Pedir Conta e
Cartão de Crédito

em menos de 1 minuto
e grátis

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Investimentos Por que o mercado de cri...

Por que o mercado de criptomoedas é tão volátil? Entenda o sobe e desce dos preços

Ora o preço sobe, ora o preço cai. Tudo em questão de segundos, minutos ou horas. Essa oscilação é chamada de volatilidade. E ela é presença garantida no mundo das criptomoedas. Saiba mais.



imagem mostra criptomoedas voando em um fundo roxo

Os termos do mercado financeiro sempre causam muitas caretas por aí. Só de ouvir falar em volatilidade, por exemplo, as pessoas já ficam assustadas. A dúvida da vez é: afinal, por que o mercado de criptomoedas é tão volátil?

A volatilidade é usada para medir a intensidade e a frequência com que o preço de um ativo financeiro varia. E no mundo das moedas digitais, esse sobe e desce acontece o tempo todo, sete dias por semana, 24 horas por dia. Afinal, esse é um mercado que nunca para. 

Ganhe controle sobre suas finanças: assine nossa newsletter para receber conteúdo exclusivo.

Alguns ativos possuem alta volatilidade, e também alto risco, e outros possuem baixa volatilidade, com baixo risco. E as criptomoedas se encaixam no primeiro time.

A volatilidade também pode representar risco no curto prazo, mas também pode representar uma boa oportunidade no longo prazo. Tudo vai depender dos seus objetivos.

Abaixo, entenda como funciona o vai e vem da volatilidade e o seu impacto nas criptomoedas.

O que é volatilidade?

Na prática, a volatilidade é um “medidor” da variação de um ativo. Quando se diz que um ativo tem alta volatilidade, significa que seu preço varia muito e pode cair ou subir de maneira muito rápida, por exemplo. 

De forma mais detalhada, esse é um conceito voltado para o mercado financeiro: trata-se de uma variável que analisa, durante determinado período, a velocidade, intensidade e frequência com que o preço do ativo varia.

A Bolsa de Valores é um dos melhores exemplos de volatilidade. Os preços das ações sobem e descem diariamente, e essa variação é impactada por fatores como oferta e demanda, resultados financeiros das empresas, crises políticas, econômicas e militares, notícias, e até mesmo boatos. 

Entender esse conceito é importante para criar cenários com diferentes ativos, prever tendências, períodos de alta ou de baixa e poder se prevenir. Especialmente para investidores, na hora de escolher onde colocar o dinheiro é importante entender como equilibrar esse sobe e desce e, principalmente, os riscos.

Volatilidade no mundo das criptomoedas

Não é à toa que especialistas dizem para levar em conta a sua tolerância ao risco antes de se aventurar no universo das moedas digitais. 

O mercado de criptomoedas possui altíssima volatilidade. Ou seja, para investir nele, a sua disposição para correr riscos financeiros deve ser ainda maior. 

Constantemente, as criptomoedas variam suas cotações de preços. Algumas moedas digitais podem subir 10% em uma hora, podem cair 20% em outra hora. Já outras moedas, consideradas mais sólidas, podem subir apenas 2% em uma hora, por exemplo. 

Um dos maiores exemplos de volatilidade está no bitcoin, a primeira e mais importante criptomoeda do mundo. Essa moeda digital passou por oscilações de preço muito fortes e isso ainda acontece frequentemente.

Na época do lançamento, em 2008, um bitcoin valia centavos. Entre 2009 e 2011, a valorização foi de impressionantes 30 mil por cento.

Em dezembro de 2017, um bitcoin chegou a valer R$ 64 mil. Um ano depois, em dezembro de 2018, ele caiu para cerca de R$ 12 mil. Muitas altas e baixas vieram depois disso e atualmente um bitcoin vale, no momento em que este texto é escrito, cerca de R$ 192 mil. Quando você ler este post, muito provavelmente o valor será outro.

Para quem não tem estômago para encarar as bruscas oscilações, essa montanha-russa pode causar perdas expressivas. Isso pode acontecer, por exemplo, se a pessoa vender suas criptomoedas desvalorizadas, ou seja, com prejuízo.

Em compensação, com a valorização do ativo, o lucro pode ser vantajoso. A dica é começar a investir com pequenas quantias e pesquisar bastante antes de tomar qualquer decisão.

O que determina o preço das criptomoedas?

O preço das criptomoedas é definido basicamente pela oferta e demanda durante as negociações.

Se as pessoas sentem que uma cripto não é segura ou está desvalorizando demais, muitas vendem suas moedas e o preço despenca mais ainda. 

Se, por outro lado, a criptomoeda parece atrativa, com o valor subindo, muita gente vai querer comprar e esse movimento faz o preço aumentar mais.

Até mesmo notícias da imprensa ou um tweet de uma pessoa relevante podem influenciar esse comportamento. Por isso tudo, o bitcoin e outras criptomoedas se transformaram em uma forma de investimento. Em outras palavras, as pessoas compram as criptos por um valor e esperam vendê-las mais caras no longo prazo.

Se uma criptomoeda está sendo muito negociada, sua volatilidade será maior. Tudo pode mudar de repente, por isso o bitcoin é um exemplo de ativo altamente volátil, assim como outras criptomoedas: ether (ETH); tether (USDT); binance coin (BNB) etc.

Confira as 10 maiores criptomoedas do mundo

Por que as criptomoedas são tão voláteis?

Muitos fatores contribuem para a alta volatilidade das criptomoedas. Alguns deles são:

Mercado novo

Por ser um mercado bastante emergente, ainda gera muita especulação, estranheza e desconfiança. Primeiramente, é preciso fazer as pessoas compreenderem que o uso das criptomoedas é totalmente digital e não físico.

Em outras palavras, as criptomoedas só existem na internet. Com essa compreensão, que ainda vai levar um tempo, certamente elas se sentirão mais seguras para realizar negociações.

Impacto midiático

A mídia possui um grande impacto nas movimentações da moeda se comparado a outros mercados, justamente por se tratar de um setor ainda novo. Ou seja, muitos investidores novatos se informam por portais e até mesmo por influencers digitais em vez de estudarem para tomar as próprias decisões. 

Um exemplo: após a divulgação de notícias que nem sempre são confiáveis ou que ainda são apenas expectativas, o mercado entra em ebulição. Toda essa movimentação causada por desinformação, muitas vezes, provoca uma volatilidade desnecessária.   

Concentração de ativos

 O mercado de criptomoedas ainda está concentrado nas mãos de poucas pessoas. Ou seja, a maior parte das negociações são feitas por um grupo reduzido de compradores . Desse modo, os preços ficam sujeitos às movimentações dessas carteiras.

Para controlar a volatilidade, é preciso ter mais pessoas negociando criptomoedas, assim o mercado tende a ficar mais equilibrado.

Lucro em curto prazo

Ao se empolgarem com uma alta passageira em determinada criptomoeda, muitas pessoas entram no mercado só para buscar o lucro em curto prazo. Ao verem que não é bem assim que funciona, elas saem com a mesma rapidez que entraram, afetando muito a oscilação de preços. Por isso, o ideal é estudar a área e pensar nesse ativo financeiro para objetivos de longo prazo. 

24h disponível

Diferentemente do mercado de ações que funciona apenas durante os pregões, o mercado de criptomoedas não dorme. Funciona 24/7 (24 horas por dia, 7 dias por semana). Esse fator impacta diretamente no preço das moedas digitais, porque as pessoas estão movimentando os ativos o tempo inteiro, sem descanso.

Como saber se uma criptomoeda é boa para investir?

Existem mais de 19 mil criptomoedas em circulação no mundo hoje. Todos os dias surgem novos projetos. Até o Rio de Janeiro está pensando em criar uma criptomoeda própria: a CriptoRio. Ainda não existem detalhes sobre esta iniciativa.

Mas como diferenciar se uma criptomoeda é boa ou ruim? Fique de olho em alguns sinais antes de comprar e decidir se vale a pena ou não colocar o seu dinheiro em determinado projeto de cripto.

Quem é quem

Analise a motivação do projeto de criptomoeda e a equipe por trás dele. Qual problema ele veio solucionar? Alguém da equipe já participou de outros projetos notáveis no mercado cripto? Credibilidade é tudo.

Normalmente, é possível encontrar essas informações no white paper (livro branco), documento que traz todos os detalhes do projeto e é de suma importância. Confira os white papers das criptomoedas mais famosas do mundo: 

  • Veja aqui o white paper do bitcoin (BTC).
  • Veja aqui o white paper da ethereum (ETH). 

Fica a dica: sempre é válido ouvir as opiniões de pessoas que seguem o mercado cripto há mais tempo, pois já estão acostumadas com certos históricos de problemas e conseguem alertar quem está chegando para fugir de possíveis fraudes e golpes. Participar de fóruns da comunidade cripto é um caminho. 

  • Confira aqui as comunidades sobre bitcoin (BTC).
  • Confira aqui as comunidades sobre ethereum (ETH). 

Métricas

Avalie as métricas financeiras do projeto. Dados como capitalização de mercado, volume e  liquidez são essenciais para tomar a melhor decisão.

Capitalização de mercado

A capitalização do mercado é uma das formas mais eficazes de se medir o valor real das moedas criptografadas. Nada mais é do que o preço atual de uma criptomoeda multiplicado pela quantidade de ativos em circulação.

Veja a capitalização de mercado do bitcoin clicando aqui.

Quanto custa um bitcoin? Veja o que faz o preço da criptomoeda subir ou descer

Volume

O volume está associado à movimentação de compra e venda de uma criptomoeda. Por meio dele, é possível medir o entusiasmo de compradores e vendedores, além de observar sinais sobre o rumo que o preço da moeda vai tomar.

Ele nada mais é do a quantidade de moedas negociadas em um determinado período. O volume pode ser medido diariamente, semanalmente ou mensalmente. 

Liquidez

A falta de liquidez de uma cripto é um grande problema. Liquidez é a capacidade de um investimento se transformar em dinheiro, por isso está relacionada ao número e grau de interesse de compradores, vendedores e das transações entre eles.  

Imagine não conseguir vender ou comprar criptomoedas por falta de vendedores/compradores? Isso é muito ruim para os investidores e para o mercado de cripto como um todo. 

Como escolher criptomoedas para comprar?

Leia também:

Entenda como funcionam as criptos e por onde começar se você tem interesse em comprá-las

Criptomoedas em alta: por que as moedas virtuais ganharam mercado?

O que eu posso fazer com criptomoedas?

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Ainda não conhece o Nubank? Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história aqui.

4.15

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post