Pedir Conta e
Cartão de Crédito

em menos de 1 minuto
e grátis

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Seu Dinheiro Pix Pix nem sempre é gratui...

Pix nem sempre é gratuito fora do Nubank. Entenda quando ele pode ser cobrado

Mesmo pessoas físicas e MEIs podem ser cobradas ao usar o novo meio de pagamentos em determinadas situações. Veja como funciona.

O Pix, novo meio de pagamentos instantâneos, está deixando muita gente animada com a possibilidade de fazer transferências e pagamentos em tempo real, em qualquer horário e dia da semana, para qualquer instituição financeira e sem pagar nada por isso. Mas não é bem assim.

Dependendo da situação e da pessoa, o Pix pode, sim, ser cobrado. Por isso, é importante entender essas exceções para não ser enganado pelas letras miúdas.

Lembrando que, no Nubank, o Pix é gratuito para todos – incluindo pessoas jurídicas clientes da conta PJ.

Afinal, o Pix é gratuito?

Nem sempre! De acordo com o Banco Central, o Pix deve, sim, ser gratuito para pessoas físicas e microempreendedores individuais – os famosos MEIs – nas seguintes situações:

  • Fazer um Pix usando canais digitais – como app ou internet banking – para transferências ou pagamento de compras;
  • Receber um Pix para transferências.

Em todas as outras situações, o Pix pode ser cobrado.

Em quais casos o Pix pode ser cobrado?

As regras de cobrança do Pix mudam de acordo com o usuário:

Pessoas físicas e MEIs

O Pix pode ser cobrado de pessoas físicas e MEIs ao:

  • Fazer um Pix utilizando canal de atendimento presencial (como no caixa) ou pessoal (como por telefone), quando o Pix estiver disponível em meios eletrônicos;
  • Receber um Pix como pagamento de um produto ou serviço vendido pela PF ou pelo MEI.

Pessoas jurídicas de outros portes que não MEI

No caso de pessoas jurídicas de portes diferentes do MEI (como microempresa ou empresa de pequeno porte), a tarifação do Pix é de responsabilidade das instituições que oferecem este meio de pagamentos. 

Basicamente, empresas podem, sim, ser cobradas quando fazem ou recebem pagamentos e transferências usando o Pix. Além disso, também pode haver a cobrança por outros serviços relacionados ao Pix.

O modelo de precificação – custo fixo ou percentual, por exemplo – e as tarifas, entretanto, podem ser definidas pelas instituições.

No Nubank, por exemplo, o Pix será gratuito para os clientes da conta PJ – seja para fazer ou receber pagamentos e transferências. 

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Ainda não conhece o Nubank? Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história.

4.16

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post