Pedir Conta e
Cartão de Crédito

em menos de 1 minuto
e grátis

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Seu Dinheiro Organizar as Finanças Auxílio Brasil: o que se...

Auxílio Brasil: o que se sabe até agora sobre o “novo Bolsa Família”?

Como vai funcionar? Quem tem direito? Qual é o valor? O que ainda não está definido? Entenda as respostas para essas e outras dúvidas.



Com as incertezas sobre o auxílio emergencial ao longo do último ano e meio, um tema que ganhou a atenção de muita gente foi o tal do “novo Bolsa Família”. Chamado oficialmente de Auxílio Brasil, o novo programa social é mais abrangente que o anterior para incluir beneficiários do auxílio.

Mas o que se sabe até agora sobre ele? Como vai funcionar?

Confira, abaixo, todas as respostas sobre o Auxílio Brasil.

Auxílio Brasil: o que se sabe até agora sobre o “novo Bolsa Família”?

No dia 2 de dezembro de 2021 foi aprovada a Medida Provisória nº 1.061, que cria o Auxílio Brasil, um novo programa social substituto do Bolsa Família.

Basicamente, o Auxílio Brasil tem três formatos de benefícios básicos e seis benefícios acessórios (que poderão ser somados ao valor recebido por cada família).

Como vai funcionar o Auxílio Brasil?

Com o Auxílio Brasil, o Bolsa Família deixa de existir. No lugar, entram nove modalidades diferentes de benefícios: três básicos e seis complementares.

Os três benefícios que compõe o núcleo básico e seus respectivos valores são: 

  • Benefício Primeira Infância: para famílias com crianças entre zero e 36 meses incompletos. Podem ser até cinco benefícios por família. O valor do benefício será de R$ 130. 
  • Benefício Composição Familiar: para famílias com crianças entre 36 meses e jovens de até 17 anos de idade, ou jovens de 18 a 21 anos que estejam matriculados na educação básica, limitado a cinco benefícios por família. O valor será de R$ 65 por pessoa. 
  • Benefício de Superação da Extrema Pobreza: caso a renda mensal por pessoa não supere a linha da extrema pobreza (R$ 100 por pessoa) mesmo depois de receber os três benefícios básicos. Além disso, o benefício leva em consideração a renda familiar e a quantidade de membros da família. Cada integrante receberá, no mínimo, R$ 25.

Já os seis benefícios complementares são:

  • Auxílio Esporte Escolar: destinado a estudantes de 12 a 17 anos incompletos que se destacarem nos Jogos Escolares Brasileiros e membros de famílias que recebem o Auxílio Brasil. O benefício será pago em uma parcela única de R$ 1 mil à família do estudante mais 12 parcelas mensais de R$ 100 por estudante. 
  • Bolsa de Iniciação Científica Júnior: para estudantes beneficiários do Auxílio Brasil com bom desempenho em competições acadêmicas e científicas. O valor será pago em 12 parcelas mensais de R$ 100 e uma parcela única de R$ 1 mil à família do estudante;
  • Auxílio Criança Cidadã: destinado à pessoa responsável por família com criança de zero a 48 meses incompletos que consiga uma fonte de renda, mas não encontre vaga em creches públicas ou privadas da rede conveniada. O auxílio será pago até a criança completar 48 meses de vida. O valor do benefício será de R$ 200 para famílias que tenham crianças matriculadas em turno parcial, e R$ 200 caso as crianças sejam matriculadas em turno integral;
  • Auxílio Inclusão Produtiva Rural: pago por até 36 meses aos agricultores familiares inscritos no Cadastro Único. O valor será de R$ 200 mensais. O pagamento de mais de um auxílio por pessoa e família não é permitido. 
  • Auxílio Inclusão Produtiva Urbana: destinado aos beneficiários do Auxílio Brasil que comprovarem vínculo de emprego formal. O benefício será de R$ 200 por mês e limitado a um benefício por pessoa e por família;
  • Benefício Compensatório de Transição: para famílias que recebem o Bolsa Família e perderem parte do valor recebido com o Auxílio Brasil. O benefício será pago durante a implementação do novo programa e mantido até que o valor recebido seja maior do que o anterior, ou caso a família não se enquadre mais nos critérios de elegibilidade.

Por exemplo: uma família que tenha uma criança na faixa dos 0 a 36 meses e outras duas na faixa dos 12 a 21 pode receber tanto o benefício básico da Primeira Infância quanto o de Composição Familiar.

Se uma das crianças for um estudante de 12 a 17 anos que se destaque nos Jogos Escolares Brasileiros, a família também poderá receber o benefício complementar Auxílio Esporte Escolar. Se a pessoa responsável pela família conseguir um emprego, mas não encontrar vaga em creches, ela também poderá receber o Auxílio Criança Cidadã.

Vale dizer que os três benefícios básicos entram em vigor em 90 dias. Já os benefícios complementares, com exceção do Benefício Compensatório de Transição, entram em vigor imediatamente e serão pagos aos beneficiários do Bolsa Família.

Ou seja: uma família que já receba o Bolsa Família, ou que esteja recebendo o auxílio emergencial no lugar dele, pode começar a receber os benefícios complementares a que tem direito assim que o Ministério da Cidadania definir como esse pagamento será feito.

Além disso, o Ministério da Cidadania anunciou que quem receber o Auxílio Brasil e ultrapassar o limite de renda do programa será mantido na folha de pagamento por mais 24 meses. Essa é a chamada Regra de Emancipação.

Já a família que deixar de receber o Auxílio Brasil, por vontade própria ou depois dos 24 meses, terá prioridade se quiser retornar ao programa (desde que atenda aos critérios).

Outro ponto da medida provisória é que o beneficiário que recorrer ao microcrédito poderá comprometer até 30% do valor do benefício recebido.

Quem tem direito ao Auxílio Brasil?

O Auxílio Brasil tem como objetivo assistir famílias em situação de pobreza (com renda entre R$ 100,01 e R$ 200 por pessoa por mês) e extrema pobreza (com renda de até R$ 100 por pessoa por mês) que já fazem parte do Bolsa Família ou do Cadastro Único.

Atualmente, o Bolsa Família pode ser recebido por famílias em situação de pobreza (renda mensal por pessoa entre R$ 89,01 e R$178) ou extrema pobreza (renda por pessoa de até R$ 89 por mês) com gestantes, mães que amamentam, crianças ou adolescentes entre zero e 17 anos.

Todas as famílias que já eram atendidas pelo Bolsa Família foram automaticamente migradas para o Auxílio Brasil. Já as famílias inscritas no Cadastro Único, e que não faziam parte do Bolsa Família, entrarão em uma lista de reserva por enquanto. Novas inscrições podem ser realizadas no Centro de Referência da Assistência Social (CRAs) mais próximo de você, mas sem uma garantia de aprovação.

Vale ressaltar que cerca de 22 milhões de pessoas que receberam o auxílio emergencial e não necessariamente cumprem os requisitos para se inscrever no Cadastro Único vão ficar sem nenhum programa social. 

Qual o valor do Auxílio Brasil?

O Auxílio Brasil teve o valor médio de R$ 217,18 no mês de novembro e o valor mínimo de R$ 400 em dezembro. A Medida Provisória (1.076), publicada em 7 de dezembro, liberou um crédito de R$ 2,67 bilhões, o que permitiu elevar o valor mínimo do benefício. O valor individual que cada família irá receber depende de quais dos 9 benefícios ela tem direito.

O governo também estudava pagar a diferença retroativa de novembro no mês de dezembro, mas a Medida Provisória não contemplou esse valor, logo, o valor mínimo de R$ 400 será pago apenas em dezembro.

Quando começa a ser pago o Auxílio Brasil? 

O Auxílio Brasil começou a ser pago em 17 de novembro e o calendário de pagamentos será de acordo com o dígito final do Número de Identificação Social (NIS), assim como era feito no Bolsa Família. Veja o calendário:

Calendário Auxílio Brasil – novembro

  • NIS 1: 17 de novembro de 2021;
  • NIS 2: 18 de novembro de 2021;
  • NIS 3: 19 de novembro de 2021;
  • NIS 4: 22 de novembro de 2021;
  • NIS 5: 23 de novembro de 2021;
  • NIS 6: 24 de novembro de 2021;
  • NIS 7: 25 de novembro de 2021;
  • NIS 8: 26 de novembro de 2021;
  • NIS 9: 29 de novembro de 2021;
  • NIS 0: 30 de novembro de 2021.

Calendário Auxílio Brasil – dezembro

  • NIS 1: 10 de dezembro de 2021;
  • NIS 2: 13 de dezembro de 2021;
  • NIS 3: 14 de dezembro de 2021;
  • NIS 4: 15 de dezembro de 2021;
  • NIS 5: 16 de dezembro de 2021;
  • NIS 6: 17 de dezembro de 2021;
  • NIS 7: 20 de dezembro de 2021;
  • NIS 8: 21 de dezembro de 2021;
  • NIS 9: 22 de dezembro de 2021;
  • NIS 0: 23 de dezembro de 2021.

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Ainda não conhece o Nubank? Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história.

3.18

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post