Pedir Conta e
Cartão de Crédito

em menos de 1 minuto
e grátis

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Empreender Termos e siglas Marketplace: o que é e ...

Marketplace: o que é e o que levar em conta na hora de vender em um?

Entenda como funciona um marketplace, se faz sentido anunciar seus produtos em um e como ter bons resultados.

Os marketplaces foram popularizados no Brasil no início dos anos 2000. O modelo de negócio consiste em um site (ou aplicativo) que concentra várias lojas online na mesma plataforma. Por esse motivo, ele também é chamado de shopping center virtual. 

Ou seja: um marketplace é basicamente uma plataforma onde produtos e/ou serviços de diversos negócios diferentes podem ser vendidos em um lugar só.

Para o consumidor, comprar nesse tipo de site pode ser vantajoso pela praticidade.∂ Uma pessoa que está procurando um item e quer comparar os preços de várias lojas, por exemplo, pode fazer isso dentro de um único site – em vez de abrir vários sites diferentes.

Essa praticidade, aliada ao momento da pandemia, tem impulsionado o crescimento desse modelo de negócio. Nos primeiros seis meses da pandemia, os marketplaces faturaram R$ 30 bilhões, de acordo com uma pesquisa da Ebit | Nielsen – um aumento de 56% em relação a 2019. Eles representam, hoje, 78% do varejo online brasileiro.

Existem marketplaces de todos os tipos – dos mais gerais, que vendem de tudo, aos mais especializados, que concentram itens de um nicho específico. Em alguns dos maiores marketplaces brasileiros é possível encontrar produtos de diversos mercados (eletrodomésticos, itens de decoração, roupas, eletrônicos, ferramentas…), enquanto, em outros, só são vendidos artigos esportivos, por exemplo.

Ou seja: vender de tudo não é, necessariamente, uma característica desse tipo de negócio.

O que tornou os marketplaces tão populares?

O comportamento de compra do consumidor mudou. Se antes pesquisar produtos significava acessar diversos sites, fazer comparações entre eles e buscar as especificações técnicas, hoje o cliente pode comprar em plataformas que comparam os produtos para ele.

No marketplace é possível verificar as avaliações de outros compradores, visualizar comparações e fazer uma compra vantajosa em pouco tempo.

Para a loja online, por outro lado, anunciar em marketplaces significa pegar carona em um grande volume de tráfego (visitas no site) online. Afinal, os marketplaces têm muitos acessos mensais e isso torna possível que sua loja, mesmo desconhecida – com boas condições para compra em relação aos concorrentes – venda tanto quanto outra loja mais consolidada no mercado.

Qual a diferença entre e-commerce e marketplace?

A principal diferença entre e-commerces e marketplaces é o número de lojas. Enquanto e-commerces normalmente são a plataforma online de apenas uma loja  –  o que faz com que não exista concorrência entre um mesmo produto de uma mesma marca, por exemplo  – os marketplaces trazem uma proposta mais ampla, com diversas lojas e concorrência entre elas.

Como os marketplaces lucram?

Para anunciar seus produtos em um marketplace, o lojista precisa se cadastrar na plataforma e cumprir alguns requisitos básicos que variam de site para site. Em troca da maior vitrine para os produtos, marketing e maior número de clientes potenciais, é cobrada uma taxa que normalmente incide sobre as vendas.

Quais são as vantagens do marketplace para lojas?

  • Visibilidade: maior quantidade de visitas na sua loja;
  • Custos: o marketplace inclui o marketing, tecnologia, meios de pagamento e isso diminui os custos operacionais;
  • Mais vendas: o grande volume de visitantes aumenta suas possibilidades de vendas;
  • Diversidade geográfica e de público: o marketplace extrapola as barreiras regionais. Com isso, você conseguirá atingir pessoas que talvez não conseguisse sozinho;
  • Posicionamento orgânico no Google: por estar hospedada em um site de grande autoridade, seus produtos podem aparecer nas buscas orgânicas no Google, o que potencializa as vendas;
  • Credibilidade: se você tem uma loja pouco conhecida, estar dentro de um marketplace famoso ajuda o consumidor a ganhar confiança na compra.

Quais são as desvantagens do marketplace para lojas?

  • Pode gerar dependência da plataforma: seu produto não pode (ou não deveria) depender apenas da plataforma do marketplace para vender. O marketplace é mais vantajoso se for uma das formas de gerar faturamento para o seu negócio e não a única.
  • Porcentagem de repasse: os marketplaces cobram percentuais pelas vendas e/ou taxas fixas para que as lojas estejam no catálogo. Dependendo de quanto é pago ou se há aumentos inesperados ou pouco volume de vendas, essas taxas podem reduzir a sua lucratividade;
  • Pouca relação do cliente com a sua marca: ao comprar em um grande marketplace, o cliente associa a compra à marca do marketplace, não à sua. 

Como vender bem em um marketplace?

Não existe receita de bolo para vender em um marketplace ou fora dele, mas seguir algumas estratégias pode ajudar.

1. Escolha produtos adequados ao público do marketplace

Os marketplaces têm públicos diferentes entre si. Entenda melhor qual é o público da plataforma, os produtos mais procurados e o que tem mais potencial para não escolher produtos que ficarão parados no seu estoque.

2. Saiba precificar bem

Pesquise os preços cobrados pela concorrência e olhe para os seus  – você está oferecendo o mesmo produto por um preço mais alto ou mais baixo que a média? Se sim, por que? Dá para abaixar o preço sem se prejudicar?

Só você sabe o quanto o seu produto vale, mas tente oferecer boas condições no preço para ganhar no volume, que é uma das maiores vantagens dessas plataformas.

É bom destacar que preço é um dos critérios para melhor ranqueamento das lojas, assim como as avaliações, reputação do vendedor, entre outros fatores.

3. Construa a sua reputação

Além do preço, a maior ferramenta que o cliente tem para comparar o seu produto de um concorrente é a reputação. Para ter uma boa pontuação dentro do marketplace, envie os produtos de qualidade, no prazo e bem embalados. Tudo isso conta bastante na hora da avaliação do comprador.

4. Ofereça o melhor serviço

Responda seus clientes, tire dúvidas e atenda prontamente às reclamações. Além disso, tente mostrar a presença da sua marca – pode ser através de uma mensagem acompanhando o produto ou até mesmo brindes, por exemplo. Quanto mais a sua loja encanta o cliente, maior a chance de ele voltar e deixar uma boa avaliação.

5. Se for possível, invista em publicidade 

Os marketplaces abrem espaço para que algumas lojas anunciem os seus produtos pagando um valor extra para publicidade e isso pode ser uma boa estratégia para maior captação de clientes. Além disso, essas plataformas fazem campanhas promocionais em datas comemorativas – como Black Friday, fim de ano, Dia dos Namorados, entre outras. Sempre que for vantajoso, participe dessas campanhas. Assim, seus produtos terão mais chance de ficar em destaque no ranqueamento.

Quer saber mais sobre vendas online? Leia também:

Como vender pela internet: 5 passos para quem quer começar

Este texto faz parte da missão do Nubank de lutar contra a complexidade do sistema financeiro para empoderar as pessoas – físicas e jurídicas. Com a conta PJ, queremos ajudar donos de pequenos negócios, empreendedores e autônomos a focarem no que realmente importa. Saiba mais.

5

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post