Pedir Conta e
Cartão de Crédito

em menos de 1 minuto
e grátis

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Complete os campos ao lado para pedir sua Conta e Cartão de crédito

Agora complete abaixo para pedir sua conta e cartão de crédito

Precisamos de um CPF válido
Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu e-mail. Precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Dinheiro no mundo El Salvador adota o bitc...

El Salvador adota o bitcoin como moeda oficial. Como funciona a criptomoeda?

O pequeno país da América Central é o primeiro no mundo a estabelecer a criptomoeda como forma oficial de realizar pagamentos e transações.



O mundo das criptomoedas ganhou um novo marco hoje, 7 de setembro de 2021: El Salvador se tornou o primeiro país a adotar o bitcoin como moeda oficial.

Isso significa que o criptoativo passa a ser aceito em qualquer transação no país, incluindo pagamento de bens e serviços – em outras palavras, as pessoas poderão usar o bitcoin no seu dia a dia como se fosse uma moeda comum.

Mas como isso aconteceu? O que muda na vida da população? Abaixo, entenda melhor essa novidade do país latinoamericano.

Como El Salvador adotou a criptomoeda?

Esse movimento começou no dia 9 de julho de 2021, quando a Assembleia Legislativa de El Salvador aprovou um projeto que estabelece o bitcoin como moeda oficial para qualquer tipo de pagamento e transação – seja entre pessoas físicas, entre pessoas físicas e jurídicas, ou entre pessoas jurídicas.

A justificativa do governo é que isso vai ajudar a bancarizar a população do país. Entidades internacionais (como o Banco Mundial e o Fundo Monetário Internacional), por outro lado, criticam a medida por alguns motivos, como a instabilidade do bitcoin.

Outro objetivo do governo com a criptomoeda é evitar gastos milionários com remessas internacionais de dinheiro. Isso acontece porque, desde 2001, El Salvador adotou o dólar como moeda padrão para transações, tornando a economia local dependente de instituições americanas que atuam como intermediárias.

Um detalhe importante é que, mesmo adotando o bitcoin como moeda oficial, El Salvador não vai interferir na cotação da cripto. Ou seja, seu preço vai continuar flutuando de acordo com os movimentos do mercado – o bitcoin, assim como outras criptomoedas, não é regulado por nenhum banco central.

Saiba como surgiu o bitcoin e como funciona essa criptomoeda adotada pelos salvadorenhos.

Como surgiu o bitcoin?

O conceito do bitcoin surgiu em 2008, no artigo acadêmico Bitcoin: um sistema financeiro eletrônico peer-to-peer, de autoria de Satoshi Nakamoto (pseudônimo do suposto criador da criptomoeda).

Na época, o mundo passava pela pior crise econômica desde a Grande Depressão de 1929. Como resultado do estouro de uma bolha no mercado financeiro, um dos maiores bancos dos Estados Unidos foi à falência e impactou as bolsas do mundo todo: em poucos dias, elas perderam US$ 4 trilhões de dólares.

Então, para driblar a desconfiança no sistema tradicional, o tal “Satoshi Nakamoto” sugeriu em seu artigo criar um dinheiro digital puramente peer-to-peer (“de pessoa para pessoa”, em tradução livre). Ou seja, que poderia ser enviado de uma pessoa para outra sem passar por uma instituição financeira.

E foi assim que surgiu o bitcoin: a primeira moeda inteiramente digital e independente do mundo, formada por um código complexo protegido por criptografia e totalmente descentralizada. Isso significa que não existe um órgão ou governo responsável por controlar, intermediar e autorizar emissões de moedas, transferências e outras operações; quem faz isso são os próprios usuários.

E o que isso significa de fato?

Como não existe uma entidade responsável por regular o bitcoin, seu preço é formado, principalmente, pela oferta e demanda – quanto mais pessoas interessadas em comprar, mais caro fica, e vice-versa.

Além disso, o bitcoin foi criado como uma moeda limitada. Diferentemente do real, dólar e euro, que podem ser emitidos conforme a necessidade de cada país e as regras dos bancos centrais, o bitcoin pode ser gerado no máximo 21 milhões de vezes. Até setembro de 2021, quase 19 milhões de bitcoins já haviam sido emitidos.

Como funciona o bitcoin?

O bitcoin é negociado na internet em uma rede blockchain: um banco de dados onde são registradas todas as transações entre os participantes da rede. Embora os dados de pagador e recebedor sejam anônimos, é possível acompanhar todas as movimentações. 

Já os bitcoins de cada usuário são armazenados nas chamadas carteiras digitais, por onde é possível transferir e acessar as moedas. Elas são, basicamente, programas e softwares instalados em computadores e celulares.

Como um dos pilares do bitcoin é a criptografia, uma camada de segurança online que dificulta bastante qualquer tipo de fraude, o bitcoin é considerado muito seguro. O que pode acontecer, entretanto, é as carteiras digitais ou corretoras de bitcoin serem roubadas.

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Ainda não conhece o Nubank? Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história.

4.11

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post