Pedir Conta e
Cartão de Crédito

em menos de 1 minuto
e grátis

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Seu Dinheiro Dicionário Financeiro Precatórios: o que são...

Precatórios: o que são e por que todo mundo está falando sobre eles?

Quando uma pessoa ou empresa processa o Poder Público e ganha uma indenização, o documento que formaliza isso é o precatório.

De repente, um termo técnico voltou a tomar conta das manchetes: precatórios, o nome complicado para se referir às dívidas judiciais do Poder Público.

Na década de 1990, os precatórios apareceram bastante no noticiário por conta de escândalos de corrupção. Dessa vez, o motivo é outro: eles aparecem como protagonistas no debate sobre o Renda Cidadã, um programa que está sendo estudado para o final do auxílio emergencial.

De forma simplificada, a discussão em 2020 é: limitar o pagamento dos precatórios a um teto, liberando verba para o Renda Cidadã.

O assunto é polêmico e tem gerado debates entre economistas – mas, independentemente do desfecho… Você sabe o que são precatórios?

O que são precatórios, exatamente?

Quando uma pessoa (física ou jurídica) processa a União e ganha uma indenização, é emitida uma ou mais ordens de pagamento reconhecidas pela Justiça. Essas ordens são os precatórios. 

Ou seja: o precatório é um documento que indica a quantia que o Tesouro Nacional deve a uma determinada pessoa ou empresa.

Não é qualquer dívida que vira um precatório. O valor precisa ser superior a 60 salários mínimos, no caso da fazenda federal – os estados, distritos e municípios têm legislações variadas.

Quando um precatório é emitido, o valor da dívida deve entrar no orçamento do governo, para ser pago em uma data futura. As requisições que são recebidas até 1º de julho de um ano são convertidas em precatórios e incluídas na proposta orçamentária do próximo ano. As recebidas após essa data são incluídas no ano seguinte.

Em teoria, os valores colocados no orçamento de um ano devem ser pagos até o final dele – mas existe uma série de detalhes técnicos que podem atrasar essa quitação.

Diferentemente de outros casos de indenização judicial, não existe penhora de bens para pagar essa dívida. Assim, o titular de um precatório tem duas alternativas:

  • Esperar que a dívida seja paga;
  • Vender o precatório a um ou mais terceiros – tornando-o uma espécie de investimento para quem compra.

Tipos de precatórios

Existem dois tipos principais de precatórios:

  • Precatórios de natureza alimentar: são aqueles que resultaram de processos relacionados ao sustento pessoal, como os que disputam salário, pensão, indenização por morte ou invalidez etc. Têm prioridade na ordem cronológica de pagamento.
  • Precatórios de natureza comum: também chamados de não-alimentícios, incluem disputas relacionadas a desapropriações, cobranças incorretas de impostos e descumprimento de obrigações contratuais, por exemplo.

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Ainda não conhece o Nubank? Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história.

4.66

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post