Pedir Conta e
Cartão de Crédito

em menos de 1 minuto
e grátis

Precisamos seu nome completo. Precisamos seu nome completo.
Precisamos do seu CPF Precisamos de um CPF válido
Precisamos do seu e-mail. Aqui precisamos de um email válido.
Ops. Está diferente do campo acima.
Para prosseguir, você deve concordar com as políticas de privacidade.

Início Seu Dinheiro Auxílio Emergencial par...

Auxílio Emergencial para profissionais da cultura: o que diz e como funciona a lei Aldir Blanc?

Repasse aos estados e município destina R$3 bilhões para apoiar profissionais do setor, estabelecimentos e iniciativas culturais durante a pandemia. Veja quem tem direito.

No dia 29 de junho de 2020, foi aprovada a lei federal 14.017/20, conhecida como Lei Aldir Blanc – em homenagem ao compositor e escritor que morreu em maio. Com ela, profissionais e estabelecimentos do setor cultural afetados pela pandemia passam a poder receber auxílio em dinheiro. Serão cerca de R$3 bilhões repassados pela União aos Estados e Municípios.

Na prática, isso quer dizer que profissionais que atuavam com música, entretenimento, teatro, artes, espectáculos e outros setores artísticos e culturais podem receber apoio financeiro – desde que já não estejam recebendo o auxílio emergencial de R$600 (ou R$300).

Estabelecimentos, como teatros e casas de shows, por exemplo, também podem conseguir apoio.

O que diz a lei Aldir Blanc?

A lei Aldir Blanc estabelece que o valor de R$3 bilhões seja distribuído em forma de renda emergencial a pessoas, ajuda mensal a estabelecimentos e espaços artísticos e editais que apoiem o setor. Em detalhes, ela estabelece:

  • Renda emergencial mensal para todos os trabalhadores que atuam na área da cultura;
  • Ajuda mensal para manutenção de espaços artísticos e culturais, microempresas e pequenas empresas culturais, cooperativas, instituições e organizações culturais comunitárias que tiveram as suas atividades interrompidas por conta das medidas de isolamento social, para conter a propagação do novo coronavírus;
  • Editais, chamadas públicas, prêmios, aquisição de bens e serviços vinculados ao setor cultural – espaços, iniciativas, cursos, produções, atividades de economia criativa e solidária, produções audiovisuais, manifestações culturais, atividades que possam ser transmitidas pela internet ou disponibilizadas por redes sociais e outras plataformas digitais.

Existe um valor fixo da renda emergencial para cultura?

Não existe um valor estabelecido em lei. O repasse dos R$3 bilhões será feito aos Estados e Municípios, que devem fazer a distribuição. 

Os municípios têm 60 dias, a partir da data de recebimento do recurso, para destinar os valores. O que não for utilizado vai para o fundo estadual de cultura do Estado.

Quem pode solicitar o auxílio voltado à profissionais da cultura?


Profissionais que trabalharam em áreas artísticas até 2 anos antes da publicação da lei – ou seja, até 24 meses antes do dia 29 de junho de 2020.

Será necessário apresentar um documento comprovando o trabalho na hora de preencher a autodeclaração para receber o benefício.

Além disso, para ter direito a renda emergencial, os profissionais do setor da cultura devem se encaixar nos seguintes requisitos:

– Não ter emprego formal atualmente;
– Não apresentar renda familiar mensal per capita superior a meio salário-mínimo (R$ 522,50) ou renda familiar mensal maior do que três salários mínimos (R$ 3.135);
– Não receber benefício previdenciário, assistencial, seguro-desemprego ou qualquer verba de programa de transferência de renda federal – tendo como exceção o Bolsa Família;
– Não ter recebido, em 2018, rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70;
– Não ser beneficiário do auxílio emergencial do Governo.

Mulheres provedoras de família monoparental recebem o valor dobrado do benefício.


Como se cadastrar para o auxílio emergencial da cultura?


O cadastro é feito pelos Estados ou Municípios. Não existe uma regra única.

O Estado de São Paulo, por exemplo, comunicou que o cadastro será feito de forma online em um site específico para o benefício destinado à cultura. 

Cadastro em São Paulo – como fazer

A partir do dia 16 de setembro, profissionais que trabalham na área cultural no Estado de São Paulo vão poder se cadastrar para receber o auxílio emergencial (renda básica emergencial) específico do setor.

São Paulo receberá no total R$ 566 milhões pela lei Aldir Blanc.

–  R$ 189 milhões irão para o pagamento da renda básica. Segundo a prefeitura, o objetivo é apoiar cerca de 63 mil profissionais.
– Cerca de R$ 75 milhões serão destinados a editais culturais para diferentes áreas, como teatro, dança, museus, literatura, audiovisual e música.
– R$202 milhões irão para 645 as prefeituras do estado.

O cadastro de profissionais e de instituições que precisam de auxílio é feito online, no site  www.dadosculturais.sp.gov.br.

Já os editais estão aberto no site www.proacexpressoaldirblanc.org.br.

Este conteúdo faz parte da missão do Nubank de devolver às pessoas o controle sobre a sua vida financeira. Saiba mais sobre nossos produtos e a nossa história.

5

Esse artigo foi útil? Avalie

Obrigado pela avaliação

Você já votou neste post