Pedir Conta e
Cartão de Crédito

em menos de 1 minuto
e grátis

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Seu Dinheiro Imposto de Renda Como declarar fundos de ...

Como declarar fundos de investimentos no Imposto de Renda?

Todos os ativos de investimentos precisam ser declarados no IR, mas não é necessário pagar o imposto para todos eles. Veja mais detalhes.



Apesar de ser um processo que acontece todo ano, o Imposto de Renda ainda causa muitas dúvidas nos contribuintes, e casos específicos, como a declaração de fundos de investimentos, geram ainda mais questões. 

A boa notícia é que com planejamento dá pra declarar sem dificuldades e, depois que você entende a lógica por trás da declaração, a cada ano fica mais fácil.

Ganhe controle sobre suas finanças: assine nossa newsletter para receber conteúdo exclusivo.

Antes de mais nada, é importante reforçar que declarar e pagar imposto são movimentos diferentes. Cada tipo de investimento tem regras e alíquotas distintas e o primeiro passo é saber quais são os seus investimentos. 

No caso dos fundos de investimento, o tempo e o tipo de fundo exigem formas diferentes de declarar cada um deles. Na maior parte dos casos, os informes de rendimentos explicam como precisam ser declarados.

Veja, a seguir, quais são as regras específicas para declaração e pagamento em cada tipo de fundo de investimento.

Importante: o texto abaixo é uma forma de ajudar na sua busca por informações. Em caso de dúvidas, procure um contador ou profissional qualificado para auxiliar na sua declaração.

Alíquotas de IR sobre os fundos de investimentos

Os tributos sobre os fundos de investimentos variam de acordo com o tipo de ativo que compõem a carteira. Ou seja, para fundos de renda fixa e multimercado, a alíquota do IR leva em consideração dois fatores: o prazo de vencimento dos investimentos que o próprio fundo vai fazer e o tempo que você mantém o dinheiro aplicado. Neste caso, o IR também fica retido na fonte. Por isso, não há necessidade de Darf

Curto prazo 

São fundos de renda fixa e multimercado cujo prazo de vencimento médio é de até 360 dias. A alíquota de imposto neste caso é regressiva: quanto maior o prazo do investimento, menor o imposto a ser pago.

PrazoAlíquota de IR
Até 180 dias22,5%
De 181 a 360 dias20%

Longo prazo 

São fundos multimercado e renda fixa cujos ativos na carteira vencem em um prazo superior a 360 dias. Assim como nos fundos de curto prazo, a alíquota é regressiva.

PrazoAlíquota de IR
De 361 a 720 dias17,5%
Acima de 720 dias 15%

Existem, também, outros tipos de fundos que não se encaixam nesse perfil. Esse é o caso dos fundos de ações, fundos de índices (ETFs) e fundos imobiliários (FII). Isso porque não há vencimento dos ativos que compõem essas categorias de fundos. 

Outros fundosAlíquota de IR
Venda de ações e ETFs15%
FII20%
ETFs de renda fixa15% (acima de 720 dias), 20% (de 181 a 720 dias) ou 25% (até 180 dias)

No caso dos fundos ETFs de renda fixa, a variação ocorre de acordo com o prazo médio da carteira de ativos financeiros.

Para os fundos sem vencimento, o Imposto de Renda é cobrado das seguintes formas: na hora de resgatar, caso haja lucro e a cada seis meses por meio do mecanismo do imposto come-cotas (veja abaixo). O valor das alíquotas varia de acordo com o tempo em que a aplicação foi feita e o regime de tributação do fundo.

  • Importante: o imposto incide sobre os ganhos do rendimento e não sobre o valor total do investimento. Ou seja, você só paga IR em operações de venda lucrativas.. Além disso, nem todos os fundos são afetados pelo come-cotas, apenas os fundos:
  • Cambiais;
  • Renda fixa;
  • Multimercado;
  • Fundos DI.

O que é o come-cotas e quanto preciso pagar?

Tanto os fundos de investimentos de curto prazo quanto os de longo prazo são afetados pelo mecanismo conhecido como come-cotas – uma antecipação do Imposto de Renda sobre fundos de investimentos. O come-cotas não é um outro imposto, mas um sistema que facilita a cobrança do IR.

O come-cotas tem esse apelido porque é recolhido de forma automática e antecipada no último dia útil dos meses de maio e novembro a partir do recolhimento de parte das cotas dos investidores.

A característica principal dele é justamente essa periodicidade: no modelo de tributação simples, a cobrança do Imposto de Renda é feita apenas no resgate (ou seja, quando o investidor decide retirar seu dinheiro da aplicação). No come-cotas, isso acontece a cada seis meses.

Vale lembrar: o IR é cobrado sobre o rendimento, não sobre o montante total do investimento. Ou seja, no come-cotas, a cobrança é proporcional aos lucros daquele semestre.

A cobrança do come-cotas nos fundos segue uma tabela regressiva de acordo com o tempo da aplicação:

Tipo de fundoAlíquota
Fundo de curto prazo20%
Fundo de longo prazo15%

Quando o investidor faz o resgate das aplicações em fundos, precisará pagar apenas a diferença entre o que já foi recolhido pelo come-cotas e a alíquota adicional correspondente ao prazo da aplicação, de acordo com a tabela acima.

Como declarar fundos de investimentos no IR?

Na hora de declarar o Imposto de Renda é preciso ter atenção ao preencher as informações no sistema da Receita Federal. Para declarar a posse fundos de investimento, siga o passo a passo abaixo:

  1. Vá até a ficha “Bens e direitos”;
  2. Insira o código de acordo com o tipo de fundo:
    1. grupo 7 (Fundos), código 01: fundos de curto e de longo prazo;
    2. grupo 7, (Fundos), código 04: fundo de ações, Fundos Mútuos de Privatização, Fundos de Investimento em Empresas Emergentes, Fundos de Investimento em Participação e Fundos de Investimentos de Índice de Mercado; 
    3. grupo 7 (Fundos), código 99: Outros fundos.
  3. Preencha o CNPJ do fundo, nome e CNPJ da instituição administradora do fundo e quantidade de cotas no campo “Discriminação. Se a cota for conjunta, coloque o nome e CPF do co-titular/CNPJ do fundo;
  4. Insira a “Situação em 31/12/2021” o valor que você tinha investido nessa data;
  5. Repita o processo até declarar todos os fundos de investimentos que você tem na sua carteira. 

Como declarar os rendimentos dos fundos de investimentos no IR 2022?

Os rendimentos dos fundos precisam ser declarados na ficha “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/ Definitiva”, código 6 – “Rendimentos de Aplicações Financeiras”.

Atenção: as informações precisam ser as mesmas que constam no seu informe de rendimentos, como o nome do fundo e CNPJ do administrador.

Com exceção dos fundos imobiliários, que não têm tributação sobre seus rendimentos – salvo quando há venda de cotas –  para os demais fundos é necessário declarar os rendimentos da seguinte forma:

  1. O primeiro passo é abrir o programa do Imposto de Renda;
  2. Em seguida, vá até a ficha de “Rendimentos sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva”;
  3. Insira o “Código 06”, referente a “Rendimentos e aplicações financeiras”;
  4. Informe o CNPJ e nome da fonte pagadora e valor dos rendimentos;
  5. Repita a operação até informar todos os os rendimentos da sua carteira. 

Como declarar fundos imobiliários?

Apesar de também ser um fundo de investimento, os fundos imobiliários não são declarados da mesma forma que os demais, porque pagam dividendos – parcela do lucro líquido das empresas que é destinada aos acionistas como forma de remuneração.

Para declarar a posse desses fundos, siga o passo a passo a abaixo:

  • Na declaração de “Bens e Direitos”, insira o grupo 07 (Fundos imobiliários), código 03 (“Fundos de Investimentos Imobiliários);
  • Em seguida coloque as informações em “Discriminação”: nome e o CNPJ do fundo em que você investiu, a quantidade de cotas que constava na sua carteira até o último dia do ano e o titular. Se a conta for conjunta, coloque o nome e CPF do co-titular/CNPJ do fundo;
  • Por fim, em “Situação” você precisa inserir o valor de aquisição total – custo de aquisição médio das cotas multiplicado pela quantidade que você tinha disponível no último dia do ano.

Importante: caso o ano passado tenha sido o primeiro em que você comprou fundos, deixe o campo “Situação” sem informações. Insira informações apenas no segundo campo, no qual consta a data do último ano.

Rendimentos e vendas 

Os fundos imobiliários têm dividendos isentos de IR. Ou seja, na hora de declarar, preencha a ficha “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis”, com o código 26 que corresponde a “Outros”.

Já na hora de vender, utilize a ficha “Renda Variável” e encontre a aba “Operações Fundos de Investimento Imobiliário”. Assim como nas ações, é necessário preencher os lucros e prejuízos de cada mês, com o valor de imposto pago no mês via Darf.

Em outras palavras, o rendimento mensal dos fundos imobiliários é isento de IR, mas se você vender as cotas e o resultado for positivo, é necessário pagar 20% de imposto. 

Leia também: 

Como declarar BDRs no Imposto de Renda

Importante: o texto acima é uma forma de ajudar na sua busca por informações. Em caso de dúvidas, procure um contador ou profissional qualificado para auxiliar na sua declaração.

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Ainda não conhece o Nubank? Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história aqui.

3

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post