Pedir Conta e
Cartão de Crédito

em menos de 1 minuto
e grátis

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Seu Dinheiro Organizar as Finanças Selic cai mais uma vez &...

Selic cai mais uma vez – como isso afeta o seu dinheiro?

O Copom decidiu, em maio, abaixar a taxa Selic de 3,75% para 3%. Entenda o que isso significa.

O Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central decidiu, no dia 6 de maio de 2020, reduzir novamente a taxa Selic, desta vez de 3,75% para 3% – o menor patamar da taxa Selic na história.

Não sabe do que se trata a taxa Selic ou como isso afeta seu dinheiro? Veja abaixo.

O que é a taxa Selic?

Selic é a sigla para Sistema Especial de Liquidação e Custódia. Ela é a taxa de juros básica da economia brasileira. Isso significa que ela influencia todas as demais taxas de juros do Brasil, como as taxas de empréstimos, financiamentos e de retorno em aplicações financeiras.

A taxa Selic foi criada para ser uma ferramenta de controle da inflação: mudanças na taxa resultam em uma alta ou queda da inflação. 

Até hoje, a Selic serve como uma referência para a economia brasileira – uma ferramenta para controlar a inflação do país que pode ser entendida como um indicador da nossa situação econômica.

Selic a 3%: o que isso quer dizer?

Com a Selic a 3%, a tendência é que as taxas de juros diminuam e fiquem próximas deste patamar; na prática, o crédito fica mais acessível. O CDI também diminui e passa a ficar mais perto de 3%, e a remuneração também fica menor para quem investe na poupança, em Renda Fixa e em títulos do Tesouro Direto.

Por que a Selic cai?

Podemos dizer que:

  • ao aumentar a Selic, o objetivo é desacelerar a economia, impedindo a inflação de ficar muito alta;
  • e, ao baixar a Selic, o objetivo é estimular o consumo e aquecer a economia, aumentando a inflação quando essa está abaixo da meta.

Lembrando: nem sempre a inflação é vilã; na verdade, quando controlada, ela é um sinal de que a economia está aquecida e crescendo de forma saudável.

Leia também: 

4.23

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post