic. Existem ainda investimentos que reúnem os dois tipos de remuneração, como por exemplo o Tesouro IPCA+.

Qual o Imposto de Renda para investimentos de renda fixa?

A maioria dos investimentos de renda fixa tem incidência de Imposto de Renda. Na lista estão: 

A mordida do leão vai de 15% a 22,5%, de acordo com a tabela regressiva do Imposto de Renda, e acontece na hora do resgate. Ou seja, quanto mais tempo você mantiver o seu dinheiro investido, menor será o imposto.

 Confira abaixo a tabela regressiva do IR:

PrazoAlíquota
Até 180 dias22,5%
De 181 a 360 dias20%
De 361 a 720 dias17,5%
Acima de 721 dias15%

Apesar da cobrança de IR existir para os investimentos listados acima, ela é retida na fonte. Em outras palavras, é a própria fonte pagadora do retorno que faz o recolhimento do imposto direto na conta do investidor. 

Ao resgatar uma aplicação de renda fixa que tem Imposto de Renda, você já recebe os rendimentos líquidos, ou seja, o IR já foi descontado do valor dos rendimentos. 

Todos os investimentos devem ser declarados?

Sim! Declare todos os seus investimentos no Imposto de Renda, mesmo aqueles que são isentos de tributos. Isso é importante porque a Receita Federal cruza os dados que os investidores colocam nas declarações com os informes enviados por bancos e corretoras.

Todos os detalhes são checados automaticamente e, caso haja divergência, você pode cair na malha fina.

Todos os investimentos precisam ser declarados individualmente. Então, para cada título é preciso repetir o procedimento de declaração.

Os investimentos de renda fixa isentos de Imposto de Renda são:

  • Letras de Crédito Imobiliário (LCI);
  • Letras de Crédito do Agronegócio (LCA);
  • Certificado de Recebíveis Imobiliário (CRI);
  • Certificado de Recebíveis do agronegócio (CRA);
  • Debêntures incentivadas;
  • Poupança.

Quais documentos eu preciso para declarar o IR?

Os informes de rendimentos enviados pelas instituições em que você investe, como corretoras e bancos, são os principais documentos para a declaração de ativos de renda fixa.

Esses documentos são enviados pelas instituições financeiras ou disponibilizados nos sites e aplicativos.

Lembre de pegar os informes de todas as instituições em que você investe. Se, por exemplo, você aplicou em CDBs de quatro corretoras diferentes, é preciso declarar quanto investiu em cada uma delas.

Como declarar investimentos de renda fixa no IR?

Na hora de declarar os investimentos de renda fixa, é preciso informar o custo de aquisição do título que você investiu e os rendimentos que ele gerou até o fim do ano de 2021.

Para fazer isso, o investidor sempre vai utilizar duas fichas do sistema:

  • Bens e Direitos;
  • Rendimentos Tributáveis ou Rendimentos Isentos.

Na seção de Bens e Direitos, basta colocar quanto foi aplicado no investimento. É preciso preencher o valor original da compra e não a quantia atualizada. Nesta parte também entra o CNPJ do banco ou corretora onde você fez a aplicação. Lembrando que todas essas informações estarão prontas no seu informe de rendimentos. 

Já os valores dos rendimentos resgatados durante o ano anterior, ou seja, do lucro, devem ser declarados na ficha Rendimentos Tributáveis ou Rendimentos Isentos. Veja mais detalhes sobre isso à frente. 

Confira o passo a passo geral para declarar investimentos de renda fixa na ficha Bens e Direitos. Abaixo, você encontrará o detalhamento para cada tipo de aplicação. Basta utilizar o menu lateral para encontrar as categorias de investimentos que você possui.

  • Acesse a ficha “Bens e Direitos”;
  • Selecione o grupo “04 – Aplicações e investimentos” e o código “02 – Títulos públicos e privados sujeitos a tributação (Tesouro Direto, CDB, RDB e outros)”. Em seguida e clique em “novo”;
  • Informe a posição em cada investimento em 31/12/2020 e 31/12/2021;
  • Preencha a página com o CNPJ da instituição financeira em que você investiu (corretora ou banco, por exemplo). Na parte de discriminação, informe o nome do emissor.

Este texto é apenas uma forma para ajudar no processo. Portanto, em caso de dúvidas, procure um contador ou profissional qualificado para auxiliar na sua declaração.

Tesouro Direto

Para declarar títulos do Tesouro Direto no Imposto de Renda, é necessário usar o mesmo grupo e código dos investimentos em renda fixa no geral. Confira o passo a passo. 

  • Acesse a ficha “Bens e Direitos”;
  • Selecione o grupo “04 – Aplicações e investimentos” e o código “02 – Títulos públicos e privados sujeitos a tributação (Tesouro Direto, CDB, RDB e outros)”. Em seguida e clique em “novo”;
  • Informe o valor do seu investimento em 31/12/2020 e 31/12/2021;
  • Preencha a página com o CNPJ da instituição financeira em que você investiu (corretora ou banco, por exemplo).
  • Na parte de discriminação, informe que se trata de títulos do Tesouro Direto.

Se você teve rendimentos resgatados e com retenção de IR, informe isso na aba “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/ Definitiva”, no código “06 – Rendimentos de aplicações financeiras”.

Por fim, informe o beneficiário do título, o CPF, o CNPJ da fonte pagadora, o nome da fonte pagadora e o valor do rendimento no período.

Saiba mais sobre como declarar Tesouro Direto no Imposto de Renda

CDB, LC e RDB

Os investimentos em CDB, LC e RDB têm Imposto de Renda retido na fonte. Então, você não precisa se preocupar na hora de pagar o imposto.

Mas, como regra geral, é obrigatório declarar esses ativos na sua Declaração Anual do Imposto de Renda. As etapas são semelhantes à declaração do Tesouro Direto.

  • Acesse a ficha “Bens e Direitos”;
  • Selecione o grupo “04 – Aplicações e investimentos” e o código “03 – Títulos isentos de tributação (LCI, LCA, CRI, CRA, LIG, Debêntures de Infraestrutura e outros)”. Em seguida e clique em “novo”;
  • Informe o valor do seu investimento em 31/12/2020 e 31/12/2021;
  • Preencha a página com o CNPJ da instituição financeira em que você investiu (corretora ou banco, por exemplo). Na parte de discriminação, informe qual é o emissor do título de renda fixa em questão.

No caso dos CDBs, LCs e RDBs, os rendimentos resgatados e com retenção de IR também precisam estar em uma ficha separada. Para isso, vá até “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/ Definitiva”, e então no código “06 – Rendimentos de aplicações financeiras”.

Debêntures comuns e incentivadas

Debêntures comuns não têm isenção de Imposto de Renda. O tributo também é retido na fonte e segue a tabela regressiva que citamos antes.

Já as debêntures incentivadas são aquelas em que a empresa utiliza o dinheiro captado com a emissão dos títulos para a execução de obras de infraestrutura. Por isso, obtém vantagens fiscais que são repassadas para o investidor, como a isenção do Imposto de Renda. Esse tipo de debênture também é isenta de Imposto Sobre Operações Financeiras (IOF). 

Os dois tipos de debêntures precisam ser declarados no IR. Veja como fazer isso. 

  • Acesse a ficha “Bens e Direitos”;
  • Selecione o grupo “04 – Aplicações e investimentos” e o código “03 – Títulos isentos de tributação (LCI, LCA, CRI, CRA, LIG, Debêntures de Infraestrutura e outros)”. Em seguida e clique em “novo”;
  • Informe o valor do seu investimento em 31/12/2020 e 31/12/2021;
  • Preencha a página com o CNPJ da instituição financeira em que você investiu (corretora ou banco, por exemplo). Na parte de discriminação, informe qual é o emissor do título de renda fixa em questão.

No caso das debêntures comuns, os rendimentos resgatados e com retenção de IR também precisam estar na ficha “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/ Definitiva”, no código “06 – Rendimentos de aplicações financeiras”.

Para as debêntures incentivadas, os rendimentos resgatados devem ser declarados na ficha “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis”, no campo 26 – “Outros”.

LCI, LCA, CRI e CRA

Esses investimentos têm isenção de Imposto de Renda mas, ainda assim, devem ser informados na Declaração Anual do IR.

  • Acesse a ficha “Bens e Direitos”;
  • Selecione o grupo “04 – Aplicações e investimentos” e o código “03 – Títulos isentos de tributação (LCI, LCA, CRI, CRA, LIG, Debêntures de Infraestrutura e outros)”. Em seguida e clique em “novo”;
  • Preencha a sua localização, ou seja, o país em que você está;
  • Preencha a página com o CNPJ da instituição financeira em que você investiu (corretora ou banco, por exemplo). Na parte de discriminação, informe o tipo de investimento, qual é o emissor do título de renda fixa em questão, número da conta etc;
  • Informe o valor do seu investimento em 31/12/2020 e 31/12/2021.

E os rendimentos que foram resgatados no ano anterior? Para esses investimentos, eles também devem estar em uma ficha separada. Vá até “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis”, no código “12 – Rendimentos de cadernetas de poupança, letras hipotecárias, letras de crédito do agronegócio e imobiliário (LCA e LCI) e certificados de recebíveis do agronegócio e imobiliários (CRA e CRI)”. 

Informe quem é o beneficiário, o CNPJ e o nome da fonte pagadora, bem como o valor dos seus rendimentos durante o ano.

Poupança

Uma das aplicações financeiras mais populares entre os brasileiros, a caderneta de poupança não tem incidência de Imposto de Renda. Na hora de declarar esse tipo de conta no seu IR, vale ficar atento pois ela possui um código próprio no sistema da Receita. 

  • Acesse a ficha “Bens e Direitos”;
  • Selecione o código “41 – Caderneta de Poupança” e clique em “novo”;
  • Selecione se a poupança é do titular ou de um dependente;
  • Preencha a sua localização, ou seja, o país em que você está;
  • Preencha as informações sobre a instituição financeira em que possui a conta poupança;
  • Informe o valor do saldo da sua poupança em 31/12/2020 e 31/12/2021;

Os rendimentos da poupança resgatados no ano anterior entram na ficha “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis”, no código “12 – Rendimentos de cadernetas de poupança, letras hipotecárias, letras de crédito do agronegócio e imobiliário (LCA e LCI) e certificados de recebíveis do agronegócio e imobiliários (CRA e CRI)”.

Fundos de renda fixa

Longo prazo

A maioria dos fundos de investimento em renda fixa são classificados como de longo prazo pela Receita Federal. Por isso, a tributação desses ativos segue uma tabela regressiva que vai de 15% a 22,5%.

  • Até 180 dias: 22,5%;
  • De 181 a 360 dias: 20%;
  • De 361 a 720 dias: 17,5%;
  • Acima de 721 dias: 15%.

Na hora de declarar os fundos de renda fixa, siga o seguinte caminho:

  • Acesse a ficha “Bens e Direitos”;
  • Selecione o grupo “07 – Fundos” e o código “01 – Fundos de Investimentos sujeitos à tributação periódica (come-cotas)”. Em seguida e clique em “novo”;
  • Em “Discriminação”, preencha a instituição financeira administradora do fundo, o número de cotas e o CNPJ do fundo.
  • Informe o valor do seu investimento em 31/12/2020 e 31/12/2021.

Para declarar os rendimentos resgatados e com retenção de IR nesse tipo de fundo, selecione a aba “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/ Definitiva”, no código “06 – Rendimentos de aplicações financeiras”.

Curto Prazo

Para os fundos de investimento considerados de curto prazo, a alíquota de Imposto de Renda segue uma tabela com no máximo 360 dias.

  • Até 180 dias: 22,5%;
  • De 181 a 360 dias: 20%.

Para declarar esse tipo de fundo, acesse a ficha “Bens e Direitos” e selecione o código “72 – “Fundo de Curto Prazo”.

Leia também:

Veja Como declarar Tesouro Direto no Imposto de Renda

Como declarar renda variável no Imposto de Renda?

Como declarar BDRs no Imposto de Renda?

Importante: o texto acima é uma forma de ajudar na busca por informações. Em caso de dúvidas, procure um contador ou profissional qualificado para auxiliar na sua declaração.

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Ainda não conhece o Nubank? Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história aqui.

4.63

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post