Pedir Conta e
Cartão de Crédito

em menos de 1 minuto
e grátis

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Seu Dinheiro Economia circular: como ...

Economia circular: como funciona esse modelo de produção e consumo?

A economia circular surgiu como contraponto à economia linear, aproveitando todas as possibilidades de uso dos recursos e gerando um desenvolvimento mais sustentável. Saiba como ela funciona.



Todos os anos, o Brasil produz 80 milhões de toneladas de resíduos, dos quais 60% vão parar em aterros sanitários e 40% em lixões. O volume do lixo que geramos tem a ver com a lógica de produção e consumo que consiste em produzir, comprar e descartar, conhecida como economia linear. Mas um termo tem aparecido cada vez mais nos debates sobre desenvolvimento sustentável: a economia circular, um modelo que vem para contrapor esse cenário.

A seguir, entenda o que é economia circular, seus objetivos, princípios e exemplos. 

O que é economia circular?

De modo resumido, a economia circular é um modelo de produção que tem como objetivo aproveitar os recursos existentes com mais eficiência, evitando descartes, otimizando o ciclo de vida dos produtos e utilizando resíduos como matéria-prima para novas produções. 

Em outras palavras, um produto que não tem mais utilidade, em vez de ser jogado fora é reciclado, e partes dele vão virar novos produtos. 

Tá, mas e na prática?

Imagine que você quer fazer um bolo de banana. Alguns ingredientes necessários para a receita são a banana, ovos e farinha. Para prepará-lo, você usa a clara, a gema, a farinha e a polpa da fruta, mas não vai usar as cascas do ovo e da banana para nada, então as joga no lixo.

Trazendo o conceito da economia circular para essa situação, é como se, em vez de jogar as cascas do ovo e da banana no lixo, você aproveitasse para produzir novas coisas a partir desses resíduos. A casca de ovo poderia se tornar adubo para alguma planta que você tenha. Já a casca de banana poderia ser bem temperada e fazer parte de uma nova receita – como uma farofa, por exemplo.

Pronto: o que antes iria para o lixo agora está se transformando em outra coisa. 

Na indústria, a economia circular funciona mais ou menos assim, dando um novo destino para insumos que, a princípio, seriam descartados. Assim, o que era resíduo passa a ser visto como recurso.

Aliás, 76,5% das indústrias praticam alguma iniciativa ligada à economia circular sem ter conhecimento do conceito, de acordo com uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) em 2019.

Economia circular x Economia linear

O conceito de economia circular já era discutido nos anos 1970, mas passou a ter mais visibilidade em 1989, quando o livro Economics of Natural Resources (ou Economia dos Recursos Naturais) foi publicado pelos economistas e ambientalistas ingleses David W. Pearce e R. Kerry Turner.  

O que Pearce e Turner defendiam é que o modo de produção tradicional, baseado em extrair, produzir e descartar, não era sustentável. Esse modo é chamado de economia linear, e não reaproveita resíduos, gerando quantidade excessiva de lixo para a produção de objetos, alimentos, entre outras coisas.

Em oposição a essa economia tradicional, surgiu o conceito de economia circular, inspirado na lógica cíclica da natureza.

Exemplos de economia circular

Se engana quem pensa que economia circular tem a ver somente com a indústria ou grandes produções. Ela também diz respeito à forma como a gente consome. São exemplos de aplicações práticas da economia circular aquela peça de roupa que você customizou e seguiu usando, ou um móvel que restaurou, e até um alimento, que aproveitou ao máximo nas receitas. 

Outros exemplos possíveis são:

1. Garrafa de vidro retornável

Sabe quando devolvemos uma garrafa de vidro retornável? Isso também é economia circular. Em vez de gerar um novo resíduo, a garrafa passa por um processo de higienização e é reaproveitada pelo fabricante para envasar mais refrigerante ou cerveja. 

Assim, uma mesma garrafa pode ser comercializada dezenas de vezes, sem que seja necessário produzir novas embalagens.

2. O ketchup de banana

Em 2019, a fundação Thought for Food lançou o Desafio da Economia Circular dos Alimentos junto ao Google Food Lab. E a vencedora foi a foodtech (palavra que é a junção para “comida” e “tecnologia”) Feitosa Gourmet, com um inovador ketchup de banana.

A empresa começou com a proposta de desenvolver um ketchup de banana a partir de frutas que seriam descartadas pelos produtores por não estarem de acordo com padrões normalmente exigidos pelos consumidores.

Hoje, a marca desenvolve molhos como ketchup, molho de pimenta, geleia e antepasto – todos derivados da banana.

3. Adubo produzido a partir do lixo orgânico

O Projeto Compostar começou em Brasília, em 2017, com o objetivo de mudar a realidade do lixo orgânico. Ele oferece um serviço por assinatura que funciona da seguinte forma: cada pessoa que adere ao projeto recebe um baldinho e uma sacola para separar todos os resíduos sólidos produzidos em casa.

A coleta desse baldinho é feita uma vez por mês e a pessoa ganha adubo (produzido a partir do lixo recolhido) ou uma mudinha de hortaliça para começar uma horta orgânica.

Qual o objetivo da economia circular?

O objetivo da economia circular é promover uma gestão mais eficiente dos recursos naturais existentes, mantendo sempre os produtos em níveis altos de utilização e valor. Para isso, é preciso reduzir extrações de recursos, evitar descartes e otimizar ao máximo as possibilidades de utilização de produtos. 

Ou seja: esse modelo vai além de reutilizar ou reciclar materiais, já que é preciso levar em consideração todo o ciclo de vida de um produto – de antes da sua fabricação até o consumo dele. 

Quais os princípios da economia circular?

A Ellen MacArthur Foundation, organização independente fundada em 2010 nos Estados Unidos com o objetivo de promover e acelerar a transição para a economia circular, aponta que existem três princípios que devem ser considerados:

  1. Preservar e aprimorar o capital natural, com a restauração e regeneração dos recursos naturais;
  2. Maximizar o rendimento de recursos, reduzindo desperdícios;
  3. Estimular a efetividade do sistema, gerando impactos positivos para todas as partes interessadas.

Leia também:

Empreendedorismo social: o que é, como funciona e qual é o impacto desse tipo de negócio?

Obsolescência programada: por que as coisas não são feitas para durar?

O consumismo está atrapalhando a sua vida?


Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Ainda não conhece o Nubank? Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história.

4.5

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post