Pedir Conta e
Cartão de Crédito

em menos de 1 minuto
e grátis

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Dinheiro no mundo Open Banking O Open Banking considera...

O Open Banking considera todo o histórico financeiro do cliente?

O Open Banking leva em conta todas as suas movimentações ao longo dos últimos doze meses, mas você escolhe se quer compartilhar esses dados e com quem. Entenda como isso acontece.

O Open Banking vem sendo assunto cada vez mais frequente. O sistema irá facilitar a conversa entre instituições financeiras, deixar o mercado mais competitivo e dar às pessoas mais liberdade para levar seus dados para onde quiserem – e se quiserem.

Com a implementação do sistema no Brasil, em fevereiro de 2021, muita gente ficou animada com a liberdade que ele vai trazer, e também várias dúvidas surgiram. Uma das perguntas comuns é se o Open Banking vai considerar o histórico financeiro atual e o antigo também – ou se esse histórico só começa a ser construído a partir da instituição do sistema.

Veja a resposta dessa pergunta abaixo.

Primeiro, o que é Open Banking?

De forma simplificada: o Open Banking é um sistema que permite que você, cliente de uma instituição financeira (um banco, uma fintech, uma corretora etc) tenha liberdade para levar seu histórico financeiro para onde quiser.

Hoje, se você quiser trocar de banco, vai ter de construir um relacionamento e um histórico do zero, porque não pode levar a maior parte das suas informações – as contas que pagou em dia, os salários depositados, as prestações…

Todas essas informações ajudam as instituições a te conhecerem melhor e oferecerem produtos (e condições) mais adequadas ao seu perfil.

O Open Banking considera as informações financeiras antigas e atuais?

A resposta é curta e simples: sim!

Lembre das suas movimentações financeiras como se fossem parte de um filme. Seu primeiro cartão de crédito, talões de cheque, as contas que você pagou, a compra daquele carro, o dinheiro que você pediu emprestado no seu banco…

Todo esse filme da sua vida financeira são informações que estão registradas, e pertencem a você. E se você quiser utilizá-las para pesquisar no mercado, analisar propostas e encontrar opções mais adequadas à sua realidade, será possível mostrar a história dos seus últimos doze meses nesse novo lugar.

Na segunda fase de implementação do Open Banking no Brasil, que começa no dia 13 de agosto, o cliente já poderá compartilhar seus dados pessoais de cadastro, como nome completo, CPF/CNPJ, telefone e endereço.

Também será possível compartilhar informações sobre transações relativas aos produtos e serviços das contas que tem em um banco ou instituição específica. 

Como será o Open Banking no Brasil?

De acordo com o Banco Central do Brasil, o cronograma de 2021 está dividido em 4 etapas: 

Fase 1: A primeira fase teve início no dia 1 de fevereiro. Nela, foram abertos os dados das instituições participantes, seus canais de atendimento e os produtos e serviços que oferecem. O que é isso? São contas de depósito à vista, poupança, operações de pagamento e de crédito. Nessa primeira fase não houve compartilhamento de dados de clientes. 

Fase 2: Na segunda fase, que começa no dia 13/08, o cliente poderá compartilhar seus dados pessoais de cadastro, como nome completo, CPF/CNPJ, telefone, endereço e dados de transações relativas aos produtos e serviços da conta.  É importante lembrar que tudo isso só acontece com a autorização do cliente.

Fase 3: Na terceira fase, com início em 30/08, será possível iniciar um pagamento fora do ambiente do banco via Pix. Os clientes poderão compartilhar o histórico de informações financeiras e terão acesso a serviços como pagamentos e propostas de crédito por um aplicativo de mensagem, por exemplo.

Fase 4: Na quarta fase, que terá início em 15/12, será possível compartilhar outros dados de produtos e serviços, como informações relacionadas a operações de câmbio, investimentos, seguros e previdência.

Ainda há um cronograma previsto para 2022, quando haverá a liberação gradual de outras funcionalidades. Confira as datas:

15 de fevereiro de 2022
Compartilhamento de serviços e transferências entre contas do mesmo banco e TED

30 de março de 2022
Compartilhamento do envio de propostas de operações de crédito a clientes que aderirem ao open banking

31 de maio de 2022
Compartilhamento de dados de clientes sobre demais operações financeiras, como câmbio, investimentos, previdência e seguros

30 de junho de 2022
Compartilhamento de serviços de pagamento por boleto

30 de setembro de 2022
Compartilhamento de serviços de débito em conta

Leia mais:

Quais são as vantagens do Open Banking – ou Open Finance?

O Open Banking é seguro?

3 perguntas sobre Open Banking para Cristina Junqueira

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Ainda não conhece o Nubank? Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história.

4.67

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post