Pedir Conta e
Cartão de Crédito

em menos de 1 minuto
e grátis

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Complete os campos ao lado para pedir sua Conta e Cartão de crédito

Agora complete abaixo para pedir sua conta e cartão de crédito

Precisamos de um CPF válido
Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu e-mail. Precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Seu Dinheiro Dicionário Financeiro Dissídio: o que é e como...

Dissídio: o que é e como calcular

Muitas vezes, o dissídio é associado a salário e o termo é usado como um sinônimo de reajuste salarial- mas não é só isso. Entenda melhor.



Se você for procurar por dissídio no dicionário, vai encontrar a seguinte definição: ‘se refere a um conflito de interesses ou opiniões; controvérsia, divergência, dissensão’. 

Já no ambiente empresarial o termo tem mais a ver com um acordo entre empregador e empregado em relação aos benefícios oferecidos, como vale-refeição, auxílio-creche, plano de saúde, valor das horas extras, piso e reajuste salarial.

É importante saber que o dissídio pode ser individual ou coletivo. Ou seja, pode afetar um colaborador, uma classe inteira de colaboradores e até mesmo todos os funcionários de uma companhia.

Os dissídios são regidos pelos artigos 643 e 763 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e artigo 114 da Constituição Federal e julgados pela Justiça do Trabalho. 

Entenda melhor os tipos de dissídio.

Dissídio individual

Nesse caso, geralmente o empregado quer um acordo com a empresa em busca de equiparação salarial, pagamento de horas extras, FGTS e 13º salário e, obviamente, reajuste de salário.

Dissídio coletivo

Aqui, a Justiça do Trabalho participa das relações entre empregador e funcionário de uma categoria. Nesse tipo de dissídio geralmente estão envolvidos sindicatos trabalhistas e patronais. 

Dissídio salarial

Muitas vezes, o dissídio é associado a salário. Por isso, o termo é usado como um sinônimo de reajuste salarial pelo departamento de Recursos Humanos das empresas.

O cálculo do dissídio salarial é feito a partir do valor do salário base (remuneração que o funcionário recebe periodicamente pelo serviço prestado em uma empresa), aplicando o reajuste sobre o mesmo. 

Aí, é só multiplicar o salário base pelo índice de reajuste para saber qual o valor do aumento:

R$ 1200,00 (salário base) x 10% (reajuste salarial) = R$ 120,00.

Ou seja: salário base + reajuste salarial = R$ 1.320,00.

Quando o dissídio salarial passa a valer?

É importante deixar claro que o Acordo Coletivo ou Convenção Coletiva vale por, no máximo dois anos, de acordo com a CLT (Consolidação das Leis do Trabalho).

O que chamamos de data-base é determinada no primeiro dia útil do mês. As negociações de salário costumam começar meses antes dessa data-base, exatamente para que o acordo seja firmado no prazo certo. 

Quer saber mais sobre salário?

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Ainda não conhece o Nubank? Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história aqui.

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post