Pular navegação

Como saber se é golpe? 4 sinais de que você está caindo numa enrascada

Toda hora surge um golpe diferente, mas existem semelhanças entre eles. Conheça os principais sinais de perigo e entenda como não cair em golpes financeiros.

Muito antes da internet, WhatsApp e redes sociais para alguém te avisar dos novos golpes na praça, eles já existiam. Na verdade, os golpes existem há milhares de anos. Não se sabe ao certo quando eles surgiram, mas a ideia de enganar uma pessoa para conseguir algo em troca vem das civilizações mais antigas. Mas como saber é golpe mesmo?

Hoje, vira e mexe aparece uma tática diferente, mas muitas vezes a essência dessas fraudes é a mesma de outras bastante conhecidas. O que há de comum entre elas? Como identificar os sinais de um golpe e como evitar cair numa cilada?

Saiba, abaixo, como saber se é golpe e conheça algumas dicas para aumentar a sua segurança.

https://www.youtube.com/watch?v=4vw2VLMLn_g

Como saber se é golpe: 4 sinais que todos eles têm em comum

Golpe do Pix, do novo número, da falsa central de atendimento, esquemas de pirâmide… A lista é extensa, mas todos compartilham a mesma lógica: seja pessoalmente ou por meios digitais, golpistas aplicam uma técnica de manipulação chamada de engenharia social para enganar suas vítimas.

Em outras palavras, o que os criminosos fazem é criar confiança para induzir suas vítimas executar alguma ação ou tomar decisões no impulso para roubar dinheiro ou informações sensíveis.

A boa notícia é que existem alguns indícios que podem te ajudar a perceber uma tentativa de golpe e se livrar de uma cilada antes que ela aconteça. Confira alguns dos principais sinais de que algo está errado.

1. Parece bom demais para ser verdade

Tudo bem, coisas boas acontecem. Mas será que uma proposta incrível de um investimento que dobra de valor em pouco tempo é verdadeira? Ou, então, aquela mensagem prometendo um cartão de crédito com limite alto para negativados?

Os golpes costumam aparecer com mais frequência em tempos de crise, quando as pessoas estão vulneráveis. Isso acontece porque os golpistas se aproveitam da fragilidade das vítimas para aparecer com soluções e promessas que resolveriam seus problemas financeiros de uma hora para outra. Mas mesmo quando a economia vai bem, eles estão presentes.

Por isso, na dúvida, é importante ligar o "desconfiômetro" e tentar entender mais sobre aquilo que estão te oferecendo. Muitos esquemas fraudulentos surgem de propostas que parecem boas, mas que, na verdade, só vão te prejudicar.

2. Tudo é urgente

Outro artifício usado é o senso de urgência. E isso funciona em diversos contextos: dos anúncios falsos de produtos na internet até aquela mensagem de um conhecido pedindo dinheiro pelo WhatsApp

Pessoas com pressa tendem a agir no impulso e podem tomar decisões precipitadas.

Imagine que já faz um bom tempo que você está procurando uma geladeira para comprar. Navegando por alguma rede social, você vê esse produto por menos da metade do preço que andou pesquisando. O anúncio diz que a oferta é válida somente para compras feitas em até dez minutos. Bom negócio, certo? Mas será que o site é confiável?

Antes mesmo de clicar no link que aparece nessa rede social, vá até o seu navegador e busque pela loja. Se ela existir de fato, entre no site para entender se essa promoção é mesmo real. Vale também ter cuidado com o pagamento e checar as informações da conta que receberá aquele valor.

Outra situação: um conhecido te manda mensagem e diz que está precisando de dinheiro naquele momento. Por mais que você confie na pessoa e queira ajudar, investigue se aquele contato é verdadeiro. Ligue para o número, ou faça perguntas para saber se a pessoa conseguirá responder corretamente.

Tente também fazer chamadas por vídeo, mas preste atenção na forma como a pessoa age e fala. Isso porque os golpistas podem usar Inteligência Artificial para replicar a imagem e a voz de alguém. Essa técnica se chama deepfake.

3. Pede informações desnecessárias

Por que o seu banco te ligaria para pedir a senha do seu cartão? Senhas – seja a do cartão de crédito, a do seu e-mail, aplicativo ou qualquer outra conta que você tenha – são pessoais, e você não deve compartilhá-las com mais ninguém.

Isso também vale para os seus dados. Desconfie de contatos que peçam informações demais sobre você. No caso de mensagens e e-mails, fique atento ao remetente e confira se quem enviou é de confiança.

No caso de ligações feitas por funcionários de instituições, se você não tiver certeza de que está falando com alguém que realmente representa a empresa, desligue a chamada e tente ligar para um número oficial – como os que aparecem nos canais oficiais de bancos, lojas e outras instituições. Contudo, espere pelo menos 10 minutos para fazer essa ligação ou ligue de outro aparelho.

https://www.youtube.com/watch?v=oWEyif6kwWM

4. Obriga a baixar um arquivo

Cuidado ao clicar em links que te redirecionam para uma página de downloads. Existem softwares maliciosos que podem roubar os seus dados, então é preciso estar alerta ao baixar arquivos. 

Há situações em que você realmente vai precisar baixar algum programa para executar uma ação no seu celular ou computador. Mas, ao fazer isso, se certifique de que você está fazendo o download a partir de um site confiável.

Ao baixar aplicativos, use apenas as lojas oficiais: praticamente todos os apps podem ser baixados nas lojas dos sistemas operacionais iOS e Android.

Isso quer dizer que essas situações sempre serão golpes?

Nem sempre. Apesar destes serem alguns sinais de que talvez a situação seja uma enrascada, cada caso precisa ser analisado de maneira isolada. 

Tudo isso pode também não ser um golpe. Afinal, é normal que em algum momento você encontre uma promoção muito boa online, ou então que aconteça algo urgente, ou que seja necessário baixar algum programa… Mas esse conjunto de fatores são importantes para ficar alerta, pensar com cuidado e manter a calma antes de agir.

Leia também:

Todo mundo é uma potencial vítima de um golpe. Por que caímos com tanta facilidade?

Parece o Nubank, mas não é o Nubank: conheça nossas iniciativas de prevenção a golpes

O que é deepfake e como essa tecnologia está sendo usada em fraudes

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Ainda não conhece o Nubank? Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história aqui.