Complete abaixo para pedir sua conta e seu cartão de crédito

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Seu Dinheiro Dicionário Financeiro O que é criptografia: c...

O que é criptografia: como funciona essa camada de proteção online?

Entenda como a técnica que foi usada no Império Romano para troca de mensagens secretas evoluiu para se tornar um dos grandes mecanismos de segurança da internet (e das compras com cartão).

Na Roma antiga, cerca de 100 anos A.C, o imperador Julio César ficou famoso por usar uma forma bastante particular para se comunicar com seus generais – um código que, até hoje, é chamado de Cifra de César. 

O esquema consistia em substituir cada letra do alfabeto por outra algumas casas para frente – por exemplo, 3 letras seguintes. Assim, todo A virava D, todo B virava um E e assim por diante. 

Para decodificar as mensagens de César, os generais romanos precisavam saber qual era o código usado – quais letras precisavam ser substituídas. Caso contrário, a mensagem à sua frente dificilmente faria algum sentido.  

A Cifra de César é um dos exemplos mais antigos de criptografia – a arte de cifrar uma escrita e fazer com que não seja compreendida por outras pessoas. 

Usada há séculos para codificar mensagens e garantir que somente pessoas específicas consigam entender seu conteúdo, a criptografia ganhou quase um novo significado na era da informação digital. 

Hoje, a arte de codificar comunicações é sinônimo de segurança e a criptografia se tornou uma forma de proteção de dados usada mundialmente para garantir a confidencialidade e integridade do que está sendo compartilhado – seja em uma transação com cartão de crédito, seja no envio de mensagens por aplicativos.

Mas… O que é criptografia?

De forma bem simplificada, a criptografia digital é uma forma de embaralhar a informação para que somente quem tem o código – também chamado de “chave” – consiga decifrá-la. 

Se Júlio César fazia isso trocando uma letra por outra, hoje o “embaralhamento” se dá de forma bem mais complexa e segura por meio de algoritmos: o computador que envia uma informação criptografada usa uma função matemática para torná-la ilegível. 

E por que isso é tão seguro? Porque somente a outra ponta dessa transação tem a chave para decodificar esses dados. 

Um jeito simplificado de enxergar o quão poderosa é a criptografia moderna é fazendo uma analogia à Cifra de César.

Pense em uma palavra. Agora, ao invés de trocar as letras de lugar, vamos picar cada uma delas. Mas ao invés de picar um número fixo de vezes, vamos picar e embaralhar ela um número secreto de vezes. Além disso, para deixar ainda mais difícil, vamos repetir esse processo tantas vezes quanto é o nosso número secreto.

Se escolhermos um número secreto pequeno, fica fácil de adivinhar qual é. Mas se escolhermos um que seja bem grande (muito grande mesmo) fica bem difícil de alguém descobrir e conseguir ler a mensagem.

Para que serve a criptografia?

A criptografia serve para enviar dados de forma secreta, segura e rastreável. Ou, em outras palavras, costuma-se dizer que as três propriedades principais da criptografia são confidencialidade, integridade e irrefutabilidade.

Confidencialidade: a capacidade de embaralhar as informações e impedir que elas sejam acessadas. 

Integridade: uma informação criptografada não pode ser violada. Isso significa que nada será adicionado, retirado ou modificado de um documento enviado por criptografia, por exemplo. Isso vale também para transações com cartão de crédito: a criptografia é mais uma camada para proteger a transação do cartão entre o chip e a operadora. 

Irrefutabilidade: a criptografia consegue garantir a autoria de uma ação. Por exemplo, quando alguém faz uma assinatura digital com seu e-CPF (ou e-CNPJ), esse processo é autenticado por uma chave criptográfica. Quando alguém faz uma compra, é possível saber em qual máquina e por qual cartão aquela compra foi feita. 

Quem pode decodificar uma mensagem criptográfica?

A mensagem protegida por meio de criptografia moderna pode ser lida com a chave correta – no caso, quantas vezes picotamos a informação. 

Na prática, cada chave é um número secreto gigantesco de 617 ou 1233 dígitos. 

Como a criptografia funciona nos cartões de crédito?

A criptografia é uma das muitas tecnologias usadas para proteger usuários de cartão de crédito durante as transações. 

Quando a compra é confirmada, o chip do cartão envia um sinal codificado daquela operação. É como se ele criasse uma assinatura que dissesse “ei, esses dados passaram por mim”. 

O envio dos dados também se dá de forma criptografada, o que significa que somente quem tem a chave certa – no caso, as pontas da operação, como a bandeira, o emissor e o adquirente, conseguem acessar as informações. 

Quer saber mais sobre criptografia?

Ao longo da história, a criptografia não apenas foi usada para enviar importantes mensagens, como também inspirou uma série de histórias. Veja, abaixo, uma seleção com filmes sobre o tema (alguns baseados em fatos reais):

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Ainda não conhece o Nubank? Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história aqui.

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post