Complete abaixo para pedir sua conta e seu cartão de crédito

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Seu Dinheiro Empréstimo consignado: ...

Empréstimo consignado: o que é e como funciona

Ele é fácil de conseguir e, justamente por isso, requer ainda mais atenção.

Empréstimo consignado é um tipo de empréstimo que costuma ser mais fácil de contratar. Nele, o valor das parcelas é descontado direto na folha de pagamento ou do benefício pago pela previdência.  

Muitas vezes, os juros do empréstimo consignado são bastante tentadores. Isso acontece porque, para as instituições que estão emprestando o dinheiro (como os bancos), o consignado oferece poucos riscos: as parcelas já são descontadas automaticamente todo mês, o cliente não precisa efetuar manualmente o pagamento e, consequentemente, não atrasa.

Como qualquer outro tipo de empréstimo e crédito, entretanto, é preciso ter alguns cuidados importantes antes de contratar o  consignado.

1. Planeje-se antes de pedir um empréstimo consignado

É indispensável ter um planejamento financeiro detalhado antes de contratar um empréstimo consignado. Isso impede que o cliente entre em dívidas, tenha problemas financeiros ou passe certo aperto.

E não se esqueça: como o desconto é feito direto na folha de pagamento, o salário que fica disponível para o cliente usar será menor.

O valor das parcelas fará falta no seu dia a dia? Você realmente precisa do empréstimo? Essas são perguntas que devem ser respondidas antes de fechar o contrato.

2. Entenda seus direitos: o empréstimo consignado tem características próprias

Nenhum desconto em folha de pagamento pode ser feito sem autorização.

Também vale lembrar que só é possível pegar um empréstimo consignado se a instituição que vai te emprestar dinheiro tiver um convênio com a sua fonte pagadora (a sua empresa, ou com o INSS, por exemplo, no caso de pensionistas).

Se atente a outro detalhe: segundo esclarece o Banco Central, o desconto referente a operações de crédito, incluindo empréstimo consignado, devem ser de no máximo 35% do total de sua folha de pagamentos. Ele não pode ser superior a isso.

3. Leia com cuidado as condições do contrato

Fique atento às cláusulas do contrato de empréstimo consignado para entender, por exemplo, como será feita a cobrança das parcelas caso você perca o emprego – a instituição pode continuar debitando os pagamentos da sua conta se você tiver autorizado essa opção.

Além disso, fique de olho nas condições especificadas no contrato: elas devem ser compatíveis com a sua situação financeira e a finalidade do empréstimo – alguns bancos impõem condições específicas dependendo do objetivo do empréstimo, e aí ele pode já não ficar tão vantajoso.

4. Verifique os custos extras

A maioria das instituições empurra uma série de produtos extras na hora de oferecer um empréstimo. Alguns deles são:

  • Taxa de abertura de crédito
  • Taxa de cadastro
  • Seguro (como seguro desemprego, para cobrir parcelas caso você perca o emprego)

Todos esses custos entram no valor total que você vai precisar pagar de volta ao fim do empréstimo – e mesmo os adicionais que parecem vantajosos podem ser uma grande cilada quando as contas são colocadas na ponta do lápis.

Observe o contrato de seu empréstimo para ter certeza de que nenhum adicional que você não deseja esteja incluso no “pacote”.

Lembrando que as instituições não podem te obrigar a contratar algum deles – essa prática é conhecida como venda casada e é proibida pelo Código de Defesa do Consumidor.

5. Acompanhe os descontos que são feitos

As parcelas do empréstimo consignado são descontadas na sua folha de pagamento ou no benefício da previdência. Por isso, é importante acompanhar mês a mês o valor que foi descontado para garantir que ele é igual ao que foi acordado no momento da contratação.

Esse também é outro motivo para ler o contrato com muita atenção, já que o valor de cada parcela é informado nele.

Em resumo:

Quando vale a pena pedir um empréstimo consignado?

  • Se a parcela não vai prejudicar seu orçamento e nem comprometer o pagamento de outras contas;
  • Caso você tenha uma dívida cara, no cheque especial ou no rotativo do cartão de crédito, por exemplo, o empréstimo consignado pode ser uma boa opção, já que os juros são mais vantajosos;
  • Se a ideia é abrir um negócio ou fazer uma reforma em casa, o consignado pode ser uma ótima alternativa, pois permite financiar os materiais em um prazo mais longo.

Quer saber mais sobre empréstimo? Leia também:

Como fazer empréstimo: tudo o que você precisa saber antes de contratar

O que é CET, o Custo Efetivo Total, e como isso afeta o seu empréstimo?

Cheque especial ou empréstimo pessoal: qual vale a pena?

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Ainda não conhece o Nubank? Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história aqui.

1

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post