Pedir Conta e
Cartão de Crédito

em menos de 1 minuto
e grátis

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Empreender Ativo circulante e não c...

Ativo circulante e não circulante: entenda o que são e qual a diferença

Ativos são bens e direitos que a empresa pode converter em dinheiro, mas o prazo para isso acontecer varia. Saiba mais.



Existem alguns termos da contabilidade que, à primeira vista, são bem difíceis de entender para quem não conhece muito do assunto. Ativo circulante e não circulante são bons exemplos disso. Eles aparecem ao se falar do balanço patrimonial de uma empresa.

De forma resumida, balanço patrimonial é um relatório que apresenta todos os ativos, passivos e o patrimônio líquido de um negócio. Com esse levantamento, é possível realizar diversos tipos de análises e acompanhar a saúde financeira da empresa.

Ganhe controle sobre suas finanças: assine nossa newsletter para receber conteúdo exclusivo.

Os passivos são todas aquelas obrigações financeiras que a empresa tem a cumprir, que precisam ser pagas em um futuro (próximo ou não). Agora pense em tudo o que a empresa pode converter em dinheiro: esses valores são chamados de ativos – que podem ser circulantes ou não circulantes.

Abaixo, entenda o que é ativo circulante e não circulante.

O que é ativo circulante?

Ativo circulante é um bem ou direito que pode ser convertido em dinheiro em um curto prazo de tempo, dentro do ano fiscal da empresa (no máximo 12 meses). E ele recebe este nome justamente por ter maior liquidez – ou seja, pode ser transformado em dinheiro em pouco tempo.

E por que o ativo circulante é importante para uma empresa? Basicamente, porque é ele que dá o suporte financeiro para o negócio rodar e pagar as despesas frequentes, como salários, impostos e duplicatas de fornecedores. 

Principais exemplos de ativos circulantes

  • Estoque;
  • Matérias-primas;
  • Mercadorias;
  • Dinheiro em caixa;
  • Aplicações financeiras de curto prazo;
  • Contas a receber no curto prazo.

Tipos de ativos circulantes

Existem três tipos de ativos circulantes: líquido, cíclico e operacional.

Ativo circulante líquido

Também conhecido como ativo financeiro, o ativo circulante líquido engloba os recursos disponíveis para cobrir despesas e dívidas de um negócio – como o dinheiro que entra a partir de suas atividades ou de investimentos de curto prazo.

Quando o ativo circulante líquido apresenta um saldo positivo, por exemplo, significa que a empresa tem dinheiro suficiente para pagar suas despesas mais imediatas. 

Ativo circulante cíclico

O ativo circulante cíclico, também chamado de ativo regular, diz respeito aos recursos gerados pelas atividades cotidianas da empresa. Alguns exemplos são os adiantamentos com fornecedores, mercadorias, duplicatas a receber e pagamentos relacionados ao estoque. 

Ativo circulante operacional

O ativo circulante operacional engloba os processos essenciais para o funcionamento de uma empresa que podem ser convertidos em dinheiro no curto prazo, como contas a receber relacionadas ao estoque e às duplicatas.

Como identificar o ativo circulante?

Identificar o ativo circulante é mais simples do que parece. Para isso, imagine uma situação em que você precise levantar dinheiro para a empresa o mais rápido possível. O que você faria? Pegaria o dinheiro do caixa, venderia os produtos do estoque, tentaria antecipar as contas a receber? Tudo o que você responder aqui (ou seja, tudo o que pode ser transformado em dinheiro em pouco tempo) pode ser considerado ativo circulante.

E o que é ativo não circulante?

Se ativo circulante é tudo o que pode ser convertido em dinheiro no curto prazo, ativo não circulante é justamente o contrário: todos os bens e direitos que só podem ser transformados em dinheiro no médio ou longo prazo.

Principais exemplos de ativos não circulantes

  • Investimentos de longo prazo;
  • Propriedade intelectual (como a marca e patentes);
  • Imóveis;
  • Equipamentos.

Tipos de ativos não circulantes

Os ativos não circulantes podem ser de quatro tipos: realizável a longo prazo, investimentos, imobilizável e intangível.

Ativo não circulante realizável a longo prazo

É considerado ativo não circulante realizável a longo prazo qualquer direito que uma empresa tenha a receber depois do fim do período do balanço patrimonial (ou seja, em um prazo acima de um ano ou indeterminado).

Alguns exemplos são empréstimos, aplicações financeiras, depósitos e duplicatas que a empresa deve receber depois de um ano ou mais.

Investimentos

Todos os investimentos de médio e longo prazo feitos pela empresa também são considerados ativos não circulantes.

Ativo não circulante imobilizável

Ativo não circulante imobilizável engloba todos os bens fixos e tangíveis usados na operação da empresa, como máquinas, equipamentos, móveis, utensílios e imóveis.

Ativo não circulante intangível

ativo não circulante intangível é tudo o que não pode ser tocado, mas possui valor econômico para a empresa. Os exemplos mais comuns são patentes, softwares, valor da marca no mercado e clientes. 

Qual a diferença entre ativo circulante e não circulante, portanto?

A diferença entre ativo circulante e não circulante está, basicamente, no prazo para transformar bens e direitos em recursos financeiros que podem ser usados pela empresa. Os ativos circulantes podem ser convertidos em dinheiro em pouco tempo (no máximo um ano), já os ativos não circulantes levam um ano ou mais.

Leia também:

Este texto faz parte da missão do Nubank de lutar contra a complexidade do sistema financeiro para empoderar as pessoas – físicas e jurídicas. Com a conta PJ queremos ajudar donos de pequenos negócios, empreendedores e autônomos a focarem no que realmente importa. Saiba mais e peça sua conta PJ do Nubank.

5

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post