Pedir Conta e
Cartão de Crédito

em menos de 1 minuto
e grátis

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Complete os campos ao lado para pedir sua Conta e Cartão de crédito

Agora complete abaixo para pedir sua conta e cartão de crédito

Precisamos de um CPF válido
Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu e-mail. Precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Seu Dinheiro Entenda o que é deflação...

Entenda o que é deflação e por que ela pode ser ruim

Inflação é o aumento dos preços. Mas… o que é deflação? Entenda como funciona a queda dos preços e o que isso significa.



De forma simples e bem direta: a deflação é o contrário de inflação

Em um cenário inflacionário, os preços dos bens e serviços sobem. Já quando um país passa por deflação, acontece o processo inverso: os preços estão diminuindo ao invés de subirem.

Isso pode ser um sinal pontual de que alguma categoria de produto importante no dia a dia das pessoas ficou mais barata, mas também pode ser um sinal preocupante de que a economia vai mal – especialmente se a deflação ocorre por períodos prolongados e os preços dos produtos não param de cair.

Mas… Por que a deflação, ou queda dos preços, é ruim?

Porque, se ela for muito prolongada, pode indicar que o país está indo mal – passando por uma recessão. Nesse cenário, as empresas diminuem cada vez mais os seu preços porque os consumidores não conseguem comprar.

Mas vamos por partes. 

Inflação e deflação: conheça os termos

Inflação

A inflação é um termo um pouco mais conhecido. Ela indica o aumento generalizado dos preços de uma série de itens importantes no dia a dia – como alimentação, habitação, transporte, saúde, educação, etc…  

Esses itens são chamados de “cesta de produtos” e seu valor é medido todos os meses e usado para indicar a inflação da economia como um todo. O indicador oficial de inflação no Brasil é IPCA, Índice de Preços para o Consumidor Amplo. 

Ou seja: se a inflação do mês for de 1%, isso significa que o aumento médio dos preços dessas categorias no período também foi de 1%.

Veja aqui tudo sobre a inflação, suas causas e o que ela tem a ver com a Selic, a taxa básica de juros.

Deflação

Já a deflação é o processo contrário: queda de preços. 

Ela pode acontecer por um motivo pontual – por exemplo, em um mês, aumentou muito a oferta de algum tipo de produto ou serviço. Neste caso, a deflação não é preocupante. 

Há até algumas correntes que acreditam que certos períodos de deflação podem ser bons para a economia. 

O problema aparece quando uma economia enfrenta um período de deflação longa, que dura muitos meses ou anos, por exemplo. 

Por que a deflação prolongada é ruim?

A deflação prolongada pode indicar que a economia está estagnada – as pessoas não conseguem comprar os produtos, e os comerciantes precisam constantemente baixar os preços. 

No entanto, um dos reflexos mais preocupantes da deflação é a falta de consumo:  as pessoas deixam de comprar porque se acostumam com preços sempre caindo – logo, adiam seus gastos (especialmente de bens caros, como imóveis).

Isso faz com que a economia geral encolha, pois as empresas não vendem, não fabricam mais produtos e o dinheiro não circula. 

A deflação extrema é justamente o processo contrário da hiperinflação – quando as pessoas correm ao mercado no dia do pagamento para garantir o máximo do dinheiro antes que ele perca o valor com o aumento descontrolado dos preços. 

A deflação é tão prejudicial quanto a inflação descontrolada – e é por isso que existem índices considerados “saudáveis” de inflação em um país. 

Hiperinflação

A hiperinflação é um cenário de inflação potencializado, de descontrole de preços no qual a moeda perde valor rapidamente e, consequentemente, os consumidores perdem poder de compra.

Por exemplo,o preço dos produtos pode aumentar mais de 50% em apenas um mês.  O resultado?

Preços que mudam da noite para o dia e prateleiras de supermercado vazias, com a falta de vários itens.

A inflação nem sempre é vilã 

Ao contrário do que pode parecer, a inflação é uma parte importante da economia. Ter a inflação sob controle é um sinal de que a o país está indo bem – com economia aquecida e com força para crescer de forma saudável, com preços controlados.

Todos os países têm uma meta anual de inflação que serve, entre outras coisas, para dar segurança para a economia e garantir algum tipo de previsibilidade de longo prazo. 

Em outras palavras, é possível investir no país com maior tranquilidade, sabendo quais os rumos que a economia irá tomar. Do ponto de vista econômico, a inflação sob controle ajuda a trazer mais dinheiro para o mercado no médio e longo prazo. 

Por outro lado, a inflação pode ser terrível para a economia  de um país quando está fora de controle ou quando atinge níveis muito altos – esse é um caso de hiperinflação. 

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Ainda não conhece o Nubank? Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história aqui.

4.41

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post