Complete abaixo para pedir sua NuConta e seu cartão de crédito

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Seu Dinheiro Cálculo do salário lí...

Cálculo do salário líquido: aprenda a fazer o seu

Salário líquido é quanto realmente você vai receber no fim do mês. Veja como funciona essa conta.

Existe uma diferença entre o salário que a empresa registra seus funcionários e o quanto eles realmente recebem na conta no fim do mês – são os chamados, respectivamente, salário bruto e salário líquido.

Basicamente, o salário líquido é o resultado de seu salário bruto menos os descontos que incidem sobre ele.

Existem descontos obrigatórios, que incidem sobre o salário de todo trabalhador, e outros que podem ou não ser aplicados – dependendo da empresa em que você trabalha.

Esse cálculo é feito mensalmente por sua empregadora: o salário que cai na  conta já sofreu as deduções. Mas, para aqueles que desejam saber qual será o valor, é possível fazer o cálculo.

Como calcular o salário líquido?

Para saber o quanto você de fato vai receber é preciso ter em mãos seu salário bruto e todos os benefícios que recebe – assim, fica mais fácil inclusive entender seu holerite (a gente explica ele em mais detalhes aqui).

Descontos obrigatórios

Os descontos obrigatórios incidem sobre o salário base e demais vencimentos (como bônus, gratificação por função, horas extras, entre outros). São dois os principais:

  • Contribuição do INSS
  • Imposto de Renda

O primeiro desconto a ser aplicado é o INSS. Ele é um percentual do salário bruto, que varia de acordo com a faixa de salário do trabalhador. Em 2019, as faixas são:

Faixas de desconto do INSS no salário

  • Até R$ 1.751,81: 8%
  • De R$ 1.751,82 a R$ 2.919,72: 9%
  • De R$ 2.919,73 até R$ 5.839,45: 11%

O valor de R$ 5.839,45  é o teto da contribuição: para qualquer salário base superior a esse, a contribuição será de R$ 642,33 (o teto).

Depois do INSS, incide o Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF) sobre o salário que já sofreu a dedução do INSS. Ou seja: o IRRF incidirá sobre o seu salário bruto menos o INSS. Ele também varia com a faixa salarial e é de 7,5% a 27,5%:

Faixas do IRRF sobre o salário

  • Salários de até R$ 1.903,98: Isento
  • Salários de R$ 1.903,99 a R$2.826,65: 7,5%
  • Salários de R$ 2.826,66 a R$3.751,05: 15%
  • Salários de R$ 3.751,06 a R$4.664,68: 22,5%
  • Salários acima de R$4.664,68: 27,5%

Para apurar o IR, é necessário também considerar o efeito da parcela a deduzir. Você pode conferir qual é a dedução para cada faixa salarial aqui.

Antes, também era obrigatório o desconto da contribuição sindical. Hoje, somente os trabalhadores filiados a sindicatos têm essa dedução em seu salário.

Vale ressaltar: o INSS incide sobre o salário bruto, que é salário base + outros vencimentos. Somente o IRRF incidirá sobre o salário bruto já descontado o INSS.

Portanto, se formos considerar um salário de R$ 3 mil em que não há descontos extras (como veremos abaixo), o cálculo seria:

INSS = 11% = R$ 330
IRRF = 7,5% = R$ 142,80 (7,5% de R$ 2.670)

O salário líquido será a subtração desses dois valores dos R$ 3 mil:

3.000 – 330 – 142,80 = R$ 2.527,20

Além do INSS, também deduz-se do IR:

  • Pensão alimentícia;
  • Previdência privada (PGBL); e
  • Dependentes (R$ 189,59 por dependente).

Descontos extras

Além dos descontos obrigatórios, outros podem incidir sobre o salário bruto, sempre apontados no holerite. Isso varia conforme a política da empresa e os benefícios que o funcionário possui e, por isso, precisam ser calculados caso a caso. 

São eles:

Atrasos e faltas
Quando o trabalhador falta em um dia de trabalho, pode ser descontado do salário bruto o valor deste dia. O mesmo vale para atrasos.

Vale-transporte
Cheque sempre com sua empresa qual é o desconto aplicado para quem pede vale-transporte (na cidade de São Paulo, por exemplo, ele varia de 3% a 6% do salário bruto).

Plano de saúde
As empresas são livres para descontar determinado valor do salário dos funcionários referente ao plano de saúde oferecido. O desconto pode ser de até 30% do salário bruto, segundo norma da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar). 

No caso de planos de saúde com coparticipação, quando o funcionário paga uma porcentagem de cada atendimento que utiliza, isso também é descontado.

Benefícios
As empresas podem descontar valores referentes a benefícios, como o próprio plano de saúde, vale-refeição ou alimentação, entre outros. 

Assim, para calcular o salário líquido, é preciso fazer a mesma conta acima (salário bruto – IRRF – INSS) e subtrair os descontos extras.

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Ainda não conhece o Nubank? Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história aqui.