Pedir Conta e
Cartão de Crédito

em menos de 1 minuto
e grátis

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Seu Dinheiro Aluguel mais que dobrou ...

Aluguel mais que dobrou entre 2011 e 2020: veja as variações no IGP-M e preços

O IGP-M é o índice que mede a variação nos preços de aluguel - e, nos últimos dez anos, ele mais que dobrou. Entenda.

Entender (e acompanhar) o IGP-M, índice que mede os reajustes nos contratos anuais de aluguel, é tão importante para sua vida financeira quanto saber, por exemplo, a inflação do período. Isso porque qualquer mudança no índice, calculado pelo IBRE-FGV mensalmente, tem impacto na vida dos brasileiros. 

A prova disso é que entre 2011 e 2020, o IGP-M teve uma variação de 105% – ou seja: mais do que dobrou na década. Isso indica que, nesse período, o custo do aluguel teria mais que dobrado com os reajustes.

As variações mensais do índice valem para todos os municípios brasileiros, mas se adaptam à realidade e aos preços do mercado imobiliário de cada um. Por exemplo: onde o metro quadrado tiver um preço mais alto, um IGP-M alto resultará em reajustes maiores no preço do aluguel – e vice-versa.

Abaixo, veja uma análise de como o IGP-M se comportou nesses anos – e o que explica a maior alta de 2020.

O IGP-M ao longo dos anos

Ao longo da década, e especialmente em 2020, o IGP-M teve muitas altas e baixas. Veja, a seguir, o acumulado do índice em cada ano desde 2011:

  • 2011: 5,077%
  • 2012: 7,8119%
  • 2012: 5,5257%
  • 2014: 3,6749%
  • 2015: 10,5443%
  • 2016: 7,1907%
  • 2017: -0,5326%
  • 2018: 7,5521
  • 2019: 7,3179
  • 2020: 21,9682

De janeiro de 2011 a dezembro de 2020, o IGP-M teve uma variação positiva de 105,68%, segundo dados do Banco Central do Brasil.

Ou seja: em relação aos preços de alugueis em janeiro de 2011, os cobrados em novembro deste ano são maiores que o dobro, segundo a calculadora do Banco Central.

O que faz o IGP-M mudar tanto?

O índice é calculado todo o mês pelo IBRE-FGV e indica, além do aluguel, as contas de internet, energia elétrica e TV por assinatura. Ele é influenciado pelas mudanças na inflação, na variação do dólar e de outros indicadores – portanto, se diz que ele sofre a influência e varia de acordo com o momento econômico.

O IGP-M é calculado a partir de outros três índices: IPA-M, IPC-M e INCC-M. Veja, a seguir, o que cada um deles significa:

  • IPA-M (Índice de Preços ao Produtor Amplo Mercado) – representa 60% do IGP-M: representa os preços de atacado e produtos industriais;
  • IPC-M (Índice de Preços ao Consumidor Mercado) – representa 30% do IGP-M: corresponde à inflação no varejo; ou seja: é um índice de inflação brasileiro;
  • INCC-M (Índice Nacional de Custo da Construção Mercado) – representa 10% do IGP-M: calcula os custos do setor de imóveis construções.

A partir desses dados, o IGP-M calcula as variações, sejam elas positivas ou negativas, no aluguel mensal e anual.

A deflação em 2017

Na década, o único ano em que o IGP-M foi negativo foi 2017 – um reflexo da supersafra de alimentos no ano que fez com que o preço desse grupo também caísse.

A alta em 2020

Em um ano como o de 2020, em que a pandemia do novo Coronavírus atingiu diferentes setores da economia, os três índices que compõem o IGP-M tiveram alta – no acumulado de 12 meses, ou seja, considerando de novembro de 2019 a novembro de 2020, o IGP-M teve aumento de 24,52%.

Em geral, a pandemia fez com que os preços das commodities disparassem nos mercados globais, com mais demanda de outros países. Com o dólar mais alto, a exportação desses itens ficou mais vantajosa para produtores brasileiros – ou seja: eles passaram a preferir vender para outros países do que para o Brasil e, com isso, a oferta interna diminui –  mas sua demanda, não; por isso, houve aumento nos preços desses itens por aqui.

Saiba mais sobre a alta do IGP-M em 2020.

Como calcular o reajuste do aluguel?

Calcular o reajuste do seu aluguel com base no IGP-M não é difícil – basta somar o índice acumulado no último ano ao valor atual do seu aluguel.

Por exemplo: segundo a FGV, em novembro de 2020, o IGP-M acumulado era de 21,97% no ano; considerando um aluguel mensal de R$ 1.500, basta calcular 1.500 + 21,9% de 1.500 = R$ 1.828,50. 

O reajuste, portanto, seria de R$ 328,50.

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Ainda não conhece o Nubank? Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história.

5

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post