Pular navegação

Quanto rende R$ 1 milhão na poupança, no Tesouro Direto e em outros investimentos?

Fizemos os cálculos para mostrar quanto rende R$ 1 milhão em diferentes aplicações financeiras. Saiba quais foram os resultados.

Quanto rende 1 milhão de reais? Ilustração mostra o rosto do ex-presidente norte-americano Benjamin Franklin em cima de um pódio. Ele tem uma coroa dourada sobre a cabeça e está cercado por várias notas de dólar.

O que você faria com R$ 1 milhão? Compraria um imóvel? Trocaria de carro ou colocaria todo o dinheiro para render? Muita gente sonha em juntar o seu primeiro milhão e em fazer esse dinheiro trabalhar ao seu favor. É aí que surge a pergunta: quanto rende R$ 1 milhão? Depende. Esse dinheiro será aplicado na poupança ou no Tesouro Direto? E se forem ações? Tudo isso influencia a resposta. 

É porque a rentabilidade muda de acordo com com o lugar onde esse dinheiro é aplicado. Existem ainda outras variáveis como o tempo investido, a taxa de remuneração e os impostos. Por isso, não dá pra cravar um valor único. 

Mas, para te ajudar a ter uma ideia de quanto rende R$ 1 milhão, você confere abaixo algumas simulações para diferentes investimentos, incluindo a popular poupança, títulos do Tesouro Direto e a Bolsa de Valores.

Quanto rende R$ 1 milhão na poupança?

A poupança é uma das aplicações financeiras mais populares do Brasil. E a sua regra de rentabilidade leva em consideração a Selic, a taxa de juros básica da economia, e a Taxa Referencial (TR). Funciona assim: 

  • Se a taxa Selic estiver igual ou abaixo de 8,5% ao ano, a poupança rende 70% da Selic + Taxa Referencial;
  • Se a taxa Selic estiver acima de 8,5% ao ano, por outro lado, a poupança rende 0,5% ao mês sobre o valor depositado + Taxa Referencial.

Entre janeiro e novembro de 2023, a poupança teve rendimento de 7,42%. Portanto, se você tivesse deixado R$ 1 milhão aplicado na  poupança durante esse período, esse valor renderia  R$ 74.200 livres de impostos.

Quanto rende R$ 1 milhão no Tesouro Direto?

O Tesouro Direto é uma opção de investimento mais conservadora. Esses títulos são investimentos de renda fixa e, por terem garantia do Tesouro Nacional, são considerados os mais seguros do mercado brasileiro. Além disso, nesta categoria existem títulos em que é possível saber, com antecedência, qual será a rentabilidade da sua aplicação, como é o caso dos títulos prefixados. Há outros em que é possível estimar essa rentabilidade, porque são atrelados a algum indicador da economia. 

Existem algumas variedades de títulos do Tesouro Direto. O Tesouro Selic e o Tesouro IPCA+ são dois dos mais populares da modalidade. O primeiro tem seus rendimentos atrelados à taxa Selic, enquanto o Tesouro IPCA acompanha a inflação oficial do país, medida pela variação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Saiba, abaixo, quanto rende R$ 1 milhão nesses dois títulos do Tesouro.

Tesouro Selic

O Tesouro Selic, como o próprio nome diz, tem rentabilidade atrelada à taxa básica de juros da economia. Por isso, ele é um investimento de renda fixa pós-fixado. No site do Tesouro Direto, é possível usar um simulador para descobrir a rentabilidade dos diferentes títulos disponíveis para aplicação.

No caso do Tesouro Selic com vencimento para 2029, a previsão de rendimento para R$ 1 milhão é de R$ 462.480,41, já descontados os impostos. 

Tesouro IPCA+

No Tesouro IPCA+, parte da remuneração é pós-fixada, pois acompanha a variação do IPCA durante o período de investimento, e a outra é prefixada – ou seja, é composta por uma taxa fixa, que na sigla é representada pelo símbolo “+”.

Existem diferentes títulos do Tesouro IPCA+ disponíveis para aplicações, com variadas datas de vencimento e taxas fixas de rentabilidade distintas.  

Na simulação com o Tesouro IPCA+ com vencimento também para 2029, o retorno esperado para R$ 1 milhão é de R$ 521.629, já livre de impostos.

As simulações foram realizadas no dia 17 de novembro de 2023, considerando uma taxa Selic de 12,25% ao ano (estabelecida na última reunião do Comitê de Política Monetária do Banco Central, no dia 1º de novembro de 2023). Até o dia 31 de outubro de 2023, última medição disponibilizada pelo IBGE antes do fechamento deste texto, o IPCA acumulado no ano estava em 3,75%.

Quando rende R$ 1 milhão em aplicações atreladas ao CDI?

O CDI é a sigla para Certificado de Depósito Interbancário. Ele é um título de curtíssimo prazo que os bancos emitem para emprestar dinheiro a outras instituições financeiras. Já a taxa CDI é a média dos juros praticados nos empréstimos que os bancos fazem entre eles.

A taxa CDI também é uma referência importante para a renda fixa no Brasil e está sempre bem próxima da Selic, a taxa básica de juros da economia. Entre os dias 1º de janeiro e 31 de outubro de 2023, o CDI acumulado foi de 10,9%, segundo dados do Banco Central.

Isso significa que, se R$ 1 milhão fosse aplicado em um investimento que rendesse 100% do CDI nesse mesmo período, o ganho seria de R$ 109 mil, sem contar os impostos.

Quanto rende R$ 1 milhão na Bolsa de Valores?

Na Bolsa de Valores, o rendimento pode variar bastante. Afinal, as ações são aplicações de alto risco e que são impactadas por diversos fatores, incluindo o desempenho da economia, os resultados financeiros das empresas, movimentações políticas e muito mais. 

O Ibovespa é o principal índice da B3 e serve para medir o desempenho das ações mais negociadas pelos investidores em um determinado período. Ele também é uma referência importante para a maioria dos investimentos em renda variável, como as ações. 

É possível investir no Ibovespa por meio de um ETF, sigla em inglês para Exchange Traded Fund, ou fundo de índice. O mais conhecido deles é o BOVA11, que acompanha o Ibovespa.

Entre os dias 1º de janeiro e 16 de novembro de 2023, o Ibovespa rendeu 13,58%. Ou seja, R$ 1 milhão nesse investimento teriam gerado R$ 135.800 em rendimentos, sem descontar os impostos.

É importante reforçar, porém, que esse rendimento passado não necessariamente será replicado no futuro. Diferentemente de muitos investimentos de renda fixa, em que é possível projetar ou mesmo saber a rentabilidade no vencimento, em ações ou qualquer ativo de renda variável, isso não é possível e nem garantido. 

Quanto rende R$ 1 milhão em fundos imobiliários?

Outra opção de investimento em renda variável são os fundos imobiliários (FIIs). Na Bolsa de Valores, o ​​Ifix é o índice que mede o desempenho médio do mercado de FIIs. Entre janeiro e outubro de 2023, ele valorizou 9,98%.

Assim, se R$ 1 milhão fosse aplicado em um investimento que acompanhasse o Ifix, o retorno seria de R$ 99.800, também antes de abater os impostos.

Quanto rende R$ 1 milhão no Nubank?

O Nubank também tem possibilidades para fazer o seu dinheiro crescer. Tanto a Caixinha Reserva de Emergência quanto a conta do Nubank acompanham 100% do CDI – valor próximo à taxa Selic. 

Um cliente do Nubank que deixar R$ 1 milhão  na conta do Nubank ou na Caixinha Reserva de Emergência, por um prazo de um ano, verá o dinheiro crescer R$ 97.200 – já descontado o Imposto de Renda. Esse valor considera uma taxa Selic de 12,25% ao ano. 

Importante: o rendimento automático de 100% do CDI é aplicado sobre o dinheiro que ficar por mais de 30 dias na conta do Nubank. Mas ele também é retroativo. Ou seja, no 31º dia após o depósito, você terá à disposição o rendimento total correspondente aos 30 primeiros dias. 

Nós chamamos isso de rendimento retroativo porque é como se o seu dinheiro estivesse rendendo desde o primeiro dia em que foi depositado. Após esse período inicial de 30 dias, o valor passa a render todos os dias úteis, ficando à disposição no saldo da conta.

Clique aqui e conheça mais sobre as Caixinhas do Nubank

Leia também:

Quanto rendem R$ 30 mil nas Caixinhas do Nubank?

Quais investimentos mais renderam em 2022?

Quanto rende R$ 300 milhões na conta do Nubank?

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossaPolítica de Privacidade.Ao continuar a navegar, você concorda com essa Política.