Pedir Conta e
Cartão de Crédito

em menos de 1 minuto
e grátis

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Complete os campos ao lado para pedir sua Conta e Cartão de crédito

Agora complete abaixo para pedir sua conta e cartão de crédito

Precisamos de um CPF válido
Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu e-mail. Precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Seu Dinheiro 4 dicas para melhorar a ...

4 dicas para melhorar a visibilidade do seu LinkedIn

Parece que todo mundo é encontrado, menos você? Adicionar algumas informações simples pode ajudar a aumentar em até 11 vezes a visualização do seu perfil.



Maior rede social profissional do mundo, o LinkedIn conta com mais de 43 milhões de usuários cadastrados somente no Brasil. O que muita gente não percebe é que, mais do que manter contatos, a plataforma funciona como uma ferramenta de buscas no meio corporativo. 

O LinkedIn tenta entregar os melhores perfis para quem está em busca de um profissional com determinadas habilidades – e mostrar as vagas mais relevantes para quem está cadastrado ou em busca de um emprego.

Entender como esse mecanismo de buscas funciona pode ajudar a tornar o seu perfil mais fácil de ser encontrado.  

Como funciona o algoritmo de buscas do LinkedIn?

“O algoritmo valoriza a entrega de conteúdos relevantes e autênticos. Por conta da quantidade de conteúdos e informações disponíveis, estamos sempre fazendo atualizações para garantir que os usuários tenham a melhor experiência”, diz Milton Beck, diretor-geral do LinkedIn para América Latina.

Isso quer dizer que aquilo que os usuários colocam em seus perfis na plataforma é importantíssimo para alimentar essa máquina de buscas. 

Quando o recrutador de uma empresa faz uma pesquisa, por exemplo, usa determinados termos (como habilidades ou experiência que deseja) para encontrar alguém que se encaixa na sua vaga. Da mesma forma, o próprio LinkedIn parte das informações fornecidas pelo usuário para recomendar vagas em aberto que tenham a ver com suas habilidades. 

Abaixo, Milton Beck explora essa e outras dicas para deixar seu perfil no LinkedIn mais completo – sem necessariamente precisar perder muito tempo.   

Dicas para criar seu perfil no LinkedIn

1. Inclua informações acadêmicas. É sério. 

“É essencial incluir suas informações profissionais, as experiências e conquistas. Também é importante manter conexões com profissionais do setor no qual o profissional atua ou quer trabalhar para estar atualizado em relação ao segmento. Isso potencializa as chances de encontrar oportunidades”, diz Beck.

“Lembre-se de incluir onde estudou e o curso. Aqueles que incluem esses detalhes conseguem até 11 vezes mais visualizações em seu perfil”.

Na prática: Procure não deixar campos em branco e, ao criar a sua conta, adicione contatos profissionais. Comece pelos colegas de trabalho, parceiros, terceirizados ou siga/adicione perfis que você admira na sua área de atuação. As conexões que você cria também são uma forma de alimentar o algoritmo com informações sobre seu perfil. 

2. Use tópicos para fazer um bom resumo profissional

“Resumo profissional é a primeira informação que aparece na sua página pessoal e deve estar de acordo com seus interesses e experiências. O resumo deve ser uma espécie de carta de apresentação, que diga em 2 ou 3 parágrafos curtos quem é você como profissional”, diz Milton.  

A dica para ter um bom resumo no LinkedIn? “Comece pela sua experiência profissional mais recente. Escreva sobre projetos que participou e conquistas. Seja claro e conciso. Escrever em tópicos é uma boa alternativa”, diz Beck.

3. Escolha as palavras certas 

“Utilize palavras-chave sempre que possível. O ranqueamento do seu perfil para as pessoas que usam a pesquisa do LinkedIn ou mesmo no Google se baseia na quantidade desses termos, por isso é importante buscar quais são as palavras mais empregadas no seu meio profissional e usá-las quando preencher o perfil”, diz Milton Beck.

Ou seja: entenda quais são os termos usados na sua área. Uma boa dica é olhar os perfis dos profissionais do setor que são referência e entender quais termos eles usam para descrever o que fazer.  

Segundo Beck, ter uma foto no perfil também aumenta as chances de o profissional ser encontrado nas buscas.

4. Foco no idioma

“Conhecer para quem você está escrevendo (ou quer escrever) é fundamental para gerar engajamento na rede. Pense se o perfil que você quer alcançar fala outras línguas e, então, considere se faz sentido diversificar a linguagem do seu conteúdo”, diz Beck.

Na prática: se o seu campo de atuação é no Brasil, talvez valha a pena focar em conteúdo apenas em Português. Mas lembre-se das palavras-chave da sua área: muitos mercados usam termos em inglês para descrever cargos ou funções. 

Por fim, lembre-se que o LinkedIn é uma rede profissional – e que as informações, imagens e opiniões compartilhadas lá serão visualizadas por colegas, chefes, clientes ou futuros empregadores.

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história aqui.

4.26

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post