Pedir Conta e
Cartão de Crédito

em menos de 1 minuto
e grátis

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Dinheiro no mundo Open Banking Como será o Open Banking...

Como será o Open Banking no Brasil?

A implementação do sistema teve quatro fases em 2021 e conta com um cronograma também em 2022. Entenda melhor o que é o open banking, como vai funcionar e como te impacta.



No dia 1 de fevereiro de 2021, o Banco Central deu início à implementação do Open Banking – também chamado de Open Finance – no Brasil. O sistema tem como objetivo oferecer mais opções para o consumidor e permitir que ele tenha mais liberdade para levar suas informações financeiras para onde quiser.

Abaixo, entenda o que isso significa. 

Ganhe controle sobre suas finanças: assine nossa newsletter para receber conteúdo exclusivo.

O que é Open Banking?

Na tradução literal, open banking significa “banco aberto”, ou “sistema bancário aberto”. Mas o que isso quer dizer, na prática?

Imagine todo o histórico de crédito que você construiu ao longo do tempo com um banco ou instituição financeira – as contas pagas em dia, os salários depositados, as prestações, empréstimos, perfil de gastos…

Hoje, se você quiser mudar de banco, essas informações ficam presas – uma instituição não passa esse histórico para a outra. Seu relacionamento precisa começar do zero, criando mais dificuldades para conseguir acesso a crédito e outros serviços, por exemplo.

Com o Open Banking, o cliente consegue pegar todas as suas informações e levá-las para onde quiser, sem ter que começar do zero com uma nova instituição.

Leia também: O que é Open Banking, o sistema que pode mudar o mercado financeiro

Quais as vantagens do Open Banking?

Entre os benefícios do sistema, estão:

  • Mais liberdade e autonomia para os clientes: hoje, a burocracia interna das instituições é uma barreira enorme na hora de tentar mudar de banco. E quanto maior o tempo de relacionamento com uma instituição, mais informações ela tem a respeito do cliente. Ao migrar, pelo menos parte dessas informações se perde. Com o Open Banking, o cliente não fica preso a esse sistema.
  • Menos custos: o sistema é muito mais integrado, permitindo cortar intermediários e tornar processos mais rápidos e baratos.
  • Mais competição: o Open Banking reduz a barreira de entrada para novos serviços e produtos, criando um ambiente mais competitivo e com mais opções para o consumidor. Afinal, se fica mais fácil para uma pessoa trocar de banco, as instituições terão que trabalhar melhor para manter seus clientes satisfeitos.

Como vai funcionar o Open Banking no Brasil?

No Brasil, o cronograma de 2021 foi dividido em 4 etapas, de acordo com o Banco Central.

  • Fase 1: A primeira fase teve início no dia 1º de fevereiro. Nela, foram abertos os dados das instituições participantes, seus canais de atendimento e os produtos e serviços que oferecem – como contas de depósito à vista, poupança, pagamento e operações de crédito. Essa 1ª fase não envolve o compartilhamento de dados de clientes. 
  • Fase 2:  Na segunda fase, que começou no dia 13 de agosto, clientes começaram a poder compartilhar com as instituições seus dados pessoais de cadastro, como nome completo, CPF/CNPJ, telefone, endereço e dados de transações relativas aos produtos e serviços de suas contas. Tudo isso acontece somente com a autorização da pessoa.
  • Fase 3: Na terceira fase, que teve início em 29 de outubro, passou a ser possível iniciar um pagamento fora do ambiente do banco via Pix. Clientes podem ter acesso a serviços como pagamentos por um aplicativo de mensagem, por exemplo.
  • Fase 4: Na quarta fase, que teve início em 15 de dezembro, será possível o compartilhamento de produtos e serviços de seguros, investimentos, câmbio, entre outros, disponibilizados pelas instituições participantes.

Ainda há um cronograma previsto para 2022, quando deve acontecer a liberação gradual de outras funcionalidades. Veja as datas:

  • 15 de fevereiro de 2022: Possibilidade de iniciação em pagamento com TED e transferência entre contas na mesma instituição;
  • 4 de março de 2022: Início do compartilhamento de dados referentes a seguros, previdência complementar aberta e capitalização; 
  • 11 de março de 2022: Início do compartilhamento de dados referentes a serviços de credenciamento em arranjos de pagamento;
  • 18 de março de 2022: Início do compartilhamento de dados referentes a operações de câmbio;
  • 25 de março de 2022: Início do compartilhamento de dados de contas de depósito a prazo e outros produtos com natureza de investimento;
  • 30 de junho de 2022: Possibilidade de iniciação em pagamento de boletos;
  • 30 de setembro de 2022: Possibilidade de iniciação de pagamentos com débito em conta.

Leia mais sobre Open Banking:

Compartilhamento de dados do Open Banking: o que isso significa?

O que são dados e por que eles são importantes?

Quais devem ser os pilares do Open Banking no Brasil?

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Ainda não conhece o Nubank? Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história.

3.78

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post