Pedir Conta e
Cartão de Crédito

em menos de 1 minuto
e grátis

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início O Nubank Nosso roxo é de orgulho:...

Nosso roxo é de orgulho: conheça Nubankers para além do arco-íris

Mostramos as diversas bandeiras por trás da sigla LGBTQIA+ – e celebramos as pessoas por trás de cada uma delas.

O que você pensa quando se depara com a bandeira do arco-íris? Neste mês de junho, data mundial de celebrar o orgulho e as lutas LGBTQIA+, a gente encontrou uma oportunidade de ir além. De entender que, por trás de cada uma dessas cores, existem diversas outras que não cabem em uma só bandeira.

Diversidade é um pilar essencial para o Nubank. Não só porque construir times diversos ajuda a refletir a realidade do mundo lá fora, mas porque existe potência na pluralidade. Na diferença de histórias, de vivências, de ideias.

Aqui no Nubank, buscamos criar um ambiente cada vez mais inclusivo para todas as pessoas. Hoje, mais de um quarto dos Nubankers se identificam como lésbicas, gays, bissexuais, trans e travestis, queers, intersexos, assexuais, dentre outras identidades de gênero e orientações sexuais. 

E somos roxos de orgulho de cada uma dessas pessoas. Por isso, em 2021, decidimos ir além do mais conhecido arco-íris e mostrar as diversas bandeiras por trás da sigla LGBTQIA+ – e celebrar Nubankers que representam cada uma delas.

Bandeira Lésbica

Lésbica: mulher que sente amor, afeto e/ou atração sexual por outras mulheres. (Fonte: TODXS)

Juliana Forlin (ela/dela), Marketing Analytics no Nubank

“Ser lésbica é resistência. É amar tanto mulheres que lutamos por nossa liberdade até o dia em que não existir mais nenhuma mulher em situação de opressão.

Quero ser tratada com igualdade, assim como deveria ser pra todos. Como mulher cis [que se identifica com o gênero designado no nascimento] lésbica, eu tenho uma passabilidade no mundo heterossexual que, no geral, me insenta de preconceito por sexualidade. Mas já tive que ouvir muita coisa por aí.

Em um antigo emprego, por exemplo, ouvi uma colega de trabalho dizendo que ela se sentia incomodada de trocar de roupa no vestiário da academia porque alguma mulher lésbica poderia estar olhando. Parece inofensivo, mas comentários como esses machucam.”

Bandeira Gay

Gay: homem que sente amor, afeto e/ou atração sexual por outros homens. (Fonte: TODXS)

Josué Machado (ele/dele), XForce no Nubank

“Ser gay é conseguir viver um dia de cada vez mesmo com a chance de sair na rua e poder não voltar. Ser gay é ter orgulho diariamente de quem eu sou mesmo sabendo, desde pequeno, que todos em minha volta fariam de tudo pra que eu não tivesse orgulho de mim mesmo.

Mas eu resisto, sobrevivo e luto pra que me tratem com respeito e empatia – não como se eu fosse diferente pelo único fato de ser parte da comunidade LGBTQIA+.”

Bandeira Bissexual

Bissexual: pessoa que sente amor, afeto e/ou atração sexual por pessoas do mesmo gênero e de gêneros diferentes. (Fonte: TODXS)

Renato Andrade (ele/dele), engenheiro de software no Nubank

“Ser bissexual é se permitir. É entender que sexualidade pode ser algo fluido, que não precisa se restringir a um gênero específico.

E quero que as pessoas não duvidem da minha sexualidade. Afinal, uma pessoa bissexual não precisa provar pra ninguém que é bissexual.”

Bandeira Trans e Travesti

Trans: pessoa que não se identifica com o gênero que lhe foi atribuído no nascimento. (Fonte: TODXS)

Travesti: pessoa que foi designada pelo gênero masculino ao nascer, mas se reconhece numa identidade feminina. (Fonte: TODXS)

João Arthur (ele/dele), Xpeer no Nubank

“Resumo o que é ser trans em uma palavra: coragem. É preciso coragem para sair do armário (geralmente pela segunda vez), é preciso coragem para enfrentar as mudanças físicas (para os que a desejam) e ter que aturar piadas. É preciso coragem para resistir só um dia a mais todos os dias. Coragem para tentar não morrer na estatística.

Odiaria ser tratado com o pronome errado e ser visto diferente pelas pessoas simplesmente por ser trans. E sabe aquela frase “você é tão bonito, nem parece trans”? Nunca diga isso para uma pessoa trans.”

Bandeira Queer

Queer: pessoas que não se identificam como as normas heterossexuais e/ou com o padrão cisgênero (de se reconhecer como o gênero atribuído no nascimento – masculino ou feminino).

Victor Teixeira (qualquer pronome), Xpert no Nubank

“Ser queer é poder viver e ser livre com base em minha própria existência. E gostaria de ser tratado apenas como uma pessoa, sem expectativas com base em nossas construções sociais. 

Não gostaria de ser tratada com o ideal masculino, com a imagem e visão que a sociedade tem sobre “o homem”. Sou muito mais do que a sociedade espera e acha o ideal.

E olhar para além do arco-íris é olhar além do tradicional, do binarismo, do preto e do branco. Nossa vida é uma paleta cheia de cores, só temos que abrir os olhos e nos permitir vê-las.”

Bandeira Intersexo

Intersexo: pessoas com características em relação a sua anatomia sexual que não correspondem à forma de classificação tipicamente binária – masculina ou feminina, conforme a norma cisgênero. 

Shay Bittencourt (nenhum pronome), Xpert no Nubank

“Ser intersexo é nascer entre os sexos. É a natureza demonstrando que existem outras corporalidades além do que é dito homem e mulher.

Sou uma pessoa intersexo e agênero. Gosto que me tratem de forma neutra, como um ser humano, sem atribuir estereótipos de gênero.”

Bandeira Assexual

Assexual: pessoa que não sente atração sexual por nenhum gênero. A comunidade assexual, porém, é múltipla e algumas pessoas sentem atração sexual parcial ou condicional a atração romântica. (Fonte: TODXS)

Raquel Lopes (ela/dela), engenheira de software no Nubank

“O espectro assexual é muito amplo e abrange diversas identidades que vão desde a ausência total, parcial ou condicional de atração sexual. O vínculo emocional se torna muito mais importante para o relacionamento, seja ele romântico ou não. Não é algo que se escolha ter, é apenas natural.

Muitos não enxergam a assexualidade como algo real, tornando difícil outras pessoas se identificarem com esse aspecto. Caminhar em uma sociedade heteronormativa e hiper-sexualizada faz nossa trajetória ser solitária e invisível.

Ver além do arco-íris é enxergar todos apenas como pessoas, independentemente de sua identidade, orientação ou qualquer outra característica. Indivíduos diversos e cheios de vida colorindo o mundo com suas diferentes formas de amar.”

Bandeira Pansexual

Pansexual: pessoa que sente amor, afeto e/ou atração sexual por todos os gêneros – homens (cis e trans), mulheres (cis e trans) e pessoas não binárias (cis e trans). (Fonte: TODXS)

Aleph Naldi (ela/dela/elu/delu), Xpert no Nubank

“Pansexualidade foi a maneira mais interessante que eu encontrei, até agora, para conseguir identificar minha performance de sexualidade e abraçar a pluralidade de identificações de gênero das pessoas que se relacionam comigo. É uma maneira de respeitar coletivamente essas identificações e a possibilidade de trânsito entre elas.”

Bandeira Não-Binária

Não-binária: pessoa que não quer se definir ou quer se definir além de “nem homem, nem mulher”, ou não segue as normas tradicionais de ser homem ou mulher. (Fonte: TODXS)

Inacio Netto, Xpert no Nubank

“Ser uma pessoa não-binária é uma constante descoberta de possibilidades. Me vestir, portar, ser da forma que eu me sentir confortável, sem que aquilo defina quem eu sou ou me coloque em uma caixa.

A não-binariedade é uma descoberta recente pra mim, porque eu ainda não me entendia muito bem. Me questionei algumas vezes e fui ler e aprender um pouco mais a respeito antes de entender que “não ser” é exatamente quem eu sou.

E quero que me tratem com respeito. Que não julguem minha capacidade ou entregas com base em minha raça, gênero, como me visto ou como me porto.”

3.37

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post