Pedir Conta e
Cartão de Crédito

em menos de 1 minuto
e grátis

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Complete os campos ao lado para pedir sua Conta e Cartão de crédito

Agora complete abaixo para pedir sua conta e cartão de crédito

Precisamos de um CPF válido
Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu e-mail. Precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Seu Dinheiro Como fazer um currículo?...

Como fazer um currículo? Veja as principais dicas

Escolher o layout, que informações colocar e em que ordem, o tamanho ideal...São muitos os fatores que influenciam na criação de um bom currículo. Entenda o passo a passo.



O momento da busca por um emprego não é fácil – do nervosismo com as entrevistas à incerteza sobre o futuro, existem algumas coisas que os próprios candidatos podem controlar e outras que estão além de seu alcance. Entre as coisas controláveis está a apresentação de um bom currículo. Mas como fazer um currículo que será notado?

Algumas dúvidas frequentes na hora de elaborar o currículo incluem: qual o tamanho ideal? Que modelo é mais indicado? O que colocar ou não? Como chamar a atenção do recrutador?

“Cada caso é um caso – depende do tipo de vaga, da empresa e do que está sendo buscado em particular para aquela posição”, explica Mirella Stefanelli, recrutadora do Nubank.

A seguir, ela dá dicas de como fazer um bom currículo.

1. Primeiro, entenda qual é o layout de currículo ideal para você

Não existe uma receita certa para o melhor layout de currículo que funcione para todo mundo. Além disso, nem sempre o currículo “bonitão” é o que vai te garantir uma entrevista.

“Existe gente que gosta de ousar no design”, comenta Mirella. “Isso é legal se você se atentar a duas coisas: se é uma vaga ou empresa que valoriza isso (por exemplo, se suas habilidades de design ou apresentação são atributos para a vaga); e se vai funcionar. Não adianta o currículo ser lindo, mas a história que ele conta ficar confusa e com informações difíceis de encontrar”, diz.

Para ela, o importante mesmo é que o currículo seja limpo, organizado e com informações fáceis de encontrar. A estética não é um fator relevante, não precisa de um currículo super elaborado para ficar visualmente atraente.

“Montar o design em duas colunas pode ser interessante, pois ajuda na leitura, deixa bonito e economiza espaço, mas isso também não é uma regra”, diz Mirella, que também indica que os candidatos enviem currículos em formato PDF. “Parece detalhe, mas fica com uma apresentação um pouco mais profissional”.

2. Saiba priorizar as informações

Não há espaço suficiente para contar toda a sua trajetória profissional no currículo, ou seja, é necessário fazer escolhas inteligentes. Privilegie as experiências relacionadas à sua área de interesse, além de cursos, formações e certificações pertinentes.

Um erro comum dos candidatos é querer colocar todos os cursos e experiências acreditando que assim o currículo fica mais completo. Porém, se houver experiências fora de contexto, isso pode ser compreendido como falta de foco.

A história tem que ser bem contada com informações bem escolhidas. “Não queira ‘encher linguiça’, dizer que é proativo, motivado… Coisas que não são fatos ou que são desnecessárias. Afinal, isso são informações que o recrutador quer descobrir falando com o candidato”, explica Mirella.

A estrutura é importante

Existem diversos modelos na internet com seções diferentes e a escolha vai depender dos seus objetivos profissionais. Por exemplo, se for uma vaga acadêmica, dedique mais espaço na formação educacional. Se for uma vaga que exija mais bagagem de mercado, detalhe um pouco mais suas experiências e leve essa informação para cima.

E sim, a ordem dos fatores altera o produto. “Suas informações pessoais e contato devem estar em cima, o mais fácil possível para o recrutador encontrar, caso deseje entrar em contato”, indica Mirella.

Além disso, as experiências devem ter uma ordem cronológica que vá da última para a primeira. “Mais ao topo precisa ser sua experiência atual ou mais recente”, diz ela. “Os recrutadores olham centenas de currículos. Se por algum motivo ele se confundir e achar que sua função atual é essa inicial, você pode acabar sendo desclassificado”, completa.

3. Cuidado com o tamanho do currículo

Você já deve ter lido por aí uma máxima de que o currículo deve ter apenas uma página. Isso não necessariamente é verdade: se tudo de relevante couber em uma página, ótimo, mas o que realmente importa é não deixar de lado informações que podem ser interessantes por medo de seu currículo ficar um pouco maior.

De acordo com Mirella, é preciso bom senso. “Duas páginas continua sendo um bom tamanho, mas é bom não se estender muito além disso. Você não quer cansar o recrutador, mas também não deve deixar informações relevantes de lado”, afirma. 

4. Revise antes de enviar

Na busca por emprego, é normal ajustar o currículo várias vezes, dependendo da vaga ou área desejada. E neste processo é natural cometer pequenos erros de digitação ou confundir as informações.

Antes de enviar um currículo, releia o documento inteiro e confira se ela não tem erros. O recrutador precisa perceber seu capricho na elaboração do currículo. “A falta de atenção não necessariamente vai te cortar, mas essa é a sua vitrine, então, pode pegar mal”, acrescenta Mirella.

Como montar um currículo: a estrutura básica

De uma maneira geral, em qualquer modelo de currículo não pode faltar:

Dados pessoais

Coloque as informações de forma simples e direta – essa parte inclui nome completo, e-mail, telefone e, se houver, endereço do Linkedin.

Por sinal, pensar na estratégia do seu Linkedin e mantê-lo atualizado é muito importante. Leia mais aqui.

Não é necessário inserir número de documentos ou informações sensíveis para você. Além disso, colocar foto, estado civil e falar se tem filhos é desnecessário. “Aparência e/ou detalhes de sua vida pessoal não deveriam ser pré-requisitos para processos seletivos”, afirma Mirella.

Objetivo

Essa parte não é necessária para qualquer um, mas é importante para quem quer mudar de carreira ou para quem tem experiências que não batem com a vaga almejada.

Se este é o seu caso, vale explicar por que você tem interesse naquela vaga..  “É aqui que você está justificando pro recrutador por que aquela vaga faz sentido, mesmo que você não tenha as qualificações pedidas”, diz Mirella.

Privilegie características da sua experiência que se assemelham aos aspectos da cultura da instituição e da vaga – e informe-se sobre a cultura e história da empresa antes mesmo de fazer ou ajustar o currículo.

Experiência profissional

Na hora de colocar a sua experiência, foque no mais importante. Você não precisa explicar tudo o que fez no cargo, mas deve colocar a descrição do trabalho, principais realizações e projetos relevantes, além do tempo que passou lá (mês e ano do início e fim).

“É importante também entender quais são as palavras-chaves que devem aparecer no currículo de acordo com aquela vaga específica, especialmente no Linkedin, onde todo mundo faz busca”, conta Mirella.

Agora, se o seu caso é o oposto e você tem pouca experiência, apresente seu histórico de voluntariado, cursos extracurriculares ou profissionalizantes, projetos laboratoriais, empresa júnior, trabalho autônomo… Essas são formas de demonstrar conhecimento e comprometimento.

Qualificações

Esta seção é indicada para colocar softwares, programas e métodos que você domine e que possam ser úteis para a função, além de idiomas. Prêmios, certificados e cursos relevantes de formação livre também podem entrar.

Formação acadêmica

Em formação acadêmica é necessário cuidado para não colocar informações demais. Comece pelo mais recente – que mostre seu nível atual de escolaridade –  e aprofunde, por exemplo.

Se você tiver pouca ou nenhuma experiência profissional, aproveite para citar projetos acadêmicos e premiações.

Porém, se no seu caso falta formação, procure cursos livres gratuitos disponíveis online. Isso enriquece a sua bagagem e demonstra dedicação e interesse em aprender.

E o que não fazer em um currículo?

Além do que é recomendado, é importante pensar no que não é indicado na hora de fazer um currículo, como:

  • Não use elementos de design muito rebuscados, como arabescos e fontes de difícil leitura. O currículo pode ser criativo, mas de um jeito simples e limpo, nunca prejudicando a leitura;
  • Não inclua informações falsas de jeito nenhum. Não só essa é uma prática antiética, como se o recrutador descobrir, você ficará com uma imagem ruim naquela empresa;
  • Não mencione a pretensão salarial. Deixe isso para o momento em que essa pergunta for levantada no processo seletivo;
  • Não use endereços de e-mail infantis ou que remetam a brincadeiras. Se o seu e-mail atual tem um endereço pouco profissional, faça outro mais sério.

Fazer um currículo é um processo importante e que precisa de dedicação. Não existe uma receita que funcione para todos, mas existem processos que podem te ajudar a entender como fazer o seu currículo.

Quer saber mais sobre carreira e emprego? Leia também:

Pensando em movimentar a carreira? Conheça as profissões em alta para 2021

16 sites para buscar emprego temporário

4 dicas para melhorar a visibilidade do seu Linkedin

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Ainda não conhece o Nubank? Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história aqui.

4.16

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post