Complete abaixo para pedir sua NuConta e seu cartão de crédito

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Seu Dinheiro O que é conta corrente?...

O que é conta corrente? Como ela funciona?

Entender o que está por trás dos serviços que você usa é importante na hora de organizar as finanças.

A conta corrente é uma forma prática de movimentar o dinheiro do dia a dia. Trata-se de uma conta de depósito, geralmente mantida em um banco, que pode ser gratuita ou ter taxas, ser individual ou conjunta, ou até mesmo ter tarifas especiais dependendo da sua idade (Atualizado em setembro de 2019).

O que a maioria das contas corrente têm em comum, no entanto, é o fato de não serem a melhor opção para fazer o dinheiro render.

Por isso, na hora de planejar como guardar ou usar seu salário, é importante entender não apenas “o que é conta corrente” mas também quais tipos de contas existem e, principalmente, como o seu dinheiro vai render ou ser taxado em cada uma delas.

Neste post você vai encontrar:

  1. O que é conta corrente;
  2. Quais os tipos de contas;
  3. Como abrir conta corrente;
  4. O que é cheque especial;
  5. Diferenças entre débito e crédito;
  6. Como fechar conta corrente.

1. O que é conta corrente?

Conta corrente é um tipo de conta bancária que oferece fácil acesso aos fundos depositados nela. Ao contrário de outros tipos de contas bancárias — incluindo contas poupança — as contas correntes normalmente permitem retiradas e depósitos ilimitados, o que faz delas uma boa escolha para o uso no dia a dia.

Para acessar seu dinheiro em uma conta corrente, você pode:

  • Usar o serviço de internet banking para checar extrato, transferir dinheiro ou pagar boletos;
  • Visitar a agência local ou caixa eletrônico para fazer saques e depósitos;
  • Fazer compras com um cartão de débito conectado à sua conta;
  • Fazer saques e depósitos com seu cartão de caixa eletrônico;
  • Possuir um cartão de crédito vinculado à sua conta;
  • Escrever cheques.

Contudo, cada serviço desses pode vir com a cobrança de uma tarifa, dependendo do tipo de conta corrente que você possui.

2. O dinheiro rende na conta corrente?

Na maioria das vezes, não, o dinheiro não rende na conta corrente.

Em outras palavras, a maioria das contas correntes não paga juros (ou paga taxas baixíssimas) se comparadas a outros tipos de conta – como as contas poupança, certificados de depósito bancários (CDBs) e outras.

Por isso, pode ser uma boa ideia usar uma conta corrente apenas para manejar o dinheiro que você deseja acessar para compras comuns e pagamento das faturas mensais.

Se o objetivo é fazer o dinheiro render, todo o resto deve entrar em contas que oferecem ganhos maiores.

As contas digitais e contas de pagamentos também podem ser uma boa opção para o dinheiro do seu dia a dia – afinal, ao mesmo tempo em que seu dinheiro rende enquanto fica parado, você consegue usá-lo quando quiser para fazer pagamentos, transferências e até gastá-lo no débito.

Veja aqui tudo sobre a NuConta, a conta digital do Nubank.

3. Quais são os tipos de contas?

Antes de abrir uma conta corrente, é útil saber que, além dela, existem diferentes tipos de contas disponíveis. Para começar, aqui está um guia rápido para te ajudar a escolher a melhor opção:

Conta corrente gratuita

Poucas pessoas sabem, mas o Banco Central obriga toda instituição bancária a oferecer ao menos um tipo de serviço de conta sem tarifas.

Esse tipo de conta possui um pacote mínimo de serviços sem cobrar nenhuma mensalidade, mas poderá cobrar por serviços específicos. O pacote mínimo exigido pelo Banco Central inclui:

  • Duas transferências bancárias entre contas da instituição;
  • Dez folhas de cheque por mês e consultas pela internet;
  • Fornecimento de cartão com função de débito;
  • Dois extratos bancários por mês;
  • Quatro saques por mês.

Alguns bancos oferecem verificação gratuita se você se inscrever para declarações eletrônicas ou configurar o recebimento do seu salário na conta, o que permite ao seu empregador depositar eletronicamente seu contracheque em sua conta bancária a cada período de pagamento.

No entanto, lembre-se de que pode haver um depósito mínimo necessário, por exemplo, de R$ 250,00 por mês. Se você ficar abaixo disso ou os depósitos diretos pararem, você perderá o benefício da gratuidade.

E, claro, grátis não significa que não há taxas: lembre-se que ainda é possível pagar juros e multas caso a conta fique negativa (o cheque especial é o maior exemplo).

Conta corrente com mensalidade

A conta corrente paga oferece mais benefícios do que uma conta padrão. Essas vantagens vêm em troca do pagamento de uma mensalidade (taxa de manutenção).

Os benefícios variam por banco e podem incluir cheque especial sem juros por determinados dias, taxas renunciadas (por exemplo, serviços notariais gratuitos e ordens de pagamento gratuitas), aconselhamento financeiro gratuito e descontos em outros produtos financeiros do banco.

Em alguns bancos, você pode ganhar pontos de recompensa ao fazer compras – e esses pontos podem ser resgatados por produtos e serviços.

Normalmente, essas contas exigem um saldo maior do que as contas padrão: é necessário um saldo diário mínimo para se qualificar para alguns tipos de contas, mas isso varia entre os bancos. Em algumas instituições, basta ter o saldo para pagar a taxa de manutenção todos os meses.

Conta digital

Uma conta digital possui as mesmas características de uma conta normal, como a possibilidade de fazer transferências, pagar boletos, receber salário ou sacar dinheiro, além de fazer seu dinheiro render mesmo quando está parado.

A grande diferença é que não existe interação com os operadores de caixa ou gerentes para realizar essas funções: o cliente normalmente usa os caixas eletrônicos, o internet banking e apps instalados no smartphone para gerenciar seu dinheiro.

Mas atenção! Aqui é preciso fazer uma diferenciação entre as contas digitais de bancos tradicionais e de bancos digitais.

  1. Contas digitais de bancos tradicionais: os grandes bancos, ao identificar uma demanda cada vez maior de pessoas que querem resolver tudo pela internet, passaram a oferecer contas digitais. Elas podem ser abertas por apps no celular e ter isenção de tarifas para movimentações pela internet. Contudo, nem todas são 100% digitais — vale checar com o banco antes de assinar algum contrato.
  2. Contas digitais de bancos digitais: os bancos digitais são aqueles que só existem na internet e não possuem agências físicas. Todo o contato do cliente é feito pelo aplicativo ou canais de atendimento. Porém, o que pode parecer uma desvantagem, na verdade traz vários benefícios — as contas nos bancos digitais oferecem rendimentos para aquele seu dinheiro que está parado, como na conta poupança, só que melhor. Além disso, o cliente tem isenção total de tarifas para transferências online e pode fazer depósitos gerando um boleto em poucos minutos pelo app.

Conta conjunta

Uma conta conjunta é uma conta bancária compartilhada por duas ou mais pessoas, geralmente parentes ou parceiros de negócios. Uma conta corrente conjunta funciona como uma conta corrente padrão, mas cada titular da conta pode contribuir e usar o dinheiro na conta.

Essas contas são populares para casais (casados ​​ou não), pais de adolescentes e filhos adultos ajudando pais idosos a administrar suas finanças. Como todos os membros da conta têm acesso aos fundos, é importante definir expectativas claras desde o início para evitar possíveis problemas e retiradas em excesso.

Conta para estudantes

As contas correntes para estudantes funcionam como as contas correntes padrão, mas tendem a oferecer taxas mais baixas, e às vezes até isenção total. Muitos bancos e cooperativas de crédito, por exemplo, oferecem uma isenção de taxa de manutenção mensal — ou pelo menos um desconto na mensalidade — para contas correntes de estudantes.

Tal como acontece com outras contas correntes, o cliente pode evitar taxas se definir um depósito direto, manter um saldo mínimo diário ou efetuar um determinado número de compras com cartão de débito todos os meses.

Contas correntes estudantis estão normalmente disponíveis para alunos com idades entre 17 e 24 anos; você pode ser obrigado a fornecer prova de matrícula ativa em uma escola secundária, faculdade ou universidade.

4. Como abrir uma conta corrente?

A conta corrente pode ser aberta por pessoas físicas maiores de 18 anos. Menores de idade entre 16 e 18 anos incompletos precisam estar acompanhados dos responsáveis legais para abrir uma conta (a não ser que sejam emancipados legalmente).

Frequentemente, os bancos pedem comprovante de renda na hora de abrir uma conta. Nesses casos, a carteira de trabalho, holerite, contrato de estágio, entre outros costumam funcionar.

Estou negativado. Posso abrir uma conta corrente?

Infelizmente, quem está com o CPF cadastrado como inadimplente em órgãos de proteção ao crédito, como SPC e Serasa, tem chances menores de conseguir abrir uma conta corrente em um banco tradicional.

Isso porque os bancos podem disponibilizar, junto da conta corrente, crédito pré-aprovado, cartão de crédito e cheque para os seus correntistas. O risco de inadimplência do negativado torna a abertura da conta desvantajosa para o banco.

Neste caso, a conta digital é uma ótima alternativa. A gente explica aqui como abrir uma se você está negativado.

5. O que é cheque especial e como funciona?

O cheque especial é o que os bancos chamam de “produto de crédito”. Ele é um valor de empréstimo pré-aprovado para quem tem uma conta corrente – ou seja, você não precisa fazer solicitação ao banco se precisar usar uma quantia extra no mês.

Quando a conta corrente é usada sem ter fundos, automaticamente o cliente entra no cheque especial. Preste atenção: na maioria das vezes, estar com “saldo negativo” na sua conta do banco significa estar no cheque especial.

A quantia disponível vai depender do tipo de conta que você possui e da avaliação do seu perfil. Como em todo produto de crédito, no cheque especial há cobrança de juros sobre o valor utilizado.

Por que o cheque especial tem juros tão altos?

O cheque especial é caro porque o banco oferece esse crédito sem pedir nenhuma garantia.

No empréstimo pessoal, por exemplo, você precisa ir até o banco, negociar as condições e assinar um contrato para conseguir o dinheiro emprestado.

Com o cheque especial, o limite fica ali disponível para que você use sempre que precisar. É fácil e prático – e é por isso que muita gente comete o erro de usar o limite do cheque especial como se fosse uma extensão da conta corrente.

Como nesse caso a instituição está se arriscando mais, os juros desse tipo de crédito são muito mais altos. Para se ter uma ideia, enquanto a cobrança de juros em um empréstimo consignado chega a uma média de 42,8% ao ano, no cheque especial os juros sobem para 341% ao ano, de acordo com o último levantamento do Banco Central.

Isso significa que o cheque especial nunca deve ser usado?

Não necessariamente. O cheque especial pode ser útil em alguns casos, especialmente para emergências em que você precisa de dinheiro por um período curto. Por exemplo: quando algum parente ficou doente e você precisa comprar os remédios do tratamento, mas o salário está no final – nesse caso, o valor usado será coberto assim que sua próxima fonte de renda cair e você para de pagar juros.

Contudo, para situações em que você precisa do dinheiro a longo prazo, empréstimos pessoais ou financiamentos são melhores opções.

Veja tudo sobre o cheque especial neste post sobre o assunto.

6. Débito e crédito: quais as diferenças?

Quando você abre uma conta corrente, é comum que um dos produtos oferecidos seja o cartão de crédito. Ele pode ser vinculado ao mesmo cartão que você utiliza a função débito (ganhando o nome de cartão múltiplo).

Mas você conhece as principais diferenças entre as duas funções? Sabe dizer qual a melhor opção para o seu tipo de orçamento?

Cartão de CréditoCartão de Débito
Com ele, você leva o produto agora e o dinheiro dessa compra sairá da sua conta quando a fatura chegar, ou seja, ele funciona no estilo “compre já, pague depois”.O dinheiro sai da sua conta na
hora. E, se você tiver o cheque especial, ele consome esse empréstimo quando sua conta fica sem dinheiro.
Você pode pedir no banco onde possui conta corrente, em uma loja ou por telefone, com uma emissora de cartões, sem vínculo com sua conta bancária.Você precisa ter uma conta, pois é deste local que o dinheiro gasto no cartão será descontado.
É um empréstimo que o banco faz, afinal, quando você usa um cartão de crédito, ganha um prazo para poder pagar as compras realizadas. Existe um limite de crédito, ou seja, um valor máximo que você pode gastar mensalmente.É um dinheiro que sai direto da sua conta. Se você tentar fazer uma compra acima do valor que tem disponível no banco, ela não será aceita – exceto nos casos em que você tem o limite do cheque especial liberado.

É possível parcelar as compras e, dependendo da loja, nem sempre você paga juros nesse parcelamento.


Não é possível parcelar — as compras são pagas à vista.

Quando usar crédito ou débito?

Afinal: é melhor usar crédito ou débito? Para cada situação em que o cliente se encontra, há uma forma de pagamento que se encaixa mais à sua realidade, e em cada caso um deles será o melhor. Você pode conferir aqui as diferenças entre crédito e débito e quando usá-los.

7. Como fechar uma conta corrente

A melhor maneira de encerrar uma conta corrente é solicitar formalmente por escrito ao banco. É importante também guardar uma cópia do requerimento para ter um comprovante da solicitação. Esse cuidado é uma forma de proteger o ex-correntista (no caso, você) de futuras cobranças indevidas.

De acordo com normas do Banco Central, depois do pedido, a instituição financeira deve encerrar a conta em até 30 dias. Além disso, deve entregar ao consumidor um termo de encerramento.

É importante lembrar que a conta não será encerrada enquanto houver saldo devedor ou débitos com o banco, e por isso o cliente deve quitar todas as suas dívidas com a instituição antes de encerrar sua conta.

A partir do pedido de encerramento, a instituição deve cessar a cobrança de tarifas de manutenção (caso existam). No entanto, no mês em que ocorrer a solicitação, ela pode sim cobrar tarifa proporcional pelos de tempo de utilização da conta.

Depois de concluído o processo, o banco deve enviar aviso ao correntista, informando a data real do encerramento da conta corrente.

É importante ficar atento a alguns detalhes antes de encerrar sua conta corrente:

  1. A solicitação de encerramento pode ser feita em qualquer agência do banco, não necessariamente na que a conta foi aberta;
  2. Algumas instituições podem oferecer um formulário específico para o encerramento da conta. Nesse caso, solicite uma cópia. Mas, na dúvida, leve seu próprio documento com o pedido;
  3. Além da carta, o consumidor deve levar as folhas de cheque e cartões relacionados àquela conta ao banco e solicitar que sejam destruídos (quebrados, rasgados) em sua presença;
  4. Caso queira encerrar a conta mas manter o cartão de crédito vinculado à instituição financeira, é preciso indicar essa intenção ao banco – que poderá aceitar ou não o pedido;
  5. Caso tenha débito automático, é recomendável que o correntista vá, ao longo do mês, suspendendo os serviços assim que os pagamentos forem realizados;
  6. No ato do fechamento, é obrigação do banco entregar um termo de encerramento com todas as informações sobre a conta encerrada, incluindo demonstrativo de compromissos e valores a serem quitados. Depois de concluído o processo, o banco deve enviar aviso (por carta ou e-mail), informando a data real do encerramento;
  7. O pedido de encerramento deve ser aceito mesmo que haja cheques sustados, à contraordem ou cancelados. Porém, se a conta estiver encerrada, quem passou o cheque deverá arcar com suas obrigações legais;
  8. Os bancos são obrigados a fornecer todas as informações a respeito das exigências para o encerramento da conta corrente (rescisão do contrato). Essas exigências mínimas para encerramento de conta corrente devem, obrigatoriamente, estar na chamada ficha-proposta desde a abertura da conta.

Não deixe sua conta inativa!

Muita gente acha que basta retirar todos os fundos da conta e deixá-la inativa para “acabar com o problema”. Contudo, sua conta só é encerrada se o pedido for feito formalmente ao banco — do contrário, você pode acabar tendo surpresas desagradáveis lá na frente.

O Banco Central exige que as instituições financeiras avisem os clientes que não movimentaram suas contas em um período de 90 dias. Caso esse período chegue a 6 meses, ela poderá ser encerrada, de acordo com a política do banco. Porém, durante todo esse período, caso haja taxa de manutenção na sua conta, você será cobrado pelas mensalidades normalmente.

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Ainda não conhece o Nubank? Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história aqui.

Digite seu nome

Quero receber a newsletter
  • Sueny Ayres
    20 de maio de 2019, 13h02
    Gostaria de saber mais!!
    • Sueny Ayres
      20 de maio de 2019, 13h02
      Gostei muito!!