Pedir Conta e
Cartão de Crédito

em menos de 1 minuto
e grátis

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Seu Dinheiro Organizar as Finanças Gastos escondidos em cas...

Gastos escondidos em casa: 4 dicas para identificar e lidar com eles

Não existe mágica: cada realidade é diferente e é preciso ter estratégia na hora de buscar aquelas despesas que podem ser cortadas.



Gastos escondidos em casa: fotografia de várias lâmpadas sobre uma superfície branca. Créditos da imagem: Wilhelm Gunkel

Quando o assunto é economizar, o que não faltam são “dicas infalíveis” para cortar gastos escondidos em casa.

Mas, enquanto para alguns tomar banho quente é uma dessas despesas “desnecessárias” que só consomem mais energia, para outros pode representar o único momento de autocuidado do dia – e cortar isso não faz o menor sentido. 

Ganhe controle sobre suas finanças: assine nossa newsletter para receber conteúdo exclusivo.

Por isso, não existe uma lista mágica de despesas para cortar que funcione para todo mundo. Cada realidade é diferente e os gastos que podem ser eliminados variam de casa para casa. 

O que existe, sim, são algumas dicas que podem te ajudar a identificar gastos escondidos em casa e avaliar se faz sentido ou não cortá-los. Confira algumas abaixo.

4 dicas para identificar gastos escondidos em casa

Só você conhece sua realidade e sabe dizer o que dá e o que não dá para ser cortado a fim de economizar. Mas as dicas abaixo podem te ajudar a identificar gastos escondidos em casa e a fazer essa avaliação.

Importante: não é que essas medidas, por si só, vão automaticamente diminuir seus gastos. O ponto aqui é avaliar seus hábitos e entender se existem margens para cortes.

1. Confira seu consumo de água

Se você e sua família já consomem água de maneira consciente, parabéns! Sempre vale reavaliar os hábitos de tempos em tempos, mas essa dica pode não ser para você.

Agora, se você acredita que existe espaço para melhorar isso de alguma maneira, comece fazendo um diagnóstico do consumo de água em sua casa. Responder as perguntas a seguir pode ajudar:

  • Dá para diminuir o tempo no banho?
  • A torneira fica ligada enquanto você escova os dentes ou lava a louça?
  • Você lava a calçada ou a área externa (como a varanda) com mangueira?
  • As roupas são lavadas com uma frequência tão alta que elas nem chegam a acumular?

Se a resposta for sim para alguma dessas questões, dá para mudar alguns hábitos e economizar um pouco na conta de água. Acumular uma quantidade maior de roupas ajuda a aproveitar melhor a água da máquina, por exemplo. 

2. Mapeie seus gastos com energia elétrica

Tem algumas verdades com as quais não adianta brigar: a geladeira vai consumir bastante energia e o chuveiro elétrico também. Ponto. Não dá para desligar a geladeira, porque senão ela perde a função, e tomar banho gelado só faz sentido se você realmente gostar disso.

Então, pode ser melhor fazer as pazes com esses gastos, organizar o orçamento para bancá-los e procurar outras despesas com luz que podem, sim, ser cortadas.

Por exemplo: sabe aquela história de desligar os aparelhos da tomada quando não estiver usando? Não é mito, fazer isso realmente ajuda a economizar. Segundo o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor, o consumo mensal de energia de uma casa pode aumentar em até 15% por causa desses aparelhos ligados à tomada. 

Por isso, vale criar o hábito de deixar tudo para fora da tomada e só conectar quando for realmente usar.

Outra dica é trocar as lâmpadas tradicionais pelas de LED. Apesar do gasto inicial com a troca, as lâmpadas de LED consomem até 80% menos e têm uma vida útil maior.

3. Revise planos e assinaturas

Uma grande inimiga do orçamento doméstico é a inércia. Afinal, alguns gastos só permanecem porque a preguiça é maior do que a vontade de acabar com o gasto – e muitas empresas sabem disso, por isso pode ser tão difícil cancelar alguns serviços.

Por exemplo: talvez você tenha um plano de TV por assinatura em casa e nem assista, mas continue pagando porque ou é muito burocrático para cancelar ou tem aquela ideia de que, se um dia você quiser assitir, os canais estarão disponíveis.

Mas esse dia pode nunca chegar e, acredite, você teria economizado bastante se tivesse cancelado.

Outro exemplo é aquele serviço de streaming que você assinou para assistir uma série específica. Ela já acabou e você continua pagando mesmo sem nunca usar. 

Por isso, vale olhar para suas contas e ver quais planos e assinaturas dá para cortar. E não precisa ser muito radical: eliminar uma única conta já pode fazer a diferença no orçamento anual.

4. Faça uma lista de compras para o mercado

Sabia que 11% dos alimentos disponíveis para o consumo doméstico são desperdiçados? Foi o que descobriu um estudo de 2019 da Organização Mundial da Saúde (ONU). Isso significa produtos que as famílias compraram, não consumiram e foram parar no lixo, infelizmente. 

Uma forma de mudar essa realidade é fazer uma lista de compras para o mercado. Pensar em um cardápio para a semana, por exemplo, anotar os itens necessários para cada prato e comprar apenas o que for usar. 

E é importante sempre verificar o prazo de validade dos produtos antes de levá-los para casa. Às vezes, itens com validade maior ficam na parte de trás das prateleiras. Então, vale checar antes de pegar o primeiro pacote à mostra.

Lembrando que essas dicas não vão diminuir pela metade os gastos escondidos em casa, mas podem ajudar a economizar aqui e ali.

Leia também:

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Ainda não conhece o Nubank? Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história.

3.57

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post