Pedir Conta e
Cartão de Crédito

em menos de 1 minuto
e grátis

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Seu Dinheiro Organizar as Finanças Controle de gastos: como...

Controle de gastos: como fazer a gestão do seu orçamento?

Antes de cortar algumas contas ou começar a poupar, primeiro é importante saber para onde o seu dinheiro está indo.



Controle de gastos: como fazer a gestão do seu orçamento? Ilustração de uma moeda verde, ao centro da tela, em fundo roxo.

Conseguir gastar menos do que ganha é essencial para manter a saúde financeira e as contas em dia. Mas, além da inflação, outros gastos escondidos podem estar consumindo o seu dinheiro e fazendo com que, cada vez mais, você tenha a sensação de ter menos saldo em conta. 

Só em maio de 2022, o número de dívidas em atraso no Brasil teve um crescimento de 10,78% em relação ao mesmo período de 2021. São 62 milhões de brasileiros negativados, de acordo com a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL/SPC Brasil). 

Ganhe controle sobre suas finanças: assine nossa newsletter para receber conteúdo exclusivo.

Isso mostra o quão é importante falar sobre educação financeira, entender os primeiros passos para reverter essa situação (na medida do possível) e como construir uma relação mais saudável com o dinheiro. 

Entenda, abaixo, o que é um controle de gastos e como fazer uma boa gestão do seu orçamento.

Saiba para onde o seu dinheiro está indo

Saber para onde o seu dinheiro está indo é o início da jornada para organizar as finanças. É importante ter a visão de todos os seus gastos de forma simples, organizada e separada por categorias. Dessa forma, você consegue fazer um planejamento mensal das despesas e construir bons hábitos de organização financeira.

Imagine que você recebeu um salário de R$ 2 mil no último mês. Quanto foi gasto com aluguel? E com alimentação? Transporte? Combustível? É importante saber responder todas essas perguntas. 

Hoje, existem diversas ferramentas e aplicativos que podem te ajudar a ter um maior controle sobre o seu dinheiro e ver todos seus gastos em um único lugar. 

Separe os seus gastos por categorias

Saber o quanto gastou e o que gastou é o primeiro passo para organizar as finanças. E um bom caminho para isso é separar seus gastos em categorias. Só assim você conseguirá visualizar onde é possível economizar, o quanto de dinheiro você pode guardar, ou até mesmo tirar os planos do papel e começar a investir nele. 

Você pode, por exemplo, dividir os seus gastos em três categorias: livres, essenciais e economias (que você faz para uma viagem ou plano específico). Ao final do mês, após pagar todas suas contas, será possível identificar quais são os seus tipos de gastos – e o tamanho deles. 

Mas vale dizer que criar um controle de gastos é algo muito pessoal. O que uma pessoa ou família considera como gastos livres, para outra pessoa pode ser um gasto essencial, e assim por diante. Por isso, primeiro defina: quais são os seus gastos essenciais? E os livres? E claro, quanto pode poupar todos os meses?

Gastos livres e essenciais

Os gastos livres são todas aquelas despesas que podem ser ajustadas ou até mesmo cortadas, se necessário. Pode ser um jantar em um restaurante ou um cinema no final de semana. 

Já os gastos essenciais, como o nome já diz, são todas aquelas despesas que você necessariamente precisa ter para a sua sobrevivência. A conta de luz, a conta do mercado, o aluguel, a mensalidade da casa própria, gastos com educação e por aí vai. 

Defina um plano mensal de gastos

Agora que você já sabe para onde o seu dinheiro está indo, é importante definir um plano de gastos mensal e fazer o possível para atingí-lo. 

Exemplo: Seu salário é de R$ 2 mil por mês. No próximo mês, você irá separar R$ 500 para gastos livres, e R$ 1.200 para gastos essenciais, chegando ao orçamento de R$ 1.700. Os R$ 300 restantes irão para construção da sua reserva de emergência. 

Mas lembre-se: tudo isso depende da sua realidade financeira e do quanto você vai conseguir guardar, por exemplo.

Construa uma reserva de emergência

A reserva de emergência é aquele dinheiro para situações que não foram planejadas. Em outras palavras, é um valor que você tem guardado e não sabe exatamente quando vai usar, mas que precisa estar disponível imediatamente para arcar com algum imprevisto ou emergência. 

Não é recomendado usar esse valor para despesas do dia a dia, como uma festa, um jantar ou um celular novo – a não ser que ele seja a sua ferramenta de trabalho, por exemplo. 

Por isso, defina um valor fixo mensal do seu dinheiro para a sua reserva de emergência. Pode ser uma quantia pequena, o ideal é não deixar de separar. 

Reserva de emergência: por que ela é importante e como criar a sua 

Tire um dia financeiro e entenda seus gastos 

Após colocar em prática o seu controle de gastos, é importante dedicar um dia para entender como foi seu comportamento com o seu dinheiro no mês que está se encerrando. Marque um dia na agenda e se comprometa com ele. 

Nesse dia, você irá fazer a leitura de todos os seus gastos e definir planos para o mês que se inicia. Pense que isso é uma tarefa que você precisa fazer, e só deve adiar se for realmente necessário.

Por que você deveria tirar um dia financeiro 

Leia mais sobre organização financeira:

O que é saúde financeira e como medir a sua?

Educação financeira: o que é e por que ela é importante?

3 motivos para fazer uma reserva de emergência 

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Ainda não conhece o Nubank? Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história.

4.71

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post