Pedir Conta e
Cartão de Crédito

em menos de 1 minuto
e grátis

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Seu Dinheiro Sair das Dívidas Como “limpar um no...

Como “limpar um nome sujo”?

61 milhões de brasileiros começaram 2020 com alguma conta atrasada. Veja como se livrar das dívidas e regularizar sua situação.

Para “limpar um nome sujo”– sair das listas de proteção ao crédito, em outras palavras – a forma mais comum é entrar em contato com a empresa onde a dívida foi feita e negociar o pagamento.

Se o valor for muito alto e a pessoa decidir pagar em parcelas, assim que a primeira for paga a empresa deve acionar o órgão para que este retire o seu nome da lista de proteção ao crédito. Mas, caso as próximas não sejam quitadas, o nome volta a aparecer.

Cerca de 61 milhões de brasileiros começaram 2020 com alguma conta atrasada, segundo dados apurados pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil).

Apesar de preocupantes, os números começam a mostrar sinais de melhora: a quantidade de pessoas inadimplentes caiu pelo segundo mês seguido em dezembro de 2019, encerrando o ano com uma pequena queda de 0,2% em comparação com 2018.

Para quem também quer se ver livre das contas atrasadas, veja, abaixo, como regularizar um nome negativado.

Nome sujo? O que é isso?

Primeiro, é importante dizer que “nome sujo” é uma expressão antiga para se referir às pessoas que compravam e não pagavam.

Hoje, entretanto, a expressão nome sujo acaba sendo uma forma de colocar culpa sobre algo que já é difícil – e não é assim que o problema vai ser resolvido.

Mas o que realmente significa estar com o “nome sujo”?

Basicamente, significa que alguém comprou um produto, serviço ou adquiriu crédito e não pagou e, por isso, teve seu nome apontado ou negativado nas listas dos órgãos de proteção ao crédito, como SPC Brasil, Serasa e Boa Vista SCPC.

Por isso, é mais correto dizer que a pessoa está com o nome negativado ou apontado nos serviços de proteção ao crédito – ou birôs de crédito.

Abaixo, veja como quitar a dívida em alguns casos comuns.

“Limpar nome sujo” de cheque sem fundo

Quando um consumidor tem um cheque devolvido duas vezes pelo banco, esta instituição pode pedir ao Banco Central a inclusão do nome do cliente no Cadastro de Emitentes de Cheque sem Fundo (CCF).

Para resolver a situação, é preciso:

  1. Procurar a pessoa, loja ou empresa que recebeu o cheque e quitar a dívida;
  2. Pedir um recibo de pagamento – que deve incluir a data em que o pagamento foi feito; o valor; número do cheque; nome, RG, CPF e assinatura da pessoa que recebeu o cheque;
  3. Ir até o banco com o cheque e o recibo em mãos e pagar as taxas pendentes: pode haver cobrança pela devolução de cada cheque, pela inclusão no CCF e posterior exclusão;
  4. Exigir do banco um recibo de pagamento.

Depois disso, existe um prazo de cinco dias úteis para que o banco peça aos órgãos de proteção ao crédito que retirem o nome do cliente da lista de negativados.

Carnê de loja atrasado

Para quem deixou de pagar o carnê de uma loja e teve o nome negativado por isso, basta renegociar a dívida com a loja para “limpar o nome”.

Assim que o acordo é fechado – mesmo que o pagamento seja parcelado –, a loja tem cinco dias úteis para solicitar aos órgãos de proteção que tirem o nome do cliente da lista de negativados.

É importante lembrar, entretanto, que caso a dívida não seja paga depois do acordo o nome pode voltar às listas de inadimplentes.

Cartão de crédito ou empréstimo de financeira

Seja quem não pagou a fatura do cartão ou um empréstimo em uma financeira, o procedimento é o mesmo: renegociar a dívida com a instituição.

Depois disso, a empresa tem até cinco dias úteis para informar os órgãos de proteção que a dívida foi negociada. Com isso, eles devem retirar o nome da lista de negativados.

Caso a pessoa não cumpra o acordo, o nome volta a ser apontado nos órgãos de proteção ao crédito.

Título protestado

Cheques e notas promissórias (saiba mais sobre elas aqui) são títulos que podem ser protestados pela empresa ou pessoa a quem eles foram nomeados.

Neste caso, assim que o cartório recebe o protesto do título, ele envia uma carta ao devedor informando o prazo de 48 horas para a dívida ser regularizada.

Mas, caso a conta não seja quitada, o cartório pode pedir a inclusão do nome do devedor na lista de negativados.

Para regularizar a situação, é preciso:

  1. Ir até o cartório para verificar quem registrou o protesto;
  2. Procurar a pessoa, loja ou empresa que está com o cheque ou nota promissória e negociar a dívida;
  3. Pedir por um recibo de pagamento, que deve conter a data em que a dívida foi paga; o valor; o número do cheque (se for o caso); nome, RG, CPF e assinatura de quem recebeu o título;
  4. Ir até o cartório com o recibo em mãos e pagar uma taxa para retirar o protesto.

O cartório tem cinco dias úteis para pedir a exclusão do nome da lista de inadimplentes.

Existem outras formas de limpar o nome?

Sim!

O Serasa, por exemplo, oferece uma ferramenta online para quem quer quitar as dívidas e ficar com o nome regularizado. Saiba mais aqui.

Já outros serviços, como o Boa Vista, oferecem feirões onde é possível renegociar as dívidas com condições especiais. Vale ficar atento a esses casos. 

A dívida caduca?

Se a dívida não for paga em cinco anos, pode-se dizer que ela caduca. Em outras palavras, o nome da pessoa deve ser excluído dos órgãos de proteção ao crédito.

Além disso, passado esse tempo  a credora não pode entrar com um processo na justiça para cobrar a dívida.

Isso não significa, entretanto, que a dívida deixa de existir. A empresa onde a dívida foi feita ainda pode cobrar o devedor por meios extrajudiciais, como cartas, ligações ou propostas de renegociação.

Mas atenção!

Caso o credor entre com uma ação na justiça para cobrar o devedor antes da dívida completar cinco anos (mesmo que seja um dia antes do prazo), esta regra deixa de valer. Nesta situação, não existe prazo para a dívida caducar – o que passa a valer é o tempo que o processo vai demorar para ser concluído.

Por que é importante estar com o nome regularizado?

Além de ter maiores chances de conseguir um empréstimo, fazer qualquer tipo de financiamento ou adquirir um cartão de crédito, quem está em dia com as próprias contas não precisa lidar com diversas consequências da inadimplência. 

Segundo uma pesquisa do SPC e da CNDL, algumas delas são:

  • Abrir mão de coisas importantes: 47,3% das pessoas inadimplentes admitiram que deixaram de comprar coisas de primeira necessidade para si ou para a família;
  • Prejudicar a saúde mental: 56,2% dos inadimplentes demostraram um nível alto ou muito alto de preocupação com as dívidas em atraso;
  • Sofrer alterações no humor, na rotina e na saúde física: 52% dos inadimplentes afirmaram ficar irritados com mais facilidade;
  • Ficar mais desatento e reservado: 25% dos inadimplentes admitiram ficar mais desatentos e pouco produtivos no trabalho ou nos estudos.

Entenda melhor as consequências da inadimplência aqui

Como organizar as finanças?

A melhor forma de limpar o nome é organizar as finanças, priorizar o pagamento das dívidas e ter um maior controle do orçamento para não cair no mesmo problema futuramente.

Abaixo, veja alguns conteúdos que podem te ajudar:

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Ainda não conhece o Nubank? Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história aqui.

4.33

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post