Pix: chave mais registrada pelos brasileiros foi o CPF, diz BC

20 de janeiro de 2021

Até o dia 31 de dezembro de 2020, foram registradas mais de 125 milhões de chaves do Pix. Veja outros números. 

Os números mais recentes do Pix no Brasil foram divulgados pelo Banco Central no início de janeiro de 2021.  Eles mostram a evolução das chaves do Pix, do número de transações e outras estatísticas relevantes. Veja a seguir.

Até 31 de dezembro de 2020, foram mais de 125 milhões de chaves do Pix registradas.  Em ordem de grandeza, as mais frequentes foram: CPF, chave aleatória, celular, e-mail e CNPJ. Veja os números respectivos a seguir.

Mais de 125 milhões de chaves do Pix registradas

CPF

Celular

Chave aleatória

E-mail

CNPJ

45,9 milhões

35,4 milhões

29,2 milhões

20,4 milhões

2,8 milhões

Tipo de chave do Pix

Número de registros até 31/12/20

Fonte: Banco Central

Foram registradas cerca de 144,3 milhões de transações feitas pelo Pix em dezembro de 2020. Em valores, isso representou mais de R$ 121,4 bilhões transacionados pelo Pix.

Mais de 140 milhões de transações

Do total de transações, a grande maioria, mais de 105,9 milhões, foi feita por usuários pessoa física. Entre pessoas, foram mais de R$ 48,8 bilhões transacionados via Pix. Em seguida, vêm as transações entre empresas, que somaram mais de R$ 40 bilhões.

Os dois grupos de usuários que mais usaram o Pix em dezembro de 2020 têm idade entre 30 e 39 anos (35%) e 20 e 29 anos (30%). Cerca de 4% do total de usuários do Pix tem mais de 60 anos.

Maioria dos usuários tem entre 30 e 39 anos

As regiões que mais usaram o Pix foram Sudeste (49%) e Nordeste (19%). Veja, a seguir, o percentual de cada uma.

Região Sudeste foi a que mais fez transações

Sudeste

Sul

Nordeste

Centro-Oeste

Norte

49%

19%

12%

10%

7%

Região 

% do total de transações em dezembro/2020

Fonte: Banco Central

O Pix é o novo meio de pagamentos do Banco Central. Com ele, é possível fazer pagamentos e transferências 24 horas por dia, sete dias da semana, de forma instantânea.

O que é o Pix, mesmo?