Planos de saúde individuais ficarão até 15,5% mais caros; veja  quem é afetado pelo reajuste

Os planos de saúde individuais e familiares poderão ser reajustados em até 15,5%, segundo a ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar). Esta é a maior alta da série histórica, iniciada em 2000.

Esse percentual pode ser aplicado já a partir de maio de 2022 até abril de 2023, em contratos firmados a partir de janeiro de 1999. Segundo a ANS, cerca de 8 milhões de pessoas podem ser afetadas pelo reajuste.

Não necessariamente. Esse percentual é um teto. Ou seja, cabe a cada operadora definir de quanto será o aumento do plano e esse reajuste deve ser de, no máximo, 15,5%.

Meu plano vai ficar 15,5% mais caro?

Não! Ele deve ser de até 15,5%. Por isso, fique atento ao seu boleto. Se o mês de aniversário do contrato é maio, será permitida a aplicação retroativa do reajuste.

O aumento  pode ser maior?

Segundo a ANS, o reajuste pode ser aplicado pelos planos de saúde a partir da data de aniversário do contrato. Ou seja, no mês da contratação do plano.

Quando meu plano vai ficar mais caro?

Para definir o aumento, a ANS considera as despesas que os planos têm para conseguirem operar e também o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), que é a inflação oficial do país. E eles subiram muito.

Por que esse reajuste é tão alto?

Não. A ANS só define o reajuste de planos individuais e familiares. Nos planos coletivos (empresariais e por adesão), as operadoras podem definir esse aumento.

Esse aumento  vale para planos coletivos?

Quer entender o que está por trás do reajuste dos planos de saúde?