Complete abaixo para pedir sua NuConta e seu cartão de crédito

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Seu Dinheiro Organizar as Finanças Finanças pessoais: apre...

Finanças pessoais: aprenda em 5 passos rápidos como começar a se organizar

Nem sempre é fácil mudar velhos hábitos – mas existem alguns primeiros passos simples que ajudam a ter suas finanças pessoais em dia.

Organizar as finanças pessoais, gerenciar todos os pagamentos, saber exatamente quanto entra e sai do seu bolso a cada dia do mês… No papel, é simples listar os passos para ter uma vida financeira organizada. Mas se a sua realidade está longe desse mundo ideal, fique tranquilo: você não está sozinho.

  • Segundo uma pesquisa do SPC (Serviço de Proteção ao Crédito) de janeiro de 2019, 36% dos brasileiros não administram suas finanças pessoais.
  • Outra pesquisa do instituto traz dados ainda mais reveladores: um terço (33%) dos brasileiros fecharam novembro de 2018 no vermelho – ou seja, deixaram de pagar contas por falta de recursos.
  • Além disso, hoje, no Brasil, a renda média da maioria das família é insuficiente para chegar ao fim do mês – em 2017, foi de R$ 1.268 em todo o país, pouco mais que o salário mínimo.

Os números não mentem: guardar dinheiro é um desafio para a maioria das pessoas – mas existem hábitos do dia-a-dia que tornam esse processo ainda mais difícil.

Por que é difícil organizar as finanças pessoais?

A mesma pesquisa do SPC mostra algumas das justificativas de quem não organiza as finanças pessoais:

  • “Não precisa”: Quase uma a cada 4 pessoas acredita que os cálculos de gastos mensais podem ser feitos de cabeça (23%);
  • “Não consigo”: um número considerável (18%) diz não ter disciplina para se planejar;
  • “Tá difícil”: A preguiça (12%) e falta de tempo (11%) também são apontadas como motivos.

Se as dificuldades acima soam familiares, veja abaixo um passo a passo para começar o planejamento das suas finanças pessoais.

1. Avalie o quanto ganha e o quanto gasta

O primeiro passo para dominar suas finanças pessoais é olhar para a entrada e saída de dinheiro

Um indicador do SPC em parceria com a CNDL de 2018 apontou que 33% dos brasileiros que utilizaram o cartão de crédito não sabiam o quanto gastaram no mês anterior – e nem com o que gastaram especificamente.

Isso é preocupante.

Sem saber o quanto entra em seu bolso a cada mês, o quanto gasta e pra onde vai seu dinheiro, organizar suas finanças pessoais e criar um planejamento financeiro se torna quase impossível. Por isso, o primeiro passo é ter esses números em mãos.

Separar seus gastos por categorias é uma boa forma de enxergar o que mais consome seu salário – e, logo, quais despesas podem ser cortadas na hora de  economizar.

As principais despesas para levar em conta são:

  • Moradia (aluguel e/ou condomínio, contas de água, luz, gás, IPTU);
  • Transporte (aplicativos de carros, estacionamento, gasolina, aluguel de bicicletas e patinetes);
  • Alimentação (restaurantes, supermercado);
  • Saúde (convênio, consultas, medicamentos);
  • Educação (mensalidades, cursos, material escolar, livros);
  • Casa (produtos de limpeza, gastos com manutenção ou faxina);
  • Serviços (TV a cabo, internet, plano de telefone);
  • Dívidas (financiamentos, parcelas atrasadas);
  • Lazer (passeios, compras, viagens).

O cartão Nubank pode te ajudar com isso: ele separa todos os seus gastos feitos no cartão em categorias que você mesmo pode personalizar; algumas já vêm prontas, como transportes, saúde, alimentação, entre outras.

2. Avalie (e, se necessário, negocie) suas dívidas

Ao começar a organizar suas finanças pessoais, pagas as dívidas deve ser a prioridade

É hora de avaliar quais dívidas você tem em seu nome e quitá-las.

Negocie valores, taxas e, antes de guardar dinheiro para alguma viagem ou compra de grande valor, certifique-se de que não terá despesas atrasadas. Elas se tornam uma bola de neve com o tempo e, por isso, quanto mais você deixá-las em aberto, mais se endividará. Elas devem ser prioridade nesse momento.

3. Monte um orçamento das suas finanças pessoais

Desenvolver um orçamento que organize suas finanças pessoais vai te dar mais visibilidade sobre elas

Agora que todos os gastos e receitas já estão organizados, é hora de montar um orçamento das suas finanças pessoais. Basicamente, essa etapa consiste em detalhar esses números nas categorias mencionadas acima e estabelecer um valor máximo ou porcentagem de sua renda para cada uma delas.

Como assim?

Você pode estabelecer que, mensalmente, uma porcentagem do salário vai para pagar gastos essenciais (aluguel, contas básicas, meio de transporte, etc), uma parte é reservada para seus hobbies e lazer, outra para a reserva de emergência, uma parte precisa pagar as dívidas etc.

O orçamento é um guia que ajuda na hora de planejar e cumprir os gastos. Ele não deve ser visto como algo que engessa as suas ações – mas sim como um controle das suas finanças pessoais.

Quando você sabe quanto cada um dos itens essenciais custa, consegue acomodar melhor os outros gastos e até flexibilizar as contas: se os gastos com lazer passaram um pouco do planejado no mês, você pode tentar economizar em outros itens para compensar.  

4. Comece a guardar dinheiro

Guardar dinheiro parece uma das partes mais difíceis na hora de administrar as finanças pessoais – mas os passos anteriores vão te ajudar a chegar nesse ponto

Uma vez sem pendências financeiras, você pode começar a guardar dinheiro. É interessante, se você não tem nenhuma outra economia, começar da seguinte maneira:

Crie sua reserva de emergência

Aquele dinheiro que você não sabe quando precisará usar, mas que está disponível para qualquer eventual emergência ou imprevisto.

Por que a reserva de emergência é importante?

Fazer um empréstimo é uma das principais causas de dívida, segundo pesquisa da CNDL – por isso, ter um dinheiro guardado para imprevistos é uma forma de preservar suas finanças pessoais.

É importante não pular essa primeira etapa: esse fundo de emergência pode evitar que você tenha novos problemas no futuro.

O ideal, segundo educadores financeiros, é que esse fundo tenha o equivalente a seis salários mensais.

Por exemplo: se o seu salário é de R$ 1 mil ao mês, seu fundo de emergência deve ser de R$ 6 mil. Essa deve ser sua prioridade financeira se já quitou as dívidas e não tem nenhuma outra reserva.

Invista esse dinheiro

A reserva de emergência pode ser investida em um algum produto financeiro de baixo risco, como CDBs e títulos públicos, para que fique sempre rendendo – assim, o dinheiro não fica parado.

O importante é que o investimento escolhido seja de Renda Fixa, de forma que não corra riscos ou oscilações.

Uma boa opção pode ser a NuConta, nossa conta digital: o saldo depositado nela rende diariamente 100% do CDI, uma taxa maior que a poupança, e você pode resgatá-lo quando precisar.

Veja como fazer uma reserva de emergência na NuConta

5. Continue – e tenha um objetivo em mente

Cuidar das finanças pessoais é um trabalho constante – mas não precisa ser sofrido

Nesse ponto, suas finanças pessoais já passaram pelas etapas “básicas” de organização. A ideia de ter esse planejamento é sempre conseguir economizar e atingir seus objetivos financeiros, sejam eles aposentar-se mais cedo, comprar um carro ou uma casa, viajar, pagar um MBA.

Se o seu objetivo é guardar dinheiro para uma viagem, provavelmente de curto prazo, tenha um planejamento específico para ele.

Se, por outro lado, seu objetivo for aposentar-se, isso exige um planejamento de muitos anos, pensando no longo prazo. Pode valer a pena investir em um plano de previdência privada ou até mesmo em produtos de Renda Fixa para isso.

Lembre-se: dar o primeiro passo é importante. O seu orçamento pode mudar e se adaptar, mas é fundamental ter sempre visibilidade do que você ganha e do quanto gasta.

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Ainda não conhece o Nubank? Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história aqui.

Digite seu nome

Quero receber a newsletter
  • Cris
    06 de setembro de 2019, 01h52
    Quero receber informacoes sobre esse cartao.
    • Conteúdo Nubank
      06 de setembro de 2019, 12h09
      Oi, Cris. Tudo bem? Você pode assinar a nossa Newsletter https://blog.nubank.com.br/assinar-newsletter/ e ficar por dentro de todas as novidades sobre o Nubank! :)
  • Eduardo Pierri Da Silva
    24 de julho de 2019, 11h16
    Amo a nuconta, porém bem que poderia criar objetos e o próprio sistema dividiria automaticamente dentro da conta, seria muito interessante colocar essa função.
    • Rafael
      16 de maio de 2019, 17h16
      As dicas são otimas. Uma das minhas maiores dificuldades em guardar o dinheiro é juntar pra diferentes objetivos. Fica muito dificil organizar. A Nuconta poderia dividir o dinheiro dentro dela, como o Warren faz. Seria tao util!