Pedir Conta e
Cartão de Crédito

em menos de 1 minuto
e grátis

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Complete os campos ao lado para pedir sua Conta e Cartão de crédito

Agora complete abaixo para pedir sua conta e cartão de crédito

Precisamos de um CPF válido
Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu e-mail. Precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Seu Dinheiro Inflação, crise hídrica,...

Inflação, crise hídrica, aumento no preço da gasolina: entenda o que aconteceu essa semana

Para você não se perder com tantos acontecimentos nos últimos dias, veja os principais destaques e como eles impactam seu bolso.



“Tudo está tão caro”. Provavelmente você ouviu (ou falou) essa frase recentemente. O frio, as queimadas, a falta de chuva, o litro da gasolina chegando a R$ 7… Tudo isso tem impactado – e muito – o bolso do brasileiro.

E essa percepção tem tudo a ver com os temas que foram destaque na semana do dia 6 a 10 de setembro de 2021. Abaixo, entenda melhor os assuntos que dominaram o noticiário. 

A Inflação, A Cesta de Produtos e A Gasolina Vilã 

A inflação, calculada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), ficou em 0,87% em agosto, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).  Esta foi a maior taxa para um mês de agosto desde 2000 e um dos grandes fatores foi o aumento do preço da gasolina.,.

Com isso, a inflação acumulada em 12 meses chegou a 9,68%, a mais alta desde fevereiro de 2016, quando ficou em 10,36%.

Os combustíveis foram os ‘vilões’ da inflação em agosto, com destaque para a gasolina. Segundo o IBGE, a alta foi de 2,96%, acima dos 1,24% do mês anterior.

O que é inflação mesmo?

A inflação indica o aumento generalizado ou contínuo dos preços de uma série de categorias de bens e serviços importantes no dia a dia das pessoas.

Na economia, o conjunto dessas categorias é chamado de “cesta de produtos” e inclui: alimentação, habitação, vestuário, transporte, saúde, despesas pessoais, educação e comunicação.

Leia mais: O que é inflação e como ela afeta sua vida

Qual a inflação para 2021?

A meta da inflação em 2021 é 3,75%, mas existe uma faixa de tolerância que vai de 2,25% a 5,25%. Ou seja: desde que o IPCA fique dentro dessa faixa, ele continua dentro da meta.

Segundo o Boletim Focus (relatório semanal com avaliações de analistas do mercado), a previsão atual da inflação para o fim deste ano é de 4,81% – acima da meta, mas dentro da faixa de tolerância.

O que é uma crise hídrica?

Crise hídrica nada mais é que a falta de água para abastecimento humano em grandes cidades brasileiras. A ausência de chuvas e, muitas vezes, o descuido da população, podem causar secas extremas, provocando colapso nos reservatórios de abastecimento e criando a necessidade do chamado racionamento de água. 

Quais as consequências da crise hídrica no Brasil?

Além de reduzir a quantidade de água disponível para consumo das pessoas, a crise hídrica no Brasil causa problemas na produção de alimentos – o que significa uma redução de oferta., Além disso,como 62% da energia do Brasil é gerada em usinas hidrelétricas, a falta de água também compromete o fornecimento de energia e, consequentemente, reflete na conta de luz.  Além de impactar diretamente na economia.

Leia também: O preço dos alimentos vai subir por causa do frio?

E a gasolina hein?

Só em 2021, o preço da gasolina aumentou nove vezes. Em algumas cidades do país, o preço do litro da gasolina já passa dos R$ 7. No acumulado deste ano até o mês de agosto, o preço da gasolina já avançou 31,09%, enquanto o do diesel acumula alta de 28,02%, de acordo com o IPCA.

Como é definido o preço do combustível?

Segundo a Petrobras, hoje o preço da refinaria (cujas cotações são determinadas pela empresa) representa menos da metade do preço cobrado nos postos de combustível – todo o restante que compõe o preço são “impostos estaduais e federais, custos adicionais com o biodiesel e margem da distribuição do diesel e dos postos”. 

Ou seja: o preço pago pelos brasileiros no diesel, gasolina e gás de cozinha é mais alto pois sofre a incidência de impostos, custos da distribuição, lucro e outros componentes no preço.

Considerando que o preço final dos combustíveis leva em consideração também a inflação, a oferta e demanda do petróleo, a cotação do dólar e outros movimentos da economia, qualquer mudança terá impacto no seu valor — e por consequência, também impactam o consumidor final.

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Ainda não conhece o Nubank? Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história.


4.7

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post