Pedir Conta e
Cartão de Crédito

em menos de 1 minuto
e grátis

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Complete os campos ao lado para pedir sua Conta e Cartão de crédito

Agora complete abaixo para pedir sua conta e cartão de crédito

Precisamos de um CPF válido
Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu e-mail. Precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Seu Dinheiro Processo seletivo: tudo ...

Processo seletivo: tudo o que você precisa saber para se destacar na busca de um emprego

Como montar um bom currículo, o que falar na entrevista, erros para não cometer… Veja o passo a passo para se sair bem em um processo seletivo.



Conseguir um emprego não é fácil. Entre encontrar uma vaga que te interesse até ouvir um “sim” da empresa, há várias etapas no processo seletivo e é normal não saber a melhor forma de lidar com todas elas.

Afinal, conquistar esse “sim” passa por ter um currículo selecionado, mandar bem na entrevista, ter um perfil que bate bem com a vaga e a empresa – e, sim, ouvir alguns “nãos” pelo caminho até conseguir provar que você é uma boa aposta para a empresa.

E, vale lembrar: não passar em um processo seletivo nem sempre tem a ver com você. Outras pessoas podem ter mais experiência para a vaga, a empresa pode escolher seguir outro caminho ou podem até ter diferenças fundamentais de valores entre você e a empregadora.

Mas antes de sair mandando currículo para toda e qualquer vaga, é importante traçar uma estratégia e ter clareza de tudo o que é importante fazer. Isso torna a sua busca mais objetiva, eficiente e menos frustrante.

Confira as respostas para as dúvidas mais comuns dos candidatos em um processo seletivo de emprego.

Como fazer um currículo se destacar em um processo seletivo?

O currículo é o primeiro passo para conquistar um emprego – e o segredo de um bom currículo é saber priorizar as informações. Não há espaço para contar toda a sua trajetória profissional, então, privilegie as experiências, cursos e certificações relacionadas à sua área de interesse.

De acordo com Mirella Stefanelli, recrutadora do Nubank, a história precisa ser bem contada no currículo. “Não queira ‘encher linguiça’, dizer que é proativo, motivado… Afinal, isso são informações que o recrutador quer descobrir falando com o candidato”, diz. Para ela, as experiências e conquistas falam mais alto.

Outro ponto importante que deve ser considerado na hora de fazer um currículo é o formato. Não existe uma receita de bolo sobre um layout que funcione para todos, mas é importante que o CV seja limpo, organizado e tenha informações fáceis de encontrar. 

Ah, cuidado com o tamanho! Também não existe um tamanho máximo de currículo e é mito que ele só pode ter uma página. No fim, é importante colocar apenas aquilo que realmente importa e ter bom senso. 

“Duas páginas continua sendo um bom tamanho, mas é bom não se estender muito além disso. Você não quer cansar o recrutador, mas também não deve deixar informações relevantes de lado”, completa Mirella.

Leia mais sobre como montar um bom currículo aqui

“O que colocar no currículo se eu tenho pouca experiência”?

Escolher o que colocar no currículo é difícil, mas e quando parece que não há o que colocar? Pessoas inexperientes costumam pensar que não têm o que escrever no CV, mas elas normalmente têm. Trabalhos freelancers, voluntários e projetos pessoais contam no currículo para quem não tem experiência profissional.

Jessica Sandin, uma das diretoras de RH do Nubank, acredita que para valorizar as poucas experiências no currículo é fundamental dar destaque aos conhecimentos e habilidades adquiridos em cada posição. “Comece sempre descrevendo o que você faz de mais impactante e complexo. O que você faz de básico, de rotina, pode ficar para depois”, afirma.

Como não haverá muitas experiências ocupando espaço no currículo, dê destaque às outras seções, como objetivo, qualificação, formação acadêmica, entre outros.

Veja aqui tudo sobre como fazer um currículo para o primeiro emprego.

Como usar o Linkedin de forma eficiente?

O Linkedin é a maior rede profissional do mundo, com mais de 43 milhões de usuários cadastrados somente no Brasil. Além de uma rede de contatos, ele é uma poderosa ferramenta de buscas no meio corporativo que funciona para as duas partes –  recrutadores que buscam bons candidatos e candidatos que buscam empregos. 

O que os usuários colocam em seus perfis na plataforma é importante para aparecer nas buscas e ter mais relevância. “O algoritmo valoriza a entrega de conteúdos relevantes e autênticos:, diz Milton Beck, diretor-geral do LinkedIn para América Latina. “Por conta da quantidade de conteúdos e informações disponíveis, estamos sempre fazendo atualizações para garantir que os usuários tenham a melhor experiência”,.

Segundo ele, para ter um bom perfil no Linkedin é fundamental:

  1. Incluir suas informações acadêmicas corretamente;
  2. Manter uma boa rede de conexões com profissionais da sua área;
  3. Fazer um bom resumo profissional em tópicos;
  4. Escolher palavras-chave adequadas;
  5. Incluir descrições em outros idiomas se dominar algum.

Leia também: 4 dicas para melhorar a visibilidade do seu Linkedin

Como se preparar para uma entrevista de emprego?

A preparação para uma entrevista de emprego é essencial para ter um bom resultado. Afinal, quando uma empresa te chama para um processo seletivo, ela espera que você tenha, além de conhecimentos técnicos e habilidades comportamentais, alguma noção sobre a empresa e o mercado onde ela atua.

“Recrutadores e profissionais de RH conseguem identificar que o candidato não está preparado nos primeiros minutos de entrevista”, diz Jessica Sandin. 

Para se destacar, pesquise sobre a empresa, sua história de formação, o momento em que ela se encontra e seu portfólio de produtos ou serviços. Procure no Google reportagens que já tenham saído sobre ela ou sobre os proprietários e, se tiver página no LinkedIn, fique de olho também.

A comunicação também é parte fundamental de uma boa entrevista. Se a sua comunicação falada não for um dos seus pontos fortes, seja por timidez, porque você escreve melhor do que fala ou por insegurança, praticar a entrevista conversada pode te deixar mais confiante. 

“Pesquise no Google as perguntas mais comuns de uma entrevista e pratique. Ensaie duas ou três vezes porque isso vai te ajudar a ficar mais calmo e articulado em uma conversa de entrevista”, destaca Jessica.

Por fim, tenha consciência de que você possivelmente vai passar por pelo menos duas ou três entrevistas se chegar até a fase final de um processo seletivo, então é importante que além de se preparar, o candidato trabalhe a ansiedade e a paciência.

Como se sair bem em uma entrevista de emprego?

Também não existe uma fórmula exata para se sair bem em uma entrevista de emprego, porque ela depende de vários fatores – perfil da empresa, sua compatibilidade com ela, como seus concorrentes se saem…Mas valorizar alguns pontos pode te ajudar.

É importante que a  empresa perceba que você tem muito a oferecer, mas que também se coloca na posição de quem quer aprender. “Fazer perguntas demonstrando interesse em crescer na carreira, saber como é o plano de carreira da empresa e se há treinamentos são formas do candidato demonstrar isso”, esclarece Jessica.

A diretora de RH do Nubank complementa que, em tempos de entrevistas virtuais (que não têm a fluidez das presenciais), é importante transmitir energia. “É difícil a gente se encantar por candidatos que têm a energia muito baixa, que não demonstram estar engajados e interessados. Não significa falar demais, nem falar alto ou sorrir, é demonstrar interesse do seu jeito”, complementa. 

O que não falar em uma entrevista de emprego?

Se existem boas práticas para a entrevista de emprego, também existem as más. Erros não necessariamente são eliminatórios em um processo seletivo, mas podem te colocar em desvantagem em relação a outros candidatos. 

Não se preparar te prejudica, afinal, as respostas poderão não ter conexão com a área, mercado ou desafios reais enfrentados pela empresa.

Falar mal do emprego anterior (ou atual), do chefe ou dos colegas também não te favorece. Foque a entrevista em você e, se não der para fugir dessas perguntas, tente pensar nas experiências positivas daquele emprego, por menores que tenham sido.

Não fazer perguntas também é algo que não é bem visto pelos recrutadores, por passar uma sensação de falta de interesse. “A empresa é onde você vai passar a maior parte do seu tempo e dedicar sua energia. Não fazer nenhuma pergunta não é bom”, completa a diretora de RH do Nubank.

Veja 5 erros comuns que as pessoas cometem em entrevistas de emprego  – e como fugir deles

O que são soft skills e hard skills?

Soft skills são o conjunto de habilidades humanas que nos tornam capazes de lidar com as pessoas e situações. Normalmente, elas são interpretadas como as habilidades comportamentais dos candidatos  – como se adaptam, colaboram, resolvem problemas, etc.

Já as hard skills são as habilidades técnicas e práticas, que podem vir de cursos, formações, certificações e conhecimento prático.

“Não adianta o profissional ser uma referência em conhecimento técnico, mas não saber aplicar aquele conhecimento na prática para gerar resultados”, explica Jessica.

Hoje, o mercado busca profissionais que têm os dois tipos de habilidades bem desenvolvidas e cada tipo de vaga dá pesos diferentes para elas.

Leia mais sobre soft skills e saiba como aprimorá-las aqui

Como fugir de golpes em entrevistas de emprego?

Existem muitas falsas oportunidades de emprego misturada com as verdadeiras – e nem sempre é fácil identificar um golpe de entrevista.  

Como os golpes funcionam: normalmente, as vagas que não são reais são descritas de forma muito genérica, sem nome do cargo ou com anúncios estranhos em sites desconhecidos. Outro sinal de alerta é quando o contato do “recrutador” inclui promessas mirabolantes, como vaga garantida ou oferta de um curso que, na verdade, é pago.

Além de fazer candidatos perderem tempo e, muitas vezes, dinheiro, essas falsas oportunidades tornam ainda mais difícil um momento em que as pessoas estão vulneráveis.

Segundo Jessica, perguntar ajuda. “Faça perguntas sobre a empresa, como o tamanho, planos do negócio, a área da oportunidade, por que ela é estratégica para a empresa naquele momento… Pergunte tudo o que pode te ajudar a entender sobre a vaga, ainda que ela seja confidencial”, diz.

A forma como a pessoa responde do outro lado pode dar pistas se vale a pena apostar nessa vaga ou não.

Outra boa estratégia é pesquisar a empresa (e a pessoa que vai te entrevistar) nas redes sociais, no Linkedin e no Google. No caso da empresa, o Reclame Aqui e o Procon também dão pistas sobre como a companhia é vista pelos clientes. 

Por fim, se o anúncio for antigo, a vaga tiver descrição genérica ou o cargo não tiver nome, desconfie.

Veja aqui o passo a passo para não cair nessas ciladas. 

Quando falar de salário no processo seltivo?

Essa pergunta também não tem resposta exata, mas não pega bem falar de salário no primeiro contato que você tiver com a empresa.  É óbvio que este é um assunto importante e que precisa ser conversado adequadamente, mas essa é uma conversa que precisa acontecer no momento certo.

“Todo mundo procura um trabalho para ganhar dinheiro, é óbvio. Mas começar o relacionamento com a pessoa recrutadora/gestora já falando de dinheiro na maioria das vezes não causa uma boa impressão”, diz Jessica.

Deixe para falar de salário quando esse assunto for trazido no processo seletivo ou quando você já tiver passado por algumas etapas e se sentir mais confortável para abordar o assunto.

Como pedir feedback de um processo seletivo?

Conquistar uma vaga é trabalhoso e passa por vários “nãos” em processos seletivos. Faz parte do aprendizado e feedbacks podem ser muito valiosos para você entender onde pode melhorar nos próximos processos.

Feedback é basicamente o retorno: o recrutador ou gestor de uma vaga informa o candidato sobre quais foram seus pontos fortes, pontos fracos e justifica por que ele não foi escolhido para a vaga. 

Nem sempre os recrutadores dão feedbacks individualizados ou completos, mas se você não conseguir a aprovação, não há problema algum em pedir um retorno estruturado para entender como melhorar.

É importante que neste momento você esteja aberto a críticas e aprimoramento.

Quer saber mais sobre carreira e emprego? Acompanhe nosso blog e fique atualizado.


Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história aqui.

4.41

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post