Complete abaixo para pedir sua NuConta e seu cartão de crédito

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Startup unicórnio: de onde veio esse termo e o que ele significa?

Atenção: este não é um post sobre decoração de festa infantil. Unicórnio é um apelido para empresas avaliadas em mais de U$ 1 bilhão.

Quem é fluente em startupês – o idioma não oficial das startups – já deve está familiarizado com o termo “unicórnio”. Mais do que isso, praticamente todo empreendedor em potencial tem o sonho de ver sua empresa virar uma startup unicórnio.

O conceito é simples: unicórnio é o nome dado a startups avaliadas em mais de U$ 1 bilhão.

Chegar lá, no entanto, não é tão fácil.

De onde veio o termo startup unicórnio?

A primeira pessoa a usar essa expressão foi a investidora de capital americana Aileen Lee, em seu artigo Welcome to the unicorn club: learning from billion-dollar startups (“Bem-vindo ao clube dos unicórnios: aprendendo com as startups de um bilhão de dólares”).

A palavra “unicórnio” brinca com a ideia de que esse tipo de empresa seria extremamente raro. Nas palavras da própria, Lee, “sabemos que não é perfeito – unicórnios aparentemente não existem (…). Mas gostamos desse termo porque ele alude a algo raro e mágico.”

Quando se leva em consideração que boa parte das startups que viraram gigantes começaram com ideias consideradas absurdas e inacreditáveis, a analogia parece fazer ainda mais sentido.

Quantos unicórnios existem?

“Raro” já não é mais um adjetivo facilmente aplicável a este tipo de empresa. Em 2013, quando publicou seu artigo, Lee mapeou 39 startups com status de unicórnio; em janeiro de 2020, segundo a consultoria CB Insights, já são 442 no mundo.

Hoje já se fala, inclusive, em variações dependendo do tamanho da avaliação – decacórnio para startups avaliadas em mais de U$ 10 bilhões, hectocórnio para U$ 100 bilhões etc.

Como funciona essa avaliação?

Há algumas formas de determinar o valor de uma empresa – e cada uma tem uma ciência por trás. Quando uma empresa ainda não tem capital aberto, a avaliação normalmente é feita pelos fundos que investem nela.

Este fundos tipicamente “apostam” na ideia e potencial de crescimento das startups, muitas vezes antes mesmo de elas darem qualquer tipo de lucro. A ideia é dar suporte ao crescimento e esperar um retorno consideravelmente maior no futuro.

Como prática do mercado, estes investimentos costumam ser feitos em rodadas (contamos aqui como o Nubank se tornou o maior banco digital independente do mundo após sua sétima rodada). Em linhas gerais, os fundos e a startup entram em um acordo sobre qual será a avaliação divulgada ao mercado.

Qual é o segredo para virar uma startup unicórnio?

Essa é a pergunta de um milhão (ou melhor, bilhão) de dólares. Empresas não passam a valer tudo isso da noite para o dia. Na verdade, uma parte considerável delas não sobrevive aos primeiros anos – de acordo com a CB Insights, 70% das startups não chegam ao segundo ano depois de terem seu primeiro investimento.

Não existe uma fórmula mágica para o sucesso, embora unicórnios de destaque compartilhem algumas características. Essa pesquisa da bunch.ai, consultoria de cultura empresarial, apontou três delas:

1. Não abrem mão de seus princípios

Segundo o estudo, as empresas cujos funcionários têm alto foco em propósito e bons princípios (por exemplo, sempre tentar fazer a coisa certa, mesmo que não seja bom para a companhia no curto prazo) têm 44% mais chances de se tornarem unicórnios – indo contra o senso comum de que a única forma de crescer é abandonando integridade.

2. Não se perdem nas minúcias

Os dados apontam que empresas muito focadas em detalhes têm 21% mais chances de falhar. O negócio das startups é rápido e orientado para preencher aquilo que o mercado ainda não oferece. É por isso que muitos empreendimentos de sucesso adotam metodologias ágeis para se tornarem mais eficientes.

Importante: isso não significa colocar na rua um produto mal acabado, mas sim, ir melhorando-o aos poucos em vez de segurá-lo até que esteja perfeito.

3. Mantêm o foco em resultados

De acordo com a consultoria, startups que se direcionam bem para os resultados de entregas têm 15% mais chance de serem bem-sucedidas.

Um resumo? Querer ser um unicórnio não deveria ser um objetivo por si só, mas sim, uma consequência de um trabalho bem feito.

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Ainda não conhece o Nubank? Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história aqui.