Pedir Conta e
Cartão de Crédito

em menos de 1 minuto
e grátis

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Complete os campos ao lado para pedir sua Conta e Cartão de crédito

Agora complete abaixo para pedir sua conta e cartão de crédito

Precisamos de um CPF válido
Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu e-mail. Precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Seu Dinheiro Da mesada ao investiment...

Da mesada ao investimento: como ensinar as crianças a guardar dinheiro

Entenda como estimular as crianças a pouparem dinheiro e se tornarem adultos conscientes financeiramente



Você já conversou com as crianças sobre guardar dinheiro? Essa tarefa é mais fácil do que parece – e vale o esforço. Afinal, quem aprende na infância tem maiores chances de desenvolver uma relação mais saudável com o próprio dinheiro.

Um estudo da Universidade de Cambridge mostra que os conceitos e hábitos financeiros são formados até os 7 anos de idade.

Ou seja, a consciência sobre dinheiro e as noções sobre como poupar precisam começar cedo, porque é na infância que aprendemos valores que levaremos por toda a vida.

O Brasil ocupa hoje a 17ª posição (entre 20) no ranking do Programa Internacional de Avaliação de Alunos (PISA) no quesito competência financeira. Por aqui, a educação financeira só passou a fazer parte do currículo da educação básica em 2019, com a aprovação da nova Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

Os reflexos dessa estruturação tardia são sentidos todos os dias em um país com mais de 63 milhões de endividados.

Então, como ensinar as crianças a guardar dinheiro?

Mais do que falar sobre dinheiro, é fundamental que as crianças entendam a importância de poupar. Para isso, é necessário proporcionar um impacto direto no cotidiano delas com a educação financeira. Vamos ao passo a passo?

1. Dê mesada ou semanada

Não tem como guardar dinheiro se não houver algo para guardar. Crianças não desenvolvem sozinhas o hábito de poupar apenas observando os adultos. Elas precisam ter o próprio dinheiro e aprender a administrá-lo. 

Dar mesada é uma forma de proporcionar isso. Estabeleça um valor e explique que elas devem cuidar dele para pagar por aquilo que têm vontade – desde um pirulito até um videogame, por exemplo.

No caso das crianças menores, as semanadas funcionam melhor. Uma pesquisa da Universidade do Estado de Ohio, nos Estados Unidos, publicada no jornal Psychological Science, sugere que crianças de 4 e 5 anos podem não reter a informação na hora em que aprendem. Logo, como crianças pequenas que têm a memória em desenvolvimento e precisam de repetições para processar os aprendizados, as semanadas tendem a funcionar bem.

Com as semanadas, as crianças aprendem desde cedo que dinheiro não é infinito e que é preciso planejamento.

2. Ajude-os a estabelecer metas

Toda criança sonha (e muito). Isso é natural, esperado e deve ser estimulado.

Na hora em que seu filho pedir uma viagem, um celular (ou algo mais simples, como um brinquedo), estabeleça uma meta em dinheiro guardado para que ela tenha acesso a isso.

Não é que a criança necessariamente precisará pagar o preço cheio daquilo que quer – dependendo do caso, o valor pode até ser simbólico. O importante é que ela tenha um objetivo e participe da conquista.

É interessante ter sonhos de curto, médio e longo prazo — lembrando que longo prazo para crianças é relativo, pois elas não têm a mesma paciência que os adultos para desfrutarem dos resultados. Quando essas metas forem atingidas, elas terão um estímulo imediato para continuarem poupando e sonhando.

3. Estimule a criança a poupar uma porcentagem fixa 

Seja uma mesada ou um troco, é interessante ensinar aos pequenos a guardarem sempre uma porcentagem do valor, seja 10%, 20% ou até 50%. O importante, nesse caso, é criar o hábito de guardar.

Se você se perguntou: “por que não tudo?”, a resposta é que isso não seria educação financeira e sim, exagero. É fundamental que as crianças se divirtam e vejam o dinheiro como uma forma de viabilizar coisas bacanas. Caso contrário, a missão de poupar dinheiro não será estimulante.

4. Ensine sobre investimentos

Claro que você não precisa discutir sobre renda fixa ou variável. O importante é mostrar, na prática, que dinheiro pode render.

Proponha guardar para a criança parte do dinheiro dela e combine uma data para a devolução. Nesse tempo, aplique o dinheiro em um investimento de baixo risco e retorne com os juros.

Ao receber o dinheiro de volta, a criança vai entender que ele pode render – mesmo que sejam centavos. Aí é a hora de explicar, de forma simples e coerente com a idade, como o dinheiro rende ao ser investido.

Formar crianças conscientes financeiramente representa grande parte de formar adultos responsáveis com dinheiro. 😉

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Ainda não conhece o Nubank? Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história aqui.

3.73

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post