Pedir Conta e
Cartão de Crédito

em menos de 1 minuto
e grátis

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Investimentos Como escolher criptomoed...

Como escolher criptomoedas para comprar?

Com quase 19 mil criptos no mercado, é importante checar algumas informações antes de decidir em qual você vai colocar dinheiro. Confira algumas dicas.



Primeiro veio o bitcoin, em janeiro de 2009. Mas ele não ficou sozinho por muito tempo. Pouco mais de uma década depois, o número de criptomoedas disponíveis no mercado teve um boom. Atualmente, a plataforma especializada CoinMarketCap já contabiliza quase 19 mil moedas digitais em circulação. Para quem se interessa por esse universo, saber como escolher criptomoedas para comprar pode ser um desafio.

Claro que as criptos mais valiosas continuam sendo também as mais negociadas, como o bitcoin e o ether, criptomoeda da rede blockchain Ethereum. 

Ganhe controle sobre suas finanças: assine nossa newsletter para receber conteúdo exclusivo.

Mas, seja para colocar dinheiro nas criptos mais famosas ou para descobrir novas oportunidades, é preciso ter cuidado e avaliar várias informações antes de tomar uma decisão.

Para te ajudar nesse processo de escolha, confira as dicas a seguir e saiba como escolher criptomoedas.

O que são criptomoedas?

Criptomoeda é o nome genérico para moedas digitais descentralizadas. Em outras palavras, as criptomoedas só existem na internet. É por isso que elas também não podem ser tocadas, diferentemente das moedas que já utilizamos no nosso dia a dia, como o real, o dólar e o euro, por exemplo. 

Por consequência, elas também não podem ser guardadas em carteiras físicas, cofres e nem embaixo do colchão. 

As criptomoedas também podem ser definidas como uma espécie de dinheiro virtual descentralizado, ou seja, não existe um órgão ou governo responsável por intermediar, controlar ou autorizar as emissões e transações dessas moedas. Quem faz tudo isso são os próprios usuários, pessoas comuns espalhadas pelo mundo.

A tecnologia por trás das criptomoedas é o blockchain. De forma resumida, esse sistema funciona como um livro onde todos os dados são registrados. Ele permite rastrear o envio e recebimento de alguns tipos de informações pela internet. São pedaços de código gerados online que carregam informações conectadas, como blocos de dados que formam uma corrente – daí o nome (block = bloco, chain = corrente).

O nível de segurança é bastante alto no blockchain. Os usuários da rede validam todas as transações de criptomoedas. Isso traz mais confiança para o sistema.

Como funciona o blockchain?

As criptomoedas são negociadas na internet em uma rede própria, chamada blockchain. Em outras palavras, todas as transações entre os participantes da rede ficam registradas nesse banco de dados.

O blockchain funciona como um sistema onde é possível rastrear o envio e o recebimento de alguns tipos de informações pela internet. Ele funciona como um livro de registros, só que de forma pública, compartilhada e universal, que cria consenso e confiança na comunicação direta entre duas partes, ou seja, sem o intermédio de terceiros.

Todas as informações são enviadas pelo blockchain em blocos de dados que formam uma espécie de corrente. Um detalhe importante é que, quando uma transação de criptomoedas acontece na rede blockchain, não é possível ver o que foi enviado nem quem enviou, apenas quando houve o envio.

Realizar todas essas operações é um pouco complexo. São poucas as pessoas que têm as máquinas necessárias para criar os códigos que selam os blocos de dados e juntá-los com outros, por isso elas são remuneradas por esse trabalho.

Quais as maiores criptomoedas do mercado?

Considerando o valor de mercado das criptomoedas, veja, abaixo, quais são as maiores do mundo, segundo a plataforma de cotações CoinMarketCap.

Importante: estes valores mudam com frequência, então vale checar direto na plataforma para saber o preço do momento.

CriptomoedaMarket Cap do dia 20/4/2022
(bilhões de US$)
Bitcoin (BTC)785
Ethereum (ETH)370
Tether (USDT)82
Binance Coin (BNB)68
USD Coin (USDC)49
XRP (XRP)36
Solana (SOL)35
Terra (LUNA)33
Cardano (ADA)32
Avalanche (AVAX)21
Fonte: CoinMarketCap / Considerando as cotações do dia 20/4/2022

Como escolher criptomoedas?

Criptomoedas são ativos de alto risco, por isso é preciso cautela e informação para entender como escolher criptomoedas para comprar.

Uma das formas de tomar essa decisão é analisando-as da mesma forma que você faria com uma empresa antes de investir em suas ações: é uma cripto sólida e com alto valor de mercado? Está em alta ou em baixa? É relativamente pequena ou recente, mas tem perspectivas promissoras?

Você pode, por exemplo, verificar se a moeda virtual está listada nas maiores exchanges (corretoras especializadas em criptomoedas) e também conferir os fundos que já investem no ativo. Outra dica importante é entrar nos sites oficiais das moedas virtuais e ler o whitepaper, um documento com todas as informações importantes sobre ela, como o propósito do projeto, especificações técnicas etc.

Comprar uma criptomoedas exige muita pesquisa. Reserve um tempo para conhecer todos os detalhes, entender os termos e o que está por trás das moedas que te chamaram a atenção. Vale, inclusive, começar pelas mais conhecidas, como o bitcoin e ether (criptomoeda oficial da rede Ethereum). 

E não se apegue apenas ao histórico de valorização das criptos. Retornos passados não garantem rentabilidade futura. Por isso, comece aos poucos, com pequenas quantias, e não se esqueça de construir antes a sua reserva de emergência, que é aquele valor que poderá ser usado para imprevistos.

Por fim, nunca se esqueça da diversificação. Tente distribuir o dinheiro em diferentes tipos de criptomoedas e também em investimentos tradicionais, como por exemplo ativos de renda fixa.

Leia também: como comprar em criptomoedas?

Saiba o que avaliar na hora de escolher criptomoedas

Quem está por trás da criptomoeda?

Pesquise sobre o projeto da criptomoeda. Procure saber se há uma empresa por trás, quais os motivos para a sua criação etc. Utilize os sites oficiais das moedas para buscar essas informações.

Além disso, uma dica é ler o que os especialistas desse mercado estão comentando sobre a criptomoedas em grupos especializados e redes sociais. Essas pessoas costumam acompanhar de perto os principais projetos e podem te ajudar com informações importantes até projeções para o futuro de uma moeda digital.

Tome cuidado para não cair em armadilhas. Hoje em dia, é fácil encontrar diversos vídeos no YouTube falando bem de determinada criptomoeda, mas isso não quer dizer, necessariamente, que aquela é uma boa escolha. Para saber como escolher criptomoedas, procure por informação de boas fontes, de profissionais sérios e reconhecidos.

Qual tecnologia a moeda digital oferece?

Criptomoedas são mais do que moedas digitais. Uma boa criptomoeda precisa oferecer uma tecnologia com potencial de solucionar algum problema ou mexer com algum mercado. O bitcoin, por exemplo, foi responsável por popularizar o blockchain. Já a rede Ethereum permite até mesmo a criação de novas criptomoedas a partir da sua tecnologia.

Quanto mais importante for a função da moeda, mais pessoas irão usá-la e maior será o potencial de ganhos no longo prazo. Portanto, entenda o uso da criptomoeda para saber se ela é séria ou apenas uma brincadeira, como as meme coins, cuja valorização muitas vezes não tem qualquer sentido.

Um dos maiores exemplos de criptomoedas sem uma função específica por trás é a dogecoin, baseada em um famoso meme da internet que usa a figura de cachorro da raça Shiba, do Japão. Ela se popularizou e ganhou um alto valor de mercado depois de ser citada pelo bilionário Elon Musk. 

Criptomoeda dogecoin usa imagem de cachorro da raça Shiba, do Japão.

Verifique a capitalização de mercado

Quando uma empresa entra na Bolsa de Valores, o mercado diz o quanto ela vale por meio da definição do preço. Na prática, o valor de mercado é o preço da ação multiplicado pelo número total de ações que a empresa tem na Bolsa. 

No mercado de criptomoedas é a mesma coisa. A capitalização de mercado de uma cripto é o preço de cada moeda multiplicado pela quantidade de ativos disponíveis. Esse valor é um indicativo de certa maturidade de uma cripto no mercado. Mas não é – e nem deve ser – o único critério.

Veja qual é o volume de negociações

Outra forma de verificar a relevância de uma criptomoeda é pelo seu volume de negociação. O volume corresponde ao valor de todas as compras e vendas feitas durante um determinado período de tempo, em uma ou em várias exchanges (corretoras especializadas em criptomoedas).

Projetos considerados sérios têm muito mais fluxo e volume nas negociações. E isso também faz com que o preço mude, podendo inclusive subir. As meme coins, que muitas vezes são criadas por brincadeira, costumam não ter adesão de tantas pessoas e, por isso, tem um menor volume de negociação. 

Leve em consideração o seu perfil de investidor

Criptomoedas são ativos de alto risco. Elas também são ativos de renda variável, ou seja, com grande variação nos preços e sem garantia de retorno. Por isso, são indicadas para pessoas com perfil de investidor mais agressivo. Então reflita bem antes de colocar o seu dinheiro em moedas digitais e verifique se elas estão adequadas ao seu perfil e aos seus objetivos.

Leia também:

O que é blockchain – uma explicação simples

Ethereum: como funciona a segunda criptomoeda mais famosa do mundo?

Criptomoedas em alta: por que as moedas virtuais ganharam mercado?

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Ainda não conhece o Nubank? Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história aqui.

3.82

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post