Complete abaixo para pedir sua NuConta e seu cartão de crédito

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Seu Dinheiro 5 mitos sobre o Score, a...

5 mitos sobre o Score, a pontuação usada para aprovar crédito

Consultas frequentes diminuem o score? E colocar CPF na nota? Saiba o que é verdade e o que é lenda.

Para liberar um cartão, empréstimo ou financiamento, muitos estabelecimentos levam em conta o Score – uma pontuação entre 0 e 1000 que indica as chances do consumidor atrasar ou não o pagamento de uma conta.

De acordo com o Serasa, responsável por calcular o Score, quanto mais próxima a pontuação estiver de mil, melhor é o perfil financeiro da pessoa e, portanto, maior a probabilidade de ela ter um pedido de crédito aprovado.

Em contrapartida, quanto menor a pontuação, maior a probabilidade de uma conta ser paga em atraso e, portanto, dessa pessoa ter um pedido de crédito negado.

A lógica é simples, mas ainda gera muita confusão. Veja abaixo resposta para as dúvidas mais frequentes a respeito do Score:

1. Consultas frequentes ao CPF diminuem a pontuação do Score?

Não. Esse é um dos motivos que mais preocupam o consumidor. Porém, essa informação não procede. Não são apenas instituições financeiras que podem checar o Score. Toda empresa que contrata os serviços de consulta do Serasa pode ter acesso à ele.

2. Ter uma renda alta aumenta o Score?

Também não. Um bom salário não é sinônimo de uma boa pontuação no Serasa Score. O que realmente é levado em conta são os hábitos financeiros da pessoa. Pagar as contas sempre em dia e evitar dívidas são práticas que podem contribuir para o aumento.

3. Paguei minhas dívidas. Meu score irá subir?

Quem já teve o nome negativado, pode demorar um tempinho até ganhar a confiança do mercado novamente. Não é possível saber ao certo quando isso irá acontecer. Mas uma informação importante é que as dívidas prescrevem cinco anos após a data de vencimento. Depois desse prazo, o CPF do consumidor não pode continuar restrito. Isso significa que  os débitos com mais de 5 anos não entram no cálculo do Score.

4. Colocar CPF na nota fiscal não aumenta a pontuação

Isso mesmo. Você não leu errado. Muita gente acredita que quanto mais vezes incluir o CPF na nota fiscal das compras realizadas, maiores as chances de aumentar a pontuação. Contudo, isso não é verdade. A inclusão do CPF na nota fiscal não está entre as informações usadas no cálculo do Serasa Score. Ou seja: colocar o CPF na nota na hora da compra, não afeta a pontuação.

5. Por que não consigo crédito se meu nome está limpo?

Essa é uma pergunta feita constantemente. O que ocorre é que, mesmo com o nome limpo, pode ser que haja um histórico de dívidas. Como assim? Isso significa que, em algum momento, contas já foram atrasadas e, por isso, o consumidor acabou sendo inserido na lista de inadimplentes do Serasa. Mesmo que todas as dívidas tenham sido pagas, as informações podem indicar que a pessoa ainda não é um “bom” perfil para ter crédito aprovado.

Vale lembrar também que o Score não é a única informação que as instituições levam em conta na hora de oferecer crédito. Às vezes não é possível encontrar dados suficientes a respeito do usuário. Sendo assim, mesmo com Score alto, nem sempre o crédito é aprovado.

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Ainda não conhece o Nubank? Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história aqui.

Digite seu nome

Quero receber a newsletter
  • Olavo
    05 de abril de 2019, 11h46
    Sei lá meio vago esse score da Serasa. Grandes empresários têm nome meio sujo pq se pagam primeiro e têm score baixo. Eu mesmo opero na bolsa com bons rendimentos e tenho score bem baixo a uma divida que corre em justiça. Acho que deveria linkar com a receita federal e analisar rendimentos tbm.
    • Israel
      04 de abril de 2019, 22h47
      Ótimo dicas obrigado