Pedir Conta e
Cartão de Crédito

em menos de 1 minuto
e grátis

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Seu Dinheiro Guia para fazer um curri...

Guia para fazer um currículo para o primeiro emprego

A busca por emprego não é fácil e para quem tem pouca (ou nenhuma) experiência, menos ainda. Saiba como tornar o seu currículo atrativo e ser notado pelas empresas para um primeiro emprego.

Na hora de fazer um currículo para o primeiro emprego, as pessoas com pouca experiência de mercado se deparam com o velho dilema: “preciso de emprego, mas as empresas querem profissionais experientes – e para eu me tornar experiente, preciso de um emprego”. Isso parece um ciclo sem saída, mas será que é mesmo?

Conseguir o primeiro emprego é uma tarefa difícil e, hoje em dia, está ainda mais: o Brasil tem hoje mais de 14 milhões de desempregados, com uma taxa que chegou nos 14,4% no primeiro trimestre de 2021 – o maior percentual desde o início da série histórica, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD Contínua).

Entre os jovens de 18 a 24 anos, muitos dos quais ainda não têm experiência, o percentual é ainda mais significativo: 29,8%, o que significa cerca  de 4,1 milhões de jovens à procura de um emprego.

O momento é desafiador, o que significa que as coisas sobre as quais você tem controle são ainda mais importantes. Elaborar um currículo para o emprego com uma boa estratégia pode te ajudar a ter mais chances em um processo seletivo. Veja dicas a seguir.

“O que colocar no currículo se eu não tenho experiência?”

Segundo Jéssica Sandin, uma das diretoras de RH do Nubank, a assertividade é fundamental no currículo, mesmo para quem tem pouca experiência.

“É importante não ficar inventando texto pra encher o currículo, porque isso tira a atenção do que realmente importa nele: transmitir o que você sabe fazer, seu perfil, o seu nível de experiência…”, explica ela. “Se o currículo for longo demais, as chances de você passar para outras etapas do processo podem diminuir”.

Para saber como fazer um currículo e que informações privilegiar, leia também: Como fazer um currículo? Veja as principais dicas

Isso acontece porque profissionais de RH recebem muitos currículos o tempo todo e não têm tempo para analisar cada um em detalhes. Um estudo da Catho aponta que 30% dos recrutadores demoram entre 6 e 10 segundos para descartar um currículo. 

Ainda de acordo com Jéssica, a forma de fazer o currículo é diferente para as pessoas que têm pouca experiência e para as que não têm nenhuma experiência. Afinal, quem tem ao menos uma posição no histórico profissional pode detalhar as atividades e aprendizados; quem não tem precisa valorizar outros aspectos, como projetos, cursos ou trabalhos voluntários, por exemplo.

Como fazer um currículo se você tem pouca experiência?

Quem tem pouca experiência precisa valorizar o que o único ou os poucos empregos que teve agregaram profissionalmente. É importante detalhar o tipo de conhecimento, habilidade e responsabilidade que aquele trabalho trouxe.

“Comece sempre descrevendo o que você faz de mais impactante e complexo. O que você faz de básico, de rotina, pode ficar para depois”, complementa Jéssica. 

Como passo a passo para fazer um currículo com pouca experiência, ela propõe o seguinte caminho:

1. Escolha um título de fácil entendimento para o cargo que você ocupou

Existem empresas com títulos de posição muito específicos e quem lê de fora não entende. Ou seja, escolha um nome mais genérico e abrangente para que, ao bater o olho, a pessoa entenda o seu cargo e o seu nível de senioridade.

Por exemplo: na sua empresa o nome do seu cargo é coordenador de sucesso do cliente; e sucesso do cliente quer dizer atendimento. Então, é melhor escrever coordenador de atendimento. Assim você garante que a pessoa que ler o seu currículo vai entender.

2. Fale sobre os principais desafios da posição

Escreva tópicos sobre os seus resultados, desafios importantes naquela posição, rotina, conhecimentos e habilidades específicas. Cada tópico pode ser detalhado em dois ou três subtópicos para melhor compreensão de quem lê – mas lembre-se que isso só vale se forem informações realmente relevantes e não apenas uma forma de preencher espaço.

“Assim, você vai falar do que você sabe fazer e que te torna especial: o seu conhecimento, sua responsabilidade e suas tarefas do dia a dia”, diz Jéssica.

3. Não minta no currículo

Além de não ser ético, é um risco que não vale a pena: hoje é possível acessar muitas informações a respeito de candidatos em poucos cliques, o que torna muito fácil identificar uma mentira – e mentir no currículo deixa o candidato com a reputação manchada na empresa.

Mesmo com pouca experiência, é importante nunca mentir, mas aproveitar o espaço para valorizar o que te diferencia como profissional de forma clara e objetiva.

Como fazer um currículo para o primeiro emprego?

Muitas pessoas acreditam que não têm experiência, quando na verdade têm. O primeiro passo para fazer um currículo para o primeiro emprego é descobri-las.

Como assim?

Projetos laboratoriais, experiência em empresa júnior, estágio, projeto de extensão, trabalho voluntário, trabalho com a família ou qualquer tipo de trabalho freelancer são consideradas experiências profissionais pelas empresas e podem ser abordadas no currículo.

Agora, caso você realmente não tenha nenhuma experiência profissional, valorize seus cursos extracurriculares, profissionalizantes, trabalhos acadêmicos relevantes, iniciação científica e demonstre de que forma eles agregaram profissionalmente.

Já que a área das experiências não ocupará tanto espaço no seu currículo, capriche nas outras seções, como: objetivo, qualificação e formação acadêmica. Veja aqui o que é cada área e o que escrever nelas. 

Dica extra: esteja no Linkedin

No mundo corporativo, muitas empresas usam o LinkedIn como ferramenta para recrutar. Hoje, uma das ferramentas mais valiosas que um profissional pode usar é o Linkedin.

No início da carreira, estar no Linkedin pode ser ainda mais valioso porque ele funciona como uma rede social; quanto maior for a sua presença, mais conexões serão feitas, mais pessoas vão querer se conectar a você e mais vagas serão sugeridas para você pela plataforma.

Além disso, o Linkedin possibilita que você faça leituras importantes de artigos voltados ao mundo corporativo; que você tenha contato com profissionais que admira e que também conheça, mesmo que virtualmente, outros profissionais da área em que deseja trabalhar. 

Conheça aqui 4 estratégias para melhorar a visibilidade do seu Linkedin

Quer saber mais sobre emprego e carreira? Leia também:

Pensando em movimentar a carreira? Conheça as profissões em alta para 2021

16 sites para buscar emprego temporárioEste conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Ainda não conhece o Nubank? Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história aqui.

4.21

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post