Complete abaixo para pedir sua NuConta e seu cartão de crédito

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Seu Negócio O que é ser empreendedo...

O que é ser empreendedor? Pesquisas ajudam a entender

Empreender é assumir riscos e confiar em si mesmo? Não exatamente. Um estudo de Harvard mostra que definir o que é ser empreendedor não é tão simples.

Se você chegou aqui procurando uma resposta definitiva sobre o que é ser empreendedor, é importante dizer: isso não existe. Afinal, é impossível colocar milhões de empreendedores, do mundo inteiro, numa mesma fôrma. 

Isso não significa, entretanto, que não existem características em comum entre essas pessoas.

Em 2017, dois PhDs em economia especializados em trabalho e uma cientista política americana publicaram um artigo pela Harvard Business School, uma das escolas de negócio mais prestigiadas do mundo. Nele, analisam diversos estudos sobre os traços de personalidade de um empreendedor.

Os resultados não são definitivos, mas ajudam a entender um pouco melhor quem são essas pessoas e o que faz delas empreendedoras. 

Veja, abaixo, quais são essas características e por que não dá para definir o que é ser empreendedor.

4 características que ajudam a entender o que é ser empreendedor

1. Aberto a experiências

“Boas ideias são sempre malucas, até que não sejam mais.”

Larry Page, fundador do Google

Pode parecer uma coisa banal, mas estar aberto a novas experiências (e ideias malucas) é uma das características comuns entre empreendedores, segundo o artigo de Harvard. 

Afinal, é preciso ser assim para manter um negócio, lançar novos produtos e serviços, atender novos clientes….

Uma pergunta que fica é: será que pessoas com essa característica têm mais chances de se tornarem empreendedoras, ou é o ato de empreender que faz delas assim?

2. Muita autoconfiança

Segundo o dicionário, autoconfiança é a confiança que uma pessoa tem em si mesma. Por isso, os pesquisadores já desconfiavam que era preciso ter muita autoconfiança para prosperar nos negócios.

Aparentemente, eles estavam certos.

Um estudo mostrou que fundadores de negócios são mais autoconfiantes com relação a inovação e tomada de riscos do que não fundadores.

Isso significa que eles confiam mais em si mesmos na hora de tomar decisões e controlar as próprias motivações, comportamentos e ações. 

Afinal, ter o próprio negócio é viver em um ambiente cheio de incertezas e competição – e ter autoconfiança surge como uma forma de navegar neste cenário incerto.

3. Lócus de controle interno

Lócus de controle é uma expressão da psicologia usada para indicar quanto uma pessoa acredita ter influência e responsabilidade sob os fatores que influenciam sua vida.

Quando o lócus de controle é externo, a pessoa acredita que os fatores que controlam sua vida fogem do seu controle – como sorte, destino ou ação de outras pessoas.

Já quem tem o lócus de controle interno se vê responsável pelo o que acontece em sua própria vida. Fatores externos podem influenciar, mas ela se vê no controle da situação.

Pesquisas mostram que empreendedores costumam ter mais lócus de controle interno do que outras pessoas – o que não significa, entretanto, que outros fatores não influenciam.

Outras pesquisas mostram que países com uma cultura mais individualista tendem a ter mais lócus de controle interno do que aqueles mais altruístas.

Ou seja, em um mundo plural, é inegável a influência do meio na forma como as pessoas agem – incluindo empreendedores. 

4. Pouca aversão ao risco

Por último, segundo o estudo de Harvard, outra característica compartilhada por empreendedores é a baixa aversão ao risco – o que pode parecer contraditório, mas não é.

Empreender já é um risco. É preciso lidar com a possibilidade do negócio não dar os resultados esperados, aprender a conviver com as instabilidades do mercado, lançar novas empreitadas sem saber ao certo o retorno….

Justamente por isso, pessoas com menos aversão ao risco estão mais propensas a arriscar e empreender – mesmo sem saber ao certo aonde isso vai dar.

Isso não significa, entretanto, que pessoas com aversão ao risco não são boas empreendedoras. Ter mais cautela na hora de tomar decisões pode ser uma ótima característica. 

Então quem não tem essas características não pode ser empreendedor?

De forma alguma!

Uma das conclusões do artigo publicado pela Harvard Business School é que, por mais que haja diversas pesquisas sobre os traços de personalidade de quem empreende, elas não dão conta da complexidade de o que é ser empreendedor.

Os estudos ajudam a entender um pouco melhor esse perfil, mas não a definir toda uma categoria de pessoas.

Para quem está pensando em empreender, o mais importante é pesquisar, se planejar e se preparar para o que está por vir. Abaixo, veja alguns conteúdos que podem te ajudar nessa jornada:

Este texto faz parte da missão do Nubank de lutar contra a complexidade do sistema financeiro para empoderar as pessoas – sejam elas físicas ou jurídicas. Com a conta PJ, queremos ajudar donos de pequenos negócios, empreendedores e autônomos a focarem no que realmente importa. Saiba mais sobre ela aqui.

4.25

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post