Pedir Conta e
Cartão de Crédito

em menos de 1 minuto
e grátis

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Complete os campos ao lado para pedir sua Conta e Cartão de crédito

Agora complete abaixo para pedir sua conta e cartão de crédito

Precisamos de um CPF válido
Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu e-mail. Precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Seu Dinheiro Imposto de Renda Dúvida: pensão alimentíc...

Dúvida: pensão alimentícia precisa ser declarada no Imposto de Renda?

Entenda se é necessário ou não declarar o benefício e como fazer isso caso você pague ou receba pensão.



O período para a declaração do Imposto de Renda 2021 vai até o dia 31 de maio (inicialmente o prazo iria até 30 de abril, mas foi prorrogado) e uma dúvida comum, todos os anos, é sobre a necessidade ou não de declarar a pensão alimentícia. A resposta rápida para essa dúvida é: sim, é necessário.

Na declaração de Imposto de Renda, os rendimentos — qualquer tipo de valor monetário recebido pelo contribuinte — podem ser declarados de duas maneiras: como tributáveis ou não tributáveis. Já os gastos — aquilo que é pago pelo contribuinte — podem ser declarados como gastos dedutíveis ou não dedutíveis. 

As pensões alimentícias são classificadas como rendimentos tributáveis para quem recebe e como gasto dedutível para quem paga. Ou seja, a pensão alimentícia precisa, necessariamente, ser declarada no Imposto de Renda. 

As informações abaixo são um guia para ajudar na busca por informações. Em caso de dúvidas, procure um contador ou profissional qualificado para auxiliar na sua declaração.  

Como declarar pensão alimentícia no Imposto de Renda?

As formas de declarar a pensão alimentícia para quem paga e quem recebe são diferentes. Entenda os dois casos:

Regras para quem paga a pensão

O pagador da pensão deve declarar o/os recebedores na seção “Alimentados”. Onde devem ser inseridos os dados pessoais do beneficiário. Além de preencher detalhadamente a seção, também é necessário registrar a pensão em “Pagamentos efetuados”, onde devem ser discriminados os valores referentes ao benefício. 

Para quem paga, o valor é considerado como gasto dedutível, ou seja, pode ser abatido do imposto devido e diminui o valor total sobre o qual a alíquota do IR é aplicada. 

Tanto as pensões com origem em decisões judiciais como as relativas a decisões extrajudiciais precisam ser declaradas. Além disso, os “alimentados” não podem ser cadastrados, também, como dependentes na declaração de quem paga a pensão.

Regras para quem recebe a pensão

Para quem recebe pensão alimentícia, o processo é diferente. O titular da pensão ou tutor do titular precisa declarar o valor na ficha de “Rendimentos Tributáveis”. Porém, o responsável legal pelo “alimentado” só precisa fazer isso se ele for declarado como seu dependente.

Atenção: o responsável legal não é o pagador da pensão, mas a pessoa que tem a tutela ou guarda de quem recebe o benefício e, por isso, pode declarar o beneficiário como dependente.

Ou seja, o contribuinte que tem a guarda do beneficiário pode escolher a melhor opção para declarar o filho ou filha: como dependente ou por meio de uma declaração de IR separada (caso os valores de pensão superem o piso mínimo de obrigatoriedade para declarar o IR). 

Mas, como assim?

O que define se vale ou não a pena declarar o filho como dependente é o valor de tributação aplicada aos rendimentos (alíquota). A adição da pensão aos rendimentos tributáveis do responsável legal pelo  “alimentado” pode provocar um aumento dos tributos, caso isso modifique a faixa de renda do contribuinte. 

Vale a pena declarar o “alimentado” como dependente caso esse “aumento da renda” não altere a alíquota dos seus rendimentos ou caso o valor dos tributos da sua declaração não superem os valores a serem pagos fazendo a declaração do seu filho (a) de forma avulsa.

Entenda os tipos de declaração.

Declaração do “alimentado” como dependente

Para declarar o “alimentado” como dependente é necessário preencher a ficha de dependentes. Os valores recebidos de pensão devem ser informados mês a mês na ficha de Rendimentos Tributáveis de PF/Exterior.

Declaração de “alimentado”como não dependente (avulsa)

Caso  o valor da pensão aumente o valor da tributação e seja maior do que o mínimo exigido pela receita nas regras para declaração (valores anuais iguais ou superiores a R$ 28.559,70 ), o “alimentado” precisa ser declarado de forma avulsa —  com uma declaração de imposto de renda separada, mesmo que tenha menos de 18 anos.

Nestes casos, também é necessário recolher o IR via carnê-leão durante todo o ano, até o último dia últil do mês seguinte ao do recebimento da pensão alimentícia. 

Não declarar o alimentado

Existe, também, a possibilidade de que mesmo não declarando o seu filho (a) como dependente também não seja necessário fazer uma declaração de IR avulsa para ele/ela.

Isso acontece quando, ao colocar o valor da pensão do filho/a no programa, a alíquota aumenta. Neste caso, você pode declarar separado. Mas, se o valor para declarar ele/ela separado não for o mínimo (R$ 28.559,70), não é necessária uma declaração própria.

Em outras palavras, seu filho/filha pode não estar na sua lista de dependentes, mas, ao mesmo tempo, também está isento de declarar o IR porque a pensão é inferior à faixa de renda mínima obrigatória.

Quer saber mais sobre o IR 2021? Leia também:

As regras de restituição do IR em 2021

Quem está desempregado precisa declarar o Imposto de Renda?

O que mudou no Imposto de Renda 2021?

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Ainda não conhece o Nubank? Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história.

4.41

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post